terça-feira, 10 de dezembro de 2013

DESTAQUES


VIII Encontro Mestres do Mundo no Crato

O grande encontro dos Mestres da Cultura volta a acontecer, desta vez no município do Crato. De 18 a 20 de dezembro, o Cariri receberá os Tesouros Vivos da Cultura, reconhecidos pelo Governo do Estado do Ceará, e mestres provenientes de outros estados. Com o tema “Chão Sagrado do Belo Amor”, o VIII Encontro Mestres do Mundo é uma parceria entre a Secretaria de Cultura do Governo do Estado e a Secretaria de Cultura do Município do Crato.

A programação tem início às 14h desta quarta-feira, no Centro de Expansão do Crato, com um seminário sobre patrimônio imaterial, as múltiplas leituras das brincadeiras populares e sobre as tradições como fonte geradora de renda. Também nesta quarta-feira, às 19h, na Arena da Tradição, no Largo da RFFSA, acontece a solenidade de abertura do Encontro, com a diplomação dos novos Mestres da Cultura, reconhecidos pelo Governo do Estado.

O tema “Chão Sagrado do Belo Amor” faz referência ao território como conceito integrador de lugares e afetos. Uma citação bem pertinente ao Crato e ao Cariri como um todo, espaço de revoluções e lendas, berço de grandes nomes da história brasileira e de grandes ideias. Tudo tendo como pano de fundo a Floresta Nacional do Araripe e a história de Nossa Senhora do Belo Amor.

“No Crato, o ancestral e o contemporâneo se entrelaçam, o que torna o ambiente propício para o entendimento da importância do conhecimento tradicional como estrutura fundante de uma nova sociabilidade”, destaca o coordenador do VIII Encontro Mestres do Mundo, o ator, produtor e pesquisador Fernando Piancó, integrante da equipe da Secult.

“Serão três dias de intensa troca de saberes e fazeres e de diferentes visões e representações do mundo. A identidade e a diversidade cultural serão celebradas e exaltadas. Um território de encontros e acolhimento. O Chão Sagrado do Belo Amor!”, ressalta Glícia Gadelha, coordenadora de Ação Cultural da Secult e também integrante da equipe organizadora.

Já a secretária de Cultura do Crato, Dane de Jade, destaca a satisfação do Cariri em tornar a sediar o Encontro Mestres do Mundo. “Pela segunda vez o Encontro Mestres do Mundo acontece no Cariri, o que é importante, pela dimensão desse encontro, que já é esperado todos os anos pelos mestres. O Crato abraça o encontro com muita alegria. A região do Cariri tem o maior número de manifestações da tradição popular, tem a vocação para as tradições orais, tem as bandas cabaçais, os reisados, lapinhas, coco, maneiro-pau, entre várias manifestações”, enumera.

“É um privilégio, pra gente, trabalhar com os grupos de tradição, pra que a gente possa cada vez mais instituir ações de política cultural para esse fortalecimento. Como a Lei Municipal dos Mestres da Cultura, que estamos trabalhando para tornar realidade, e como as escolas livres de repasse da tradição popular, que vamos implantar, os Terreiros Vivos dos Mestres”, acrescenta Dane de Jade, citando que o primeiro deles será o Centro de Formação e Apoio do Reisado e da Tradição Popular, com destaque para Mestre Aldenir.

Novos mestres


Selecionados em 2013, serão diplomados na solenidade de abertura do VIII Encontro Mestres do Mundo os novos Mestres da Cultura, reconhecidos pelo Governo do Estado. São eles: José de Abreu Brasil (Palhaço Pimenta), mestre da arte circense, morador de Fortaleza; Josefa Pereira de Araújo, rendeira, moradora de Potengi. Também serão diplomados em reconhecimento o reisado Boi Coração (responsável: Luciano Correia dos Santos), da cidade de Ocara, e o reisado Nossa Senhora de Fátima (responsável: Maria de Fátima Monteiro Cosmo), de Juazeiro do Norte. Também será agraciada a Comunidade da Prainha do Canto Verde (representante: José Alberto de Lima Ribeiro), de Beberibe-CE.

Esses novos mestres e grupos reconhecidos se unem ao conjunto dos 58 Mestres da Cultura/Tesouros Vivos contemplados pelo Governo do Estado. Todos foram convidados a participar do VIII Encontro Mestres do Mundo, reeditando a grande festa de cores e saberes, tradições e reinvenções, desta vez tendo por cenário a múltipla e intensa região do Cariri.









ESPECIAL

Biquini Cavadão faz Réveillon na Praia do Futuro
 
Banda que tem muitos fãs no Ceará será a principal atração do evento que irá celebrar a ‘virada’ na barraca Guarderia, o “Réveillon de Bem” 


Repleta de fãs no Ceará, a banda Biquini Cavadão está de volta a Fortaleza, para celebrar o ano novo da barraca Guarderia, na Praia do Futuro. Por onde passa, o show do Biquini Cavadão tem lotado as casas de espetáculo. A banda não para. Com 28 anos de estrada e perto de passar a marca de dois mil shows em mais de 600 cidades do país, sendo mais de 50 cidades na turnê atual, Bruno Gouveia, Miguel Flores da Cunha, Carlos Coelho e Álvaro 'Birita' chegam a Fortaleza para apresentar seu novo trabalho, o décimo quarto da carreira, “Roda-Gigante”.
O repertório da apresentação da ‘virada’ do dia 31 para o dia 1º de janeiro de 2014 inclui as músicas do novo álbum como a faixa título e “Entre Beijos e Mais Beijos”, mas também oferece ao público os grandes sucessos da carreira da banda como “Tédio” e “Timidez”, da década de 80, “Zé Ninguém” e “Vento Ventania”, da década de 90, e as mais recentes “Dani” e “Quanto Tempo Demora um Mês”.
O álbum Roda-Gigante foi lançado com muitas novidades. Em todos os shows da banda, os fãs podem comprar um pendrive, com as músicas do CD e com um programa para baixarem e receberem novidades de clipes, notícias e atualizações. Recentemente, lançaram também, a versão em vinil do disco, com a arte estampada no próprio vinil e a capa transparente. Outra novidade, é a versão Deluxe, disponível, na iTunes Store Brasil, que traz, além das 12 faixas originais, as versões demo de cada música e quatro versões acústicas.
A faixa título e a música “Entre Beijos e Mais Beijos” já foram lançadas em clipes, que podem ser vistos na página oficial da banda no Youtube. E não para por aí, a música “Roda-Gigante” foi indicada ao Grammy Latino, na categoria ‘Melhor Música Brasileira’.
Além de Biquini Cavadão, “Réveillon 2014 de Bem”, da barraca Guarderia Brasil, contará ainda com os Djs Marcos Hanna, JP Gonzalles e o bloco carnavalesco Unidos da Cachorra.
SERVIÇO
Reveillón 2014 De Bem
Local: Barraca Guarderia Brasil
Endereço: Avenida Zezé Diogo, 4.451 – Praia do Futuro – Fortaleza/CE
Data: 31 de dezembro de 2013
Abertura dos portões: 22h
Horário do show: 00h
Preço: R$360,00 (Open Bar)
Ingressos: Barraca Guarderia Brasil – (85) 3265-1327 – www.guarderiabrasil.com.br









VII Festival União da Ibiapaba acontece em Tianguá 
 
Rogério Soares, Chico Pessoa, Nayra Costa, BigNel, Régis e as bandas Zumira e Dona Leda são as atrações
 

>Nayra Costa - Além dos shows, haverá mostra de cinema, exposição de artes plásticas, debate, feira de arte e negócios e oficinas no FUI

A sétima edição do FUI – Festival União da Ibiapaba, começa hoje em Tianguá e acontece de 17 até 22 de dezembro de 2013 na hospitaleira cidade cearense de Tianguá. Entre as atrações, Rogério Soares, Chico Pessoa, Nayra Costa, BigNel, Régis e as bandas Zumira e Dona Leda, além de outros artistas do Movimento Surto, de Tianguá, e nomes da música de municípios vizinhos, da região serrana. Ainda no campo artístico, numa parceria do FUI com o Cine Ceará acontecerá uma Mostra Audiovisual que vai exibir os filmes curta metragens premiados no 23° Cine Ceará. Será realizada também uma exposição das obras do conceituado artista plástico cearense Vando Figueiredo e uma eclética Feira Cultural, de Artesanato e Negócios.
Além das atrações musicais e cinematográficas, serão realizadas 10 oficinas educativas, sendo cinco no período da manhã e cinco no turno da tarde. São elas: “Música - Ação e Criação” com o cantor, compositor e músico cearense Serrão de Castro; “Brincando e Reciclando” ministrada pelo educador Carlos Careca; “Projeto Reciclocidades” com as instrutoras Rita de Cássia Teixeira e Josinete Melo Santos; “Expressão e Movimentos Coletivos” com Everton Furtado Soares e “Dança Vertical” com as professoras Rosane Costa Nóbrega e Nitchia Britto.
No campo das discussões sobre a realidade da região, acontece também um debate sobre “A Cultura, o Turismo e o Desenvolvimento Sustentável na Serra da Ibiapaba”. Participam do evento, o prefeito de Tianguá, Jean Nunes Azevedo; o Secretário de Cultura do Estado do Ceará, Paulo Mamede; o deputado estadual Sérgio Aguiar e o deputado federal João Ananias.
O prefeito da cidade, Jean Nunes Azevedo (PSB) está otimista quanto ao sucesso do evento: “estamos ansiosos com a realização do FUI, pela primeira vez na minha administração. Faremos uma boa divulgação na cidade, num conjunto de ações para atrair um grande público. Creio que, com todas essas atrações, culturais e educativas, durante todos os dias movimentaremos a nossa cadeia produtiva do município e da região”, resumiu.
O Festival tem como principal meta estabelecer o fortalecimento da cultura, turismo, conscientização ecológica, compromisso social e crescimento econômico dos municípios que compõem a região da Ibiapaba: Tianguá, Viçosa do Ceará, Ubajara, Ibiapina, São Benedito, Carnaubal, Guaraciaba do Norte, Ipú, Croatá, Pires Ferreira, Reriutaba.
O Festival União da Ibiapaba (FUI) integra as cidades da Serra da Ibiapaba, conhecida pela sua beleza de vegetação e clima ameno. É uma fusão do cerrado e remanescentes de Mata Atlântica. No cenário, muito verde, cachoeiras e o colorido das flores.

Em meio à diversidade, a natureza da serra atrai os praticantes do ecoturismo. Durante o festival, serão realizadas atividades de esportes de aventura, visitas às cachoeiras e às reservas florestais de Tianguá e Ubajara, pelas trilhas mais conhecidas da chapada.  Na região da Ibiapaba, encontram-se vestígios pré-históricos em gravuras rupestres nas pedras. Calcula-se que a idade desses desenhos fica entre quatro mil e sete mil anos, antes mesmo da chegada dos primeiros índios na região.  Quanto aos pratos típicos da Serra da Ibiapaba, os turistas podem degustar delícias caseiras e quitutes locais, como doces, geleias, licores e a famosa cachaça artesanal. Tem ainda o café da manhã reforçado: cuscuz, tapioca, sucos de frutas da época, pães e o café direto do fogão à lenha.
 

PROGRAMAÇÃO 
Shows musicais na Praça do Ginásio
 
Dia 20 de dezembro de 2013 – Sexta-feira
Steel Hunter
BigNel com a Banda Kapruk e Ronald de Carvalho
Dona Leda

Dia 21 de dezembro de 2013 – Sábado

Movimento Surto
Banda Zumira
Rogério Soares
Nayra Costa

Dia 22 de dezembro de 2013 – Domingo
Dança – Divino Movimento
Banda Pedra Rara
Régis
Chico Pessoa






Fortaleza ganhará filial da boate Pink Elephant em janeiro de 2014  

A Pink Elephant é um club noturno de luxo, de renome internacional, com alto padrão de excelência. Considerada uma das mais badaladas grifes de casas noturnas internacionais, a Pink escolheu Fortaleza para abrir sua próxima unidade na América Latina. A franquia de Fortaleza será a quarta em funcionamento no Brasil. Em janeiro, a Pink Elephant Fortaleza está pronta para receber um público seleto e ávido por novas opções no entretenimento de luxo. A rede atualmente possui oito casas em funcionamento: New York City, Southampton, St. Barths, Playa Del Carmen, São Paulo, Teresina, Recife e Ribeirão Preto. Todas oferecem um serviço impecável, som e iluminação de última geração e os melhores DJs nacionais e internacionais.
Com o conceito trazido diretamente da noite nova-iorquina, o local aonde vai se instalar a Pink Elephant é um ponto já bem conhecido da cidade. Localizado na Avenida Desembargador Moreira, zona nobre da Capital, o espaço foi completamente reformulado, seguindo detalhadamente os padrões e guidelines Pink Elephant e o resultado ficou fantástico. São 25 mesas distribuídas em 6 lounges, rodeadas por poltronas em madeira, e cortinas em veludo, concebidas para evitar a super lotação e facilitar os serviços oferecidos, garantindo assim excelência tanto no ponto de vista funcional tanto estético. Toda a disposição dos ambientes foi cuidadosamente estudada e os espaços garantem a circulação independente do local que o cliente esteja. O atendimento e serviços também seguem o padrão Pink Elephant e os preços trabalhados na filial de Fortaleza foram adequados conforme o mercado local. O ambiente é intimista, mesclado a equipamentos de som e iluminação de ponta, um clima mágico, transformando diferentes etapas da noite em momentos inesquecíveis.
Diferenciais são aspectos que fazem parte do conceito Pink Elephant e em Fortaleza não será diferente, para começar teremos o Camarim, onde as clientes mais vaidosas poderão retocar a maquiagem durante a noite, atenciosamente atendidas por profissionais habilidosos. Já os bares especiais são uma atração à parte, dois bares assinados dos por marcas requintadas: Heineken e Belvedere, especialmente decorados. Para completar o mix de serviços, uma loja com souvenirs patrocinada pela marca Kausland, com camisetas, chaveiros, bonés, capas de celulares e uma coleção personalizada especialmente desenvolvida para a Pink Elephant Fortaleza.

A Pink Elephant Fortaleza é um empreendimento do Pink Elephant Group, em parceria com os melhores empresários locais do ramo de entretenimento.













Novo Festival "Noites Brasileiras" promove encontro artístico no Estoril

Atrações de três estados brasileiros estarão nesta festa multicultural que promoverá espetáculos de teatro, dança, música, feira gastronômica e ainda debates e palestras

>Gang do Eletro é atração da Noite do Pará

De 12 a 14 de dezembro o Estoril recebe Noites Brasileiras, uma realização WM Cultural em parceria com a Cenapop, “um festival artístico-cultural das expressões e manifestações dos diferentes lugares do nosso país”. A primeira edição do evento, que pretende ser anual, terá atrações de três estados brasileiros, com espetáculos de teatro, dança e música e feira gastronômica. O Festival Noites Brasileiras ainda propõe um espaço denominado Territórios Criativos onde acontecerão debates e palestras.

Nesta edição de estreia, o Noites Brasileiras apresenta espetáculos de dança com a Cia Vatá (CE), Cia de Investigação Cênica (PA) e o bailarino pernambucano Ângelo Madureira. Para quem gosta de teatro de rua, os grupos Formosura(CE) e Cafuringa(PE), farão a alegria de quem passar pela Praia de Iracema. E ainda tem música dos mais diferentes estilos,com Dona Zefa(CE), David Duarte(CE), Luxo da Aldeia(CE), Pinduca(PA), mais conhecido como o Rei do carimbó, Gang do Eletro(PA), Karina Buhr(PE) e tantos outros, além de grafite ao vivo e exposição.
De acordo com William Mendonça, diretor da WM Cultural e idealizador do evento, “Todas as ações deste projeto propõem um conhecimento histórico e cultural de cada lugar. Os artistas vivenciarão novas plateias, os espectadores descobrirão e reconhecerão a gastronomia de cada estado e suas raízes. Oportunizaremos o dialogo entre produtores e gestores com diferentes realidades, mas com produtos de linguagens semelhantes”, afirma. "Para nós é uma honra, mas também um desafio propor algo dessa grandiosidade, pois sabemos da nossa responsabilidade enquanto produtores e formadores de opinião, mas especialmente entendemos nossa posição enquanto artistas que enxergam a arte como uma ferramenta de desenvolvimento humano e um canal de ligação entre os povos. É por isso que convidamos todos a embarcarem conosco nesse passeio plural, acessível e democrático chamado Noites Brasileiras", completa.  

A abertura dos stands de Gastronomia e Institucionais e abertura oficial acontece nesta quinta, às 18h, com show “Camerata Unifor”. Bebendo da água da tradição Nordestina, o Grupo Formosura de Teatro trás a cena a tradicional história da ingênua Catirina e do Boi Estrela, às 18h30.
Detentores de uma sonoridade eclética, a banda Dona Zefa se propõe a unir estilos, assim, mistura o popular ao erudito. O resultado é uma multiplicidade de estilos que levam o público a dançar e se divertir, indo do genuíno forró pé de serra, ciranda, maxixe, carimbó, frevos a música clássica, sem abrir mão do bolero, choros e sambas. O show homenagem “Ceará Vive Pernambuco e Pará”, com Dona Zefa, acontece às 20h30.
O extenso primeiro dia, do Ceará, do Noites Brasileiras, continua no Estoril, às 21h30, com a Cia. de Dança Vatá, e o espetáculo “Etnografia de Mim”. Com um corpo que questiona sua própria história de passado, onde presente é gerúndio e futuro inquietação, a bailarina Valéria Pinheiro em seus 25 anos de pesquisa sobre o corpo, apresenta sua mais nova obra coreográfica. Às 22h será a vez do cantor David Duarte, apontado pela crítica e nos circuitos alternativos como um dos mais legítimos sucessores do “Pessoal do Ceará”, . O cantor, compositor, instrumentista e produtor musical apresenta seu show Minha vida, Minha História, onde revisita os grandes sucessos de sua carreira.

Grupo musical atuante na atual cena cearense desde 2008, a banda Nigroover apresenta seu show às 23h, fazendo releituras interessantes de sucessos da música de raiz negra. Transitando entre samba-rock, funk, Soul, Afrobeat e seus desdobramentos, sem se prender a modismos ou conveniências comerciais. Hoje executa forte trabalho autoral.
Luxo da Aldeia, que tem seu nome foi inspirado na música Terral do cantor e compositor Ednardo, anima os pré-carnavais de Fortaleza, desde 2007, sempre homenageando a cultura musical do Ceará, executando canções carnavalescas de compositores e músicos cearenses de nascimento ou de coração. Eles fecharão o primeiro dia, do Ceará, no Festival Noites Brasileiras. Confira a programação de sexta e sábado:




Noite do Pará: Sexta-Feira, Dia 13 de dezembro

18h00: Abertura dos Stands de Gastronomia e Institucionais.

20h: Espetáculo de Teatro e Dança: “Ciao! Buona Notte, Finito...” - Companhia de Investigação Cênica.
A Trama - Associação de Teatro e Dança da Amazônia, promove o encontro entre o palhaço e a bailarina. O espetáculo promove a fusão entre dança contemporânea e as técnicas circenses, ao trazer a metáfora das transformações.

21h30: Show Musical: “Pinduca”.
Conhecido como o "Rei do Carimbó", o cantor e compositor Pinduca é um dos maiores representantes da cultura popular no Brasil. Esse filho do Pará leva sua música e seus estado por onde passa.

23h: Show Musical: “Gang do Eletro”.
A banda que nasceu em 2008, é hoje trilha sonora de novela, causa movimentos involuntários de pernas, braços, ombros, pescoço e quadril, de quem a ouve. Isso mesmo! A gang do Eletro te faz tremer e dançar ao som do Pará.

 Noite do Pernambuco: Sábado, Dia 14 de dezembro

15:00h: “Territórios Criativos”: Encontro de Gestores, Produtores e Artistas Brasileiros.

18:00h: Abertura dos Stands de Gastronomia e Institucionais.

18:30h: Espetáculo de Teatro: “Cafuringa” – Grupo Cafuringa.
O espetáculo narra à história do ventríloquo, embolador, vendedor de pomadas e garrafadas: Cafuringa. Um recorte no tempo, de seus momentos brincantes até a sua expulsão do Pátio do Carmo.

19:30h: Espetáculo de Dança: “Delírio” - Ângelo Madureira.
O solo de Ângelo Madureira, questiona sobre a dança, sobre o frevo. E o que sobraria da dança se tirasse a música do frevo? Foi a partir dessa indagação que nasceu essa obra forte e lúdica que busca representar a dança popular em cena.

21:30h: Show Musical: “Silvério Pessoa”.
O musico dá tratamento contemporâneo a referências do cancioneiro popular da Zona da Mata, Agreste e Sertão do estado de pernambuco, com o cuidado de não descaracterizá-las. Rock, hip-hop, punk e intervenções eletrônicas são algumas sonoridades absorvidas pelas tradições e refletidas num trabalho que sai do interior de Pernambuco e conquista ouvintes do mundo todo.

23h: Show Musical: “Karina Buhr”.
A cantora, compositora e ilustradora, que em 2012 foi indicada ao VMB nas categorias "melhor disco","melhor música|" e "melhor artista feminino", desembarca em Fortaleza para fechar com chave de ouro a programação do Noites Brasileiras.











   Kaiser Fest agita começo das férias em Fortaleza

Sorriso Maroto, Belo, Leo Santana & Parangolé, Psirico, Dorgival Dantas e Solteirões do Forró são as atrações do evento que acontece nesse fim de semana no Centro de Eventos


A terceira edição do Kaiser Fest vai esquentar a temporada de férias em Fortaleza. O evento, que já entrou no calendário festivo da capital cearense, acontece no dia 14 de dezembro, no Centro de Eventos. Os amantes do pagode, da swingueira e do forró vão ter uma noite de muita animação, curtição e boa música, ao som de Sorriso Maroto, Belo, Leo Santana & Parangolé, Psirico, Dorgival Dantas e Solteirões do Forró. Uma grande estrutura vai ser montada no Centro de Eventos para garantir conforto ao público, com dois palcos, camarotes, bares, sistema de som e iluminação diferenciada, além das novidades propostas por cada atração para consagrar a festa.
O ano de 2013 confirmou a importância do Sorriso Maroto no cenário musical brasileiro. Depois do sucesso do DVD comemorativo de 15 anos de carreira e de vencer o prêmio Multishow 2013 na categoria Melhor Grupo, o Sorriso Maroto lançou o EP "Sorisso Riscos e Certezas", com o clima do “pagodinho diferente” marcante do grupo. O CD traz seis músicas que prometem fazer a galera sambar e se emocionar, como a canção romântica “Mais fácil (Easier)”, em que o Sorriso canta com Brian Mcknight, músico norte-americano que conquistou o Brasil com a música “Back At One”. Em “Guerra Fria”, o grupo conta com a participação especial da dupla sertaneja Jorge & Mateus. O CD traz também a bônus track “Fofinha Delícia (Excesso de Gostosura)”, tema de Perséfone (Fabiana Karla) na novela Amor à Vida. O DVD Sorriso 15 Anos continua com várias músicas entre as mais tocadas do país, como: Vai e Chora e Brigas Por Nada. O clipe da música “Mais Fácil” foi lançado no canal Multishow. O vídeo foi gravado no início de outubro na Estação Leopoldina (Rio de Janeiro) e conta com as participações do cantor Brian McKnight e da atriz Cris Vianna.
Belo, outra atração deste ano do Kaiser Fest, começou no Soweto em 1996. Poucos anos depois, o grupo explodiu e projetou-o a uma carreira solo das mais bem sucedidas entre os músicos brasileiros – mais de 7 milhões de discos vendidos, CDs e DVDs ao vivo e em estúdio, músicas entre as mais executadas do país nas rádios e TV. Quando Belo decreta que é tudo novo, pode entender que é “Tudo Novo” de verdade. Tanto que a expressão batiza seu 11º álbum em 13 anos de carreira solo.

O Psirico é considerado um dos mais conceituados grupos baianos e em visível ascensão no cenário musical do país. O cantor Márcio Victor, um ícone da percussão brasileira, leva sua experiência para o grupo, e torna a banda diferente das outras, por possuir uma percussão pulsando forte, combinada com arranjos inteligentes, que são executados por músicos jovens e talentosos. A banda prepara o lançamento do terceiro DVD Psirico – A Fábrica de Música e Sonhos, gravado durante a última temporada dos ensaios de verão, e conta com as participações especiais de Saulo Fernandes, Aviões do Forró, Harmonia do Samba e É o Tchan. O DVD será lançado nos ensaios que estão programados para começar em dezembro de 2013, e que prometem momentos marcantes, sempre com convidados especiais.

Líder da banda Parangolé há cinco anos, Léo Santana se consagrou e se consolidou na música nacional pela sua presença marcante e pela sintonia com o som contagiante e envolvente da banda. Léo, que contabiliza quatro Cd´s e dois Dvd´s de carreira, além de seis clips que já ultrapassam 08 milhões de visualizações, estará também no Kaiser Fest.
Atualmente, Dorgival Dantas é um dos nomes mais expressivos da música brasileira. Tecladista, cantor, sanfoneiro e compositor, passou a ser reconhecido nacionalmente após ter composições gravadas por artistas como Tomate, na época vocalista da Banda Rapazzola, Maria Cecília & Rodolfo, Garota Safada, Bruno e Marrone, César Menotti e Fabiano, Alexandre Pires, Tchê Garotos, Guilherme e Santiago, Fagner, Flávio José e Frank Aguiar. O ano de 2013 foi um marco na carreira do poeta que gravou seu primeiro DVD, na casa de shows Siará Hall, em Fortaleza. Um trabalho disposto a unir os maiores sucessos de sua carreira, em especial aqueles aclamados pelo público como verdadeiros hinos do bom forró. No repertório, canções com “Valeu”, “Paixão Errada” e “Declaração”, sob novos arranjos. Agpra Dorgival reencontra seus fãs no Centro de Eventos.
A história do forró ganhou um toque especial após o surgimento da banda Solteirões do Forró. Sob o comando da dupla Taty Girl e Zé Cantor, o grupo trouxe uma proposta moderna e inovadora, unindo o autêntico forró nordestino ao contemporâneo, agregando instrumentos eletrônicos e criando uma nova formula para produzir música de qualidade, sem esquecer as raízes. A Solteirões finaliza a lista de atrações do terceiro Kaiser Fest.

Serviço:
O que: Kaiser Fest
Quando: 14 de dezembro, a partir das 17h.
Onde: Centro de Eventos do Ceará – Av. Washington Soares, 1141, Fortaleza, Ceará.
Atrações: Sorriso Maroto, Belo, Leo Santana & Parangolé, Psirico, Dorgival Dantas e Solteirões do Forró=
Pontos de vendas:
iByte (Av. 13 de Maio e Iguatemi)
Kokid Jeans (North Shopping, Shopping Benfica, Shopping Via Sul e Maracanaú)
DogVille (Shopping Fortaleza Sul e Maraponga Mart Moda)
site: www.ingressando.com.br.
Ingressos: variam de R$ 40,00 a R$ 400,00.
Camarote Backstage R$ 400,00 (inteira) R$200,00, Camarote Privilege R$ 220,00 (open bar) Camarote R$240,00 (inteira) R$120,00(meia), Frontstage R$200,00(inteira) R$100,00 (meia), Pista R$80,00(inteira) R$40,00(meia).











PATRIMÔNIO HISTÓRICO

Exposição "Bem do Brasil: Patrimônio Histórico e Artístico" é aberta no Museu do Ceará 


A exposição "Bem do Brasil: Patrimônio Histórico e Artístico" será aberta quarta-feira, 11/12, no Museu do Ceará. Exposição itinerante do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), a mostra tem curadoria de Lauro Cavalcanti, diretor do Centro Cultural Paço Imperial, design de Victor Burton e patrocínio do BNDES. A exposição retrata a diversidade do patrimônio cultural brasileiro em exemplares de todos os estados, representados em pinturas, gravuras e esculturas, além de filmes e fotografias. No Museu do Ceará, a exposição ganha o acréscimo de peças de instituições como o Museu Sacro São José de Ribamar e a Universidade Estadual do Ceará.

"Bem do Brasil" reúne desenhos, pinturas, gravuras e esculturas de artistas como Taunay, Facchinetti, Djanira, Tarsila do Amaral, Volpi, Ivan Serpa, Amilcar de Castro, Aluisio Carvão, Franz Weissmann, Guignard, Di Cavalcanti, Lasar Segall, Mestre Valentim, Arthur Bispo do Rosário, Goeldi, Samico, J.Borges e Portinari.
A mostra também traz peças de várias regiões do país, como violas-de-cocho de Mato Grosso, tambores da Crioula do Maranhão, oratórios mineiros e baianos, imagens de reis, santas e santos de igrejas de Pernambuco e do Museu de Arte Sacra de São Cristóvão - SE, esculturas das Missões Jesuítico-Guaranis no Rio Grande do Sul, ex-votos de romeiros do Ceará e Bahia, cajados de pais de santo, cerâmicas indígenas do Espírito Santo, carrancas do Velho Chico, cabeça de Boi Tinga do Pará, máscaras de Cavalhadas de Goiás, bonecos do Jequitinhonha, o jongo do Rio de Janeiro, cerâmicas e cabeças de ex-votos de procedências diversas.
A exposição foi o evento que reinaugurou o Palácio do Planalto, em Brasília, em setembro de 2010, antes de seguir para o Centro Cultural Paço imperial, em dezembro do mesmo ano, no Rio de Janeiro. "Bem do Brasil", que também já passou por São Miguel das Missões-RS e Recife-PE, reúne 18 painéis fotográficos com imagens das peças expostas em Brasília e no Rio de Janeiro, sempre acrescidos de obras de acervo local e ampliando a visibilidade dos bens culturais brasileiros.
Diretora do Museu do Ceará, Carla Vieira destaca a importância de o Estado receber a exposição, que traz a Fortaleza parte do acervo do Centro Cultural Paço Imperial. "Todos estão convidados a apreciar a exposição, que abrange uma enorme diversidade de técnicas, linguagens, épocas, autores e estilos, numa oportunidade importante para o público e para a cena cultural e artística cearense", ressalta Carla Vieira.

Serviço:
"Bem do Brasil: Patrimônio Histórico e Artístico". Exposição no Museu do Ceará (Rua São Paulo, 51, Centro, de 9h às 17h. Informações: 3101-2610). Abertura: quarta-feira, 11/12. Entrada franca. Exposição itinerante do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), a mostra tem curadoria de Lauro Cavalcanti, diretor do Centro Cultural Paço Imperial, design de Victor Burton e patrocínio do BNDES. No Museu do Ceará, a exposição tem o acréscimo de peças do Museu Sacro São José de Ribamar e da Universidade Estadual do Ceará.










CINEMA DE ARTE

Capital cearense recebe 'Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul'

Fortaleza recebe até o dia 14 de dezembro a “8ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul”, em cartaz no Cine Benjamin Abrahão da Casa Amarela Eusélio Oliveira, da Universidade Federal do Ceará (UFC). O evento é uma iniciativa da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), em parceria com o Ministério da Cultura (MINC) e acontecerá em todas as capitais do Brasil, no Distrito Federal e em mais de 600 pontos espalhados por cidades do interior do país.
As obras têm um foco em comum: o fortalecimento da educação e da cultura em direitos humanos, o respeito às diversidades e o exercício da cidadania. Além disso, elas abordam diversos temas relacionados aos direitos humanos, como inclusão das pessoas com deficiência, diversidade sexual, direito à memória e à verdade, população de rua, preconceito racial, direito ao trabalho digno, entre outros.  O público poderá votar para escolher os melhores.

Iniciada em dezembro de 2006, em alusão ao aniversário da Declaração dos Direitos Humanos, a 8ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul é uma produção da Universidade Federal Fluminense (UFF). O evento garante acessibilidade: toda a filmografia é exibida com closed caption (o sistema permite que legendas informem não apenas o que é dito, mas também todos os sons que fazem parte da cena) para pessoas com deficiência auditiva e haverá sessões com audiodescrição para pessoas com deficiência visual, onde o narrador descreve com o máximo de detalhes o que pode ser visto na cena e o que é indicado fora dela. “Nossa proposta é utilizar a linguagem cinematográfica para estabelecer um diálogo direto com a população. A Mostra tem o importante papel de disseminar e fortalecer a educação e a cultura em Direitos Humanos, especialmente de forma a alcançar os setores historicamente excluídos ou com menos acesso a bens culturais, tratando do enfrentamento a todas as formas de violações de direitos”, assinala a ministra de Estado-Chefe de Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário Nunes.
Para o Reitor da Universidade Federal Fluminense, Roberto Salles, o diálogo com a Secretaria dos Direitos Humanos na esteira da Mostra coloca a Universidade no lugar que ele acredita ser de sua natureza: “um lugar de compromisso com o direito e com a potência da diferença e dos ideais democráticos que visam, antes de tudo, permitir que todos possam participar ativamente dos destinos do mundo”.
Serviço8ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul.
Local: Cine Benjamin Abrahão da Casa Amarela Eusélio Oliveira, da Universidade Federal do
Ceará (UFC), na Av. da Universidade, 2591- Benfica.
Entrada Franca.









CINEMA CEARÁ

“Colegas” e “Palhaços” foram destaques na premiação do I FestCine São Gonçalo
A cidade de São Gonçalo do Amarante, distante 60 km de Fortaleza, transformou-se na cidade da Sétima Arte durante esta última semana com a realização do I FESTCINE SÃO GONÇALO. O festival encerrou sua edição na noite deste domingo, 08 de dezembro, quando foram anunciados os vencedores das mostras competitivas de curta e longa-metragem nas quais destacaram-se  o curta-metragem Palhaços Tristes, de Rafael Lobo (DF), foi agraciado com o prêmio de Melhor Filme e Melhor Diretor. Já o aclamado longa-metragem Colegas, de Marcelo Galvão (SP), recebeu os prêmios de Melhor Filme, Melhor Diretor e Júri Popular.
Antes, a noite foi de homenagens ao prefeito de São Gonçalo do Amarante, Cláudio Pinho, à coordenadora pedagógica do SESC Ler de São Gonçalo do Amarante, Vênus de Andrade Cunha e homenagem in memoriam ao escritor, ex-deputado, prefeito e secretário de cultura, Barros Pinho. Segundo o prefeito Cláudio Pinho, o festival representa um novo tempo para a cultura de São Gonçalo do Amarante.
O festival em seu período de inscrição recebeu produções de realizadores cearenses, de produções de várias regiões do País e da Argentina. Os filmes escolhidos para compor as mostras competitivas concorreram ao Troféu Barros Pinho e premiação em dinheiro.
Nos dias de evento aconteceu a feira de artesanato reunindo a produção dos artesãos locais e shows musicais.

PREMIAÇÃO – I FESTCINE SÃO GONÇALO
CATEGORIA CURTA-METRAGEM
MELHOR FILME – PALHAÇOS TRISTES, DE RAFAEL  LOBO (DF)
 MELHOR DIRETOR -  RAFAEL  LOBO - PALHAÇOS TRISTES (DF)
 MELHOR FOTOGRAFIA -  FELIPE MENEGHEL -  I STILL LOVE YOU (PR)
 MELHOR ATOR – DANILO ANDRADE – OS LADOS DA RUA (ES)
MELHOR ATRIZ – FERNANDA MONTENEGRO – A DAMA DO ESTÁCIO (RJ)
MELHOR ROTEIRO – EDUARDO ADES - A DAMA DO ESTÁCIO (RJ)
 MELHOR TRILHA SONORA  -  FABRICIO LICKS  - A ÚLTIMA REUNIÃO DANÇANTE  (RS)
 MENÇÃO HONROSA – DAMAS DA LIBERDADE – CELIA GURGEL E JOE PIMENTEL (CE)
 JÚRI POPULAR – SUASSUNA – PELEJA DO SONHO  COM A INJUSTIÇA -  FILIPE GONTIJO (DF)

 CATEGORIA LONGA-METRAGEM

MELHOR FILME – COLEGAS, DE MARCELO  GALVÃO (SP)
 MELHOR DIRETOR – MARCELO GALVÃO  – COLEGAS  (SP)
 MELHOR FOTOGRAFIA – RODRIGO ALAYETE  - MINUTOS ATRÁS (RJ)
 MELHOR ATOR – VLADIMIR BRICHTA – MINUTOS ATRÁS (RJ)
MELHOR ATRIZ – MARIA LUIZ TAVARES – ELES VOLTAM (PE)
 MELHOR TRILHA – PAULINHO MOSKA – MINUTOS ATRAS (RJ)
 MELHOR ROTEIRO – CAIOH SÓH – MINUTOS ATRÁS  (RJ)
 JÚRI POPULAR – COLEGAS (SP)
MENÇÃO HONROSA – ALUMBRONES - BRUCE DONNELLY (BR/EUA )











GASTRONOMIA

Novo espaço exclusivo para os amantes de vinhos na Aldeota

A partir desta quinta-feira (12), o público cearense poderá conferir um novo espaço dedicado ao consumo de vinhos. A Zug Choperia agora contará com um balcão exclusivo para o serviço de vinhos e espumantes do grupo Casa Valduga.
O diferencial do novo espaço temático é que serão vendidos  vinhos e  espumantes em taças e acompanhados de canapés, numa harmonização desenvolvida por Barny Kopf, sócio da Zug, e o sommelier Marco Ferrari.
O cliente poderá optar entre uma taça de um dos premiados espumantes da vinícola, como o Brut 130, um champenoise de 36 meses de maturação, recentemente premiado em concurso na França, ou um vinho, branco ou tinto, escolhido entre os da Vinícola Casa Valduga e os rótulos importados pela Domno, empresa que pertence ao grupo.
Os preços dos espumantes em taça custam a partir de R$ 15,90 (Casa Valduga Arte Brut) acompanhado da dois canapés especiais do chef, até a opção para duas pessoas, com duas taças de Casa Valduga 130 Brut  e quatro canapés a R$ 47,90. O espaço Casa Valduga na Zug será inaugurado nesta quarta-feira (11) em evento para convidados e abrirá ao público na quinta-feira (12).











Aula-espetáculo homenageia 50 anos de teatro da atriz Antonieta Noronha

"A Atriz Proletária", de Ricardo Guilherme, será apresentado nesta segunda-feira


Os 50 de anos de teatro da atriz cearense Antonieta Noronha serão celebrados na próxima segunda-feira, dia 16, às 20 horas, no Teatro que leva o seu nome. Na ocasião, o também ator, diretor, professor e pesquisador em artes cênicas, Ricardo Guilherme, irá apresentar a aula-espetáculo “A Atriz Proletária”, que aborda os 50 anos de teatro de Antonieta e a define como uma operária, uma artesã, uma trabalhadora braçal e servidora da cena teatral.
O espetáculo presta homenagem à atriz e à sua versatilidade, seja interpretando comédias, dramas ou tragédias, papéis de pequena ou grande repercussão. De acordo com Guilherme, “é irrelevante, porque em qualquer espaço cênico Antonieta é uma cigarra que, independentemente do verões ou dos invernos, faz e refaz o seu trabalho de formiga”.
O evento, promovido pelo Centro Cultural Banco do Nordeste com o apoio da Secretaria de Cultura de Fortaleza, será seguido de solenidade em que Antonieta Noronha será homenageada formalmente com a entrega de uma placa.
O Teatro Antonieta Noronha foi inaugurado no dia 26 de maio de 2004 com apresentação do espetáculo "Um minuto de silêncio", interpretado por Antonieta Noronha. Antonieta, a homenageada, concluiu o curso de Arte Dramática da Universidade Federal do Ceará em 1964 e, de lá para cá, passou por vários grupos de teatro, entre eles a Comédia Cearense e o Teatro Novo, sendo dirigida por diretores como Marcus Miranda e B. de Paiva, de quem foi aluna.
Brilhou na TV Ceará, para onde foi levada pelo seu mestre, Marcus Miranda, interpretando a fofoqueira Olinda, do programa "Dois na berlinda", ao lado de "Praxedinho". Estreou no cinema no filme "Dora Doralina" ao lado de Vera Fischer e Cleide Yácones. Foi premiada nacionalmente como atriz nos filmes "O amor não acaba às 15h30min", "Deixa-me ficar" e "Tempo da Ira". Trabalhou ao lado de Fernanda Montenegro no longa "Central do Brasil".
O Teatro Antonieta Noronha reabriu suas portas em 29 de abril de 2012, totalmente recuperado em sua estrutura física. A restruturação contemplou cada detalhe: telhado, palco, camarim e piso; paredes, cadeiras,instalações elétricas. Ainda foram adquiridos refletores e uma especial atenção foi dada à questão da acessibilidade, com a construção de rampas. O espaço passou a contar com uma agenda semanal, que incluí além de espetáculos teatrais, apresentações musicais e oficinas.

SERVIÇO
Aula-Espetáculo “A Atriz Proletária” - Homenagem aos 50 anos de teatro da atriz Antonieta Noronha
Quando: Segunda-feira (16), às 20h
Onde: Teatro Antonieta Noronha (Rua Pereira Filgueiras, 4 – Centro)
Informações: 3105.1386


ARTES PLÁSTICAS, ARQUITETURA, DESIGN, DECORAÇÃO


Sesc realiza exposição com obras de Portinari em Fortaleza

Depois de promover a circulação pelo interior do Estado, a partir da terça-feira (17), o *Sesc traz para Fortaleza a exposição “Portinari Trabalho e Jogo”. O acervo, que faz parte do projeto ArteSesc, do Departamento Nacional, fica em exposição até o dia 17 de janeiro, no Salão de Exposição do Sesc Senac Iracema.
Com entrada gratuita, a visitação acontece de segunda à sexta, das 9h às 20h30 e aos sábados e domingos, das 16h às 20h. As escolas podem agendar visitas, através do número (85) 3452.9090 ou 3252.2215.
O projeto ArteSesc reproduziu – fotograficamente – pinturas, gravuras e desenhos de Cândido Portinari em formato de trabalho e jogo, com o objetivo de facilitar o acesso do público brasileiro aos acervos dos museus. A mostra, destinada ao público infanto-juvenil, busca integrar os conceitos de trabalhar e brincar.
Dentre as obras do artista, os visitantes poderão encontrar trabalhos como: Lavadeiras; Menino com carneiro; O sapateiro de Brodósqui; Grupo de meninas brincando e Menino com pião.
Fruto de uma parceria entre o Sesc e os museus Castro Maya e o Projeto Portinari, o acervo, que percorre o País, segue no Ceará, indo para Iguatu no final de janeiro a março de 2014.
Menino pobre de Brodósqui, cidade interior de São Paulo, Cândido Portinari retratou sua terra e sua gente, colocando cores e formas em cenários tão reais que se transformaram em obra de arte. A delicadeza do traço, a expressão marcante dos trabalhadores, as cenas rurais e as brincadeiras de criança são parte integrante de suas criações.

SERVIÇO
Exposição – “Portinari Trabalho e Jogo” em Fortaleza
Local: Salão de Exposição do Sesc Senac Iracema (R. Boris, 90 – Praia de Iracema)
Visitação
Período: 17/12/2013 a 17/01/2014
Horário: Seg a sex – 9h às 20h30 / Sab e dom – 16h às 20h
Informações: (85) 3452.9090 / 3252.2215
Gratuito

BARES, BARRACAS DE PRAIA, CAFÉS, CLUBES, SANDUICHES, SORVETES


Boteco Praia em clima de férias

No Boteco Praia o clima é de festa o ano inteiro! O bar é sinônimo de descontração, diversão e garantia de um bom atendimento, chopp gelado e delícias gastronômicas e é o lugar ideal para quem vai curtir o período de férias em Fortaleza.
Todos os dias a casa abre para o happy hour com shows ao vivo para ambientar o clima. Sua programação musical foi repaginada e conta agora com novas atrações, além de a música começar mais cedo na sexta-feira. E para garantir a diversão entre amigos, o Boteco Praia transmite, em nove televisões, todas as lutas do Ultimate Fighting Championship® (UFC).
Localizado na Avenida Beira Mar, com espaço para 500 pessoas, o Boteco Praia oferece variado menu de petiscos de boteco tradicionais e a base de frutos do mar, além de menu a la carte, disponível também para o almoço nos finais de semana. A casa conta também com excelente carta de vinhos, espumantes e champanhe.


 
PROGRAMAÇÃO DE DEZEMBRO – SHOWS AO VIVO

2ª-feira
20h30 Marcos Nunes (MPB, voz e violão)

3ª-feira
20h30 The Jones (Pop rock internacional)

4ª-feira
20h30 Neto Rodrigues (Pop rock nacional e som de barzinho)

5ª-feira
20h30 Sergio e Leo (Sertanejo)

6ª-feira
17h00 Neto Rodrigues (Voz e violão)
19h00 Zona Azul (Pop rock nacional e internacional)
22h00 Outdoor (Pop rock nacional e internacional)

Sábado
13h – 17h Feijoada e Chorinho de Boteco
17h00 Singular (Pop rock nacional e internacional)
20h30 Vitrola 55 (Rock acústico)
23h00 Stefano Marques (Surf music)

Domingo
18h00 Mel Mattos (Bossa Nova e MPB)
20h30 Neto Rodrigues (Pop rock acústico)

SERVIÇO
Boteco Praia – Avenida Beira Mar, 1680, Meireles
Horário de funcionamento: de segunda à sexta, a partir das 17h; sábados e domingos, a partir das 12h
Bufê Feijoada (aos sábados): R$ 28,90 por pessoa
Couvert Artístico: R$ 5,90
Mais informações e reservas: 3248.4773

BASTIDORES

Morre Mestre da Cultura José Pereira de Oliveira, miniaturista de jangadas em Aquiraz


Artesão das miniaturas de jangadas, escolhido em 2006 como Mestre da Cultura pelo Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural do Ceará, José Pereira de Oliveira, Seu Oliveira, faleceu nessa quarta-feira (11), aos 88 anos, após duas paradas cardíacas e insuficiência respiratória - ele já havia sofrido seis acidentes vasculares cerebrais. O corpo está sendo velado na residência do artesão (Av. Damião Tavares de Souza, Prainha), em Aquiraz, a mesma cidade onde nasceu em 25 de setembro de 1925, numa casinha simples, a poucos metros do mar. Haverá missa às 15h desta quinta-feira (12), na Capela Nossa Senhora dos Navegantes, em Aquiraz, seguida do sepultamento às 16h20min, no Cemitério Municipal.
José Pereira de Oliveira tornou-se pescador numa época em que nem se usava fio de nylon – eram três fios de linha 10, grudados por um preparo à base de resina de cajueiro. Navegando em jangadas, fez grandes pescarias e conheceu boa parte da costa brasileira. Da lida, tornou-se artista. De tanto construir as embarcações, desenvolveu a inspiração e a arte para reproduzi-las em miniaturas, com um detalhamento que se destacava no artesanato da Prainha.
Para as grandes e minúsculas jangadas, Zé Oliveira tinha predileção pela vela de cor branca. A pedidos, para chamar mais a atenção dos turistas, passou a incluir nas miniaturas as velas amarela e vermelha, feitas com “cipó de imbé, que vem do olho da árvore, na mata fechada, onde as cobras cantam”, como dizia, ou com madeira imburana, raiz de cajueiro, tranca e matamatá, entre outros materiais.
Zé Oliveira casou-se com Auristela, com quem concebeu 15 filhos, embora dois tenham morrido na barriga da mãe e cinco tenham falecido ainda pequenos. A mulher com quem viveu por 59 anos também desenvolveu a habilidade artística, trabalhando como rendeira ao longo de toda a vida. Dona Auristela faleceu em 2011.
Seu Oliveira foi escolhido Mestre da Cultura por uma comissão formada por um representante do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-CE), André Luiz Costa; da Secretaria do Turismo do Estado (Setur), Francisco José Leite Barros, e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Olga Paiva, além dos representantes da Secretaria da Cultura do Estado, o teatrólogo Oswald Barroso, a socióloga Fátima Façanha e o coordenador do Patrimônio Artístico, Histórico e Cultural, Otávio Menezes. O resultado da seleção foi publicado no Diário Oficial de 30 de maio de 2006.

Mestres da Cultura

Indicado para receber o título de Mestre da Cultura em 2006, Seu Oliveira foi agraciado ao lado de outros 11 tesouros vivos, os mestres Antônio (Antônio Pinto Fernandes-Aurora), construtor de rabecas; Gilberto Calungueiro (Gilberto Ferreira de Araújo-Icapuí), que desenvolve teatro de bonecos; João Mocó (João Evangelista dos Santos-Granja), pela preservação da tradição do bumba-meu-boi; Joaquim de Cota (Joaquim Pereira Lima-Assaré), também já falecido e que se destacava pelo artesanato em couro; Seu Zé Matias (José Matias da Silva-Caririaçu), pela tradição do reisado; Mestre Joviniano (Joviniano Alves Feitosa-Crateús), mestre santeiro também já falecido; Mestre Graciano (Manoel Graciano Cardoso dos Santos-Juazeiro do Norte), que se destaca pelo artesanato em madeira; Dona Tatai (Maria Pereira da Silva-Juazeiro), também falecida e que tinha como tradição cultural a lapinha; Mestre Zé Pedro (Pedro Alves da Silva-Guaramiranga), pelo artesanato com trançado em cipó de Imbé; Sebastião Chicute (Sebastião Alves Lourenço-Capistrano), cordelista; e Mestra Zulene (Zulene Galdino Sousa-Crato), pela preservação do pastoril, dança do coco, maneiro pau.
Desde 2004, o título de Mestre da Cultura já foi entregue a 68 pessoas e cinco grupos. Outros dois mestres e mais três grupos serão agraciados em 2013. Com a morte do Mestre Zé Oliveira, a lista passa a ter 14 mestres falecidos.

BELEZA

Primavera-Verão 2014: Fuller Cosméticos lança Linha Águas da Manhã
 
Os lançamentos "Águas da Manhã Frescor" e " Águas da Manhã Flores" chegam ao mercado como opções de colônias  leves, refrescantes  e com fragrâncias duradouras

Fuller, marca importada de cosméticos da Multinacional Tupperware Brasil, apresenta o lançamento da nova linha Águas da Manhã Desodorante Colônia. Adequadas para as regiões mais quentes do país, "Frescor" e "Flores" são as duas novas fragrâncias consideradas ideais para o clima tropical e para as mulheres que buscam perfumes suaves, que prolongam a sensação de frescor "pós banho".
Para Luiza Souza, diretora de marketing da Tupperware Brasil, o banho é um ritual de relaxamento. “Fragrâncias que proporcionam sensação de frescor e bem-estar durante todo o dia são muito procuradas durante a estação primavera-verão", explica.

As fragrâncias
Águas da Manhã Frescor:

Oferece, em sua primeira esfera, a Bergamota, o Abacaxi, Maçã e Laranja. No corpo, estão a Rosa, a Gardênia, o Lírio do Vale, o Pêssego e o Patchouli. Já a última esfera é composta de Musgo de Carvalho, Vetiver, FavaTonka, Baunilha e Almíscar, que dão um toque especial à fragrância.

Águas da Manhã Flores:

Notas de Bergamota, Limão e Abacaxi transmitem uma sensação única logo nos primeiros segundos de aplicação. Fougére, Gerânio e Lavanda - notas de corpo -, proporcionam o bem-estar. E, para finalizar, o Almíscar e acordes amadeirados, como notas de fundo.

As colônias possuem frascos com volume maior, ideais para serem usadas várias vezes ao dia. Ambas as fragrâncias estão disponíveis em todo o território nacional, por meio do sistema de venda direta. Para adquiri-las, entre em contato com as revendedoras e distribuidores da marca pelo site: www.tuppeware.com.br no link Encontre um Distribuidor.

 Serviço
Águas da Manhã Frescor ou Flores Desodorante (250 ml)
Preço Sugerido: R$ 38,00
Telefone: (11)  3054-5913
Site: www.tupperware.com.br

CENA GLS

AGUARDEM AS NOVIDADES DO DIVIRTA-CE DE DEZEMBRO...

CONCURSOS, PROMOÇÕES, EDITAIS

AGUARDEM AS NOVIDADES DO DIVIRTA-CE DE DEZEMBRO...

CINEMA

“O Hobbit: A Desolação de Smaug” é sombrio mas diverte 

Novo filme é uma das estreias da semana nos cinemas de Fortaleza

As férias nos cinemas já começaram, trazendo grandes blockbusters hollywoodianos. “O Hobbit: A Desolação de Smaug” é a novidade da semana no circuito. O filme começa com tom diferente do primeiro, “Uma Jornada Inesperada”. Começa também distinto do livro, incorporando elemento dos “Contos Inacabados” de J.R.R. Tolkien. E isso já é aspecto o suficiente para se sentir a mudança na continuação da saga de Bilbo Bolseiro e a Companhia dos Anões de seu anterior. Em um flashback, na já conhecida vila de Bree, Gandalf alerta Thorin Escudo-de-Carvalho do perigo que a Montanha Solitária carrega enquanto adormecida junto ao dragão que a habita. A missão é dada e a urgência tão presente na trilogia de “O Senhor dos Aneis” dá os seus primeiros sinais.


O espírito de alerta e do despertar de um mal elevam o envolvimento do longa-metragem que, embora tão longo quanto “Uma Jornada Inesperada”, é menos enfadonho e mais intenso. Isso também se deve a passagens de acontecimentos mais relevantes. Há uma grande diferença de tom entre “O Hobbit” de “O Senhor dos Aneis”. A saga do Um Anel é sobre salvar o mundo e a de Bilbo uma história de aventura. Mas a aproximação das duas trilogias, que agora transcende a aparição de rostos conhecidos, faz-se presente e a ruína da Terra Média está se iniciando.
A trilha sonora de Howard Shore e tomadas dos cenários da Nova Zelândia são suficientes para abrir o sorriso em qualquer espectador e fazer mergulhar no vasto universo criado por Tolkien e transportado à tela por Peter Jackson. Porém, agora, a preocupação com a missão e com o destino de todos é maior.
O esmero técnico continua grandioso. As cenas de ação são mais contextualizadas e não apenas preenchem buracos como em “Uma Jornada Inesperada” – elas fazem sentido. Usando o efeito do 3D com maestria, Peter Jackson dá mais profundidade ao já imenso território da Terra Média. A riqueza de produção dos cenários e os impressionantes movimentos e viagens de câmera são dignos de representar a magnitude e amplitude de cada sequência e ambiente e acrescentam a já refinada fotografia da bela Nova Zelândia.

CINEMA CEARÁ

“Colegas” e “Palhaços” foram destaques na premiação do I FestCine São Gonçalo
A cidade de São Gonçalo do Amarante, distante 60 km de Fortaleza, transformou-se na cidade da Sétima Arte durante esta última semana com a realização do I FESTCINE SÃO GONÇALO. O festival encerrou sua edição na noite deste domingo, 08 de dezembro, quando foram anunciados os vencedores das mostras competitivas de curta e longa-metragem nas quais destacaram-se  o curta-metragem Palhaços Tristes, de Rafael Lobo (DF), foi agraciado com o prêmio de Melhor Filme e Melhor Diretor. Já o aclamado longa-metragem Colegas, de Marcelo Galvão (SP), recebeu os prêmios de Melhor Filme, Melhor Diretor e Júri Popular.
Antes, a noite foi de homenagens ao prefeito de São Gonçalo do Amarante, Cláudio Pinho, à coordenadora pedagógica do SESC Ler de São Gonçalo do Amarante, Vênus de Andrade Cunha e homenagem in memoriam ao escritor, ex-deputado, prefeito e secretário de cultura, Barros Pinho. Segundo o prefeito Cláudio Pinho, o festival representa um novo tempo para a cultura de São Gonçalo do Amarante.
O festival em seu período de inscrição recebeu produções de realizadores cearenses, de produções de várias regiões do País e da Argentina. Os filmes escolhidos para compor as mostras competitivas concorreram ao Troféu Barros Pinho e premiação em dinheiro.
Nos dias de evento aconteceu a feira de artesanato reunindo a produção dos artesãos locais e shows musicais.

PREMIAÇÃO – I FESTCINE SÃO GONÇALO
CATEGORIA CURTA-METRAGEM
MELHOR FILME – PALHAÇOS TRISTES, DE RAFAEL  LOBO (DF)
 MELHOR DIRETOR -  RAFAEL  LOBO - PALHAÇOS TRISTES (DF)
 MELHOR FOTOGRAFIA -  FELIPE MENEGHEL -  I STILL LOVE YOU (PR)
 MELHOR ATOR – DANILO ANDRADE – OS LADOS DA RUA (ES)
MELHOR ATRIZ – FERNANDA MONTENEGRO – A DAMA DO ESTÁCIO (RJ)
MELHOR ROTEIRO – EDUARDO ADES - A DAMA DO ESTÁCIO (RJ)
 MELHOR TRILHA SONORA  -  FABRICIO LICKS  - A ÚLTIMA REUNIÃO DANÇANTE  (RS)
 MENÇÃO HONROSA – DAMAS DA LIBERDADE – CELIA GURGEL E JOE PIMENTEL (CE)
 JÚRI POPULAR – SUASSUNA – PELEJA DO SONHO  COM A INJUSTIÇA -  FILIPE GONTIJO (DF)

 CATEGORIA LONGA-METRAGEM

MELHOR FILME – COLEGAS, DE MARCELO  GALVÃO (SP)
 MELHOR DIRETOR – MARCELO GALVÃO  – COLEGAS  (SP)
 MELHOR FOTOGRAFIA – RODRIGO ALAYETE  - MINUTOS ATRÁS (RJ)
 MELHOR ATOR – VLADIMIR BRICHTA – MINUTOS ATRÁS (RJ)
MELHOR ATRIZ – MARIA LUIZ TAVARES – ELES VOLTAM (PE)
 MELHOR TRILHA – PAULINHO MOSKA – MINUTOS ATRAS (RJ)
 MELHOR ROTEIRO – CAIOH SÓH – MINUTOS ATRÁS  (RJ)
 JÚRI POPULAR – COLEGAS (SP)
MENÇÃO HONROSA – ALUMBRONES - BRUCE DONNELLY (BR/EUA )

CINEMA DE ARTE

Capital cearense recebe 'Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul'

Fortaleza recebe até o dia 14 de dezembro a “8ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul”, em cartaz no Cine Benjamin Abrahão da Casa Amarela Eusélio Oliveira, da Universidade Federal do Ceará (UFC). O evento é uma iniciativa da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), em parceria com o Ministério da Cultura (MINC) e acontecerá em todas as capitais do Brasil, no Distrito Federal e em mais de 600 pontos espalhados por cidades do interior do país.
As obras têm um foco em comum: o fortalecimento da educação e da cultura em direitos humanos, o respeito às diversidades e o exercício da cidadania. Além disso, elas abordam diversos temas relacionados aos direitos humanos, como inclusão das pessoas com deficiência, diversidade sexual, direito à memória e à verdade, população de rua, preconceito racial, direito ao trabalho digno, entre outros.  O público poderá votar para escolher os melhores.

Iniciada em dezembro de 2006, em alusão ao aniversário da Declaração dos Direitos Humanos, a 8ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul é uma produção da Universidade Federal Fluminense (UFF). O evento garante acessibilidade: toda a filmografia é exibida com closed caption (o sistema permite que legendas informem não apenas o que é dito, mas também todos os sons que fazem parte da cena) para pessoas com deficiência auditiva e haverá sessões com audiodescrição para pessoas com deficiência visual, onde o narrador descreve com o máximo de detalhes o que pode ser visto na cena e o que é indicado fora dela. “Nossa proposta é utilizar a linguagem cinematográfica para estabelecer um diálogo direto com a população. A Mostra tem o importante papel de disseminar e fortalecer a educação e a cultura em Direitos Humanos, especialmente de forma a alcançar os setores historicamente excluídos ou com menos acesso a bens culturais, tratando do enfrentamento a todas as formas de violações de direitos”, assinala a ministra de Estado-Chefe de Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário Nunes.
Para o Reitor da Universidade Federal Fluminense, Roberto Salles, o diálogo com a Secretaria dos Direitos Humanos na esteira da Mostra coloca a Universidade no lugar que ele acredita ser de sua natureza: “um lugar de compromisso com o direito e com a potência da diferença e dos ideais democráticos que visam, antes de tudo, permitir que todos possam participar ativamente dos destinos do mundo”.
Serviço8ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul.
Local: Cine Benjamin Abrahão da Casa Amarela Eusélio Oliveira, da Universidade Federal do
Ceará (UFC), na Av. da Universidade, 2591- Benfica.
Entrada Franca.







RESUMO DOS FILMES
8ª MOSTRA CINEMA E DIREITOS HUMANOS NA AMÉRICA DO SUL

Mostra COMPETITIVA

A cidade é uma só – Ardiley Queirós (Brasil, 2011, 73’)
Reflexão sobre os 50 anos de Brasília, tendo como foco a discussão sobre o processo permanente de exclusão territorial e social que uma parcela considerável da população do Distrito Federal e do entorno sofre, e de como essas pessoas restabelecem a ordem social através do cotidiano. O ponto de partida dessa reflexão é a chamada Campanha de Erradicação de Invasões (CEI), que, em 1971, removeu os barracos que ocupavam os arredores da então jovem Brasília. Tendo a Ceilândia como referência histórica, os personagens do filme vivem e presenciam as mudanças da cidade.

A Onda traz, o vento leva - Gabriel Mascaro (Brasil, 2012, 28’)
Rodrigo é surdo e trabalha numa equipadora instalando som em carros. O filme é uma jornada sensorial sobre um cotidiano marcado por ruídos, vibrações, incomunicabilidade, ambiguidade e dúvidas.

As Iracemas - Alexandre Pires Cavalcanti (Brasil, 2012, 84’)
Um olhar sobre a vida de quatro mulheres de uma mesma família que vivem isoladas num casebre de pau-a-pique na região do Alto do Mingú, entre os municípios de Rio Acima e Raposos (MG).

Acalanto - Arturo Saboia (Brasil, 2013, 23’)
Uma senhora analfabeta busca amenizar a saudade do seu filho ao solicitar a um conhecido para que leia diversas vezes a mesma velha e única carta enviada há dez anos por seu filho. Através dessas leituras, uma bonita amizade e cumplicidade é criada entre os dois.

Caíto - Guillermo Pfening (Argentina, 2012, 70’)
Caíto conta a relação de amor entre dois irmãos: Guillermo é ator e emigrou para Buenos Aires, Caíto ficou em Marcos Juárez, em Córdoba. Guillermo volta como diretor a sua cidade natal, com atores, câmeras, luzes e toda uma equipe técnica para fazer um registro documental do dia a dia de seu irmão. Ao observá-lo em sua relação com o pai, a fisioterapeuta, as mulheres, os amigos, descobre em Caíto um profundo desejo de ser pai. A partir desse momento, oferece a ele um relato de ficção para que seja o protagonista de sua história idílica.

Caixa D'água: Qui-lombo é esse? – Everlane Morais (Brasil, 2012, 15’)
O documentário "Caixa D'água: Qui-lombo é esse?" Relata, através de depoimentos de antigos moradores e de acervos fotográficos, a importância no âmbito cultural e histórico do bairro Getúlio Vargas localizado em Aracaju, capital de Sergipe. A ênfase é dada à cultura negra e à presença do negro escravo e seus descendentes, com o resgate de assuntos relacionados à sua origem, oralidade, localização geográfica e consciência - de sua identidade racial, mostrando que, apesar dessa comunidade existir em uma área urbana, ainda mantém muitos aspectos da vida em quilombo dos antigos negros escravos do Brasil.

Carga Viva - Deborah de Oliveira (Brasil, 2013, 18’)
Uma família, o tempo, o ofício. O tempo do ofício.

Codinome Beija-Flor - Higor Rodrigues (Brasil, 2012, 16’)
Viver é correr riscos. Com os relacionamentos, aprendemos a viver. Há marcas que são levadas para o resto da vida. Documentário sobre pessoas soropositivas.

Doméstica – Gabriel Mascaro (Brasil, 2012, 75’)
Sete adolescentes assumem a missão de registrar por uma semana a sua empregada doméstica e entregar o material bruto para o diretor realizar um filme com essas imagens. Entre o choque da intimidade, as relações de poder e a performance do cotidiano, o filme lança um olhar contemporâneo sobre o trabalho doméstico no ambiente familiar e se transforma num potente ensaio sobre afeto e trabalho.

Em busca de um lugar comum - Felippe Schultz Mussel (Brasil, 2012, 80’)
Rio de Janeiro, 2011. Anunciadas mundo afora como principal cenário das mazelas sociais brasileiras, as favelas cariocas se consolidaram como um dos pontos mais visitados do Rio. Imerso nos passeios pela Favela da Rocinha, o documentário investiga os desejos e as imagens envolvidas na construção deste disputado destino turístico. Um mercado que, atento às demandas, não cessa em projetar seus novos atrativos.

Ilegal.com – Alessandro Angulo Brandestini (Colômbia, 2012, 70’)
Este documentário explora as razões pelas quais a guerra contra as drogas nunca conseguiu erradicar o problema do narcotráfico e do consumo de droga.  Vários depoimentos de figuras importantes, como Ethan Nadelmann, Milton Friedman, Noam Chomsky, Daniel Mejía, Rodrigo Uprimny e Alfredo Rangel, entre outros, ajudam neste debate que contempla a opção de uma possível legalização.

Insurgentes – Jorge Sanjinés (Bolívia, 2012, 83’)
Através da reconstrução de momentos históricos cruciais na luta dos índios da Bolívia pela sua soberania perdida, em decorrência da colonização espanhola e da opressão dos descendentes dos criolos, regata-se a história de cada herói indígena que brilhou com luz própria na grande façanha que culminou com a ascensão de um índio à Presidência da Bolívia. 

Katia – Karla Holanda (Brasil, 2012, 74’)
Este documentário conta a história da primeira transexual eleita para um cargo político no Brasil. Além de mostrar como José se transformou em Kátia Tapety, o filme nos apresenta a trajetória política da travesti piauiense que lidou com o preconceito do pai na infância, mas hoje é respeitada entre seus conterrâneos. Ela foi a vereadora mais votada de seu município por três vezes consecutivas e chegou a vice-prefeitura da cidade de Colônia do Piauí, entre 2004 e 2008.

Malunguinho - Felipe Peres Calheiros (Brasil, 2013, 15’)
Malunguinho liderou o quilombo do Catucá, nos arredores de Recife, no início do século XIX. Apesar de ter sido assassinado em 1835, ainda hoje é cultuado pelos praticantes da Jurema Sagrada, religião de matriz indígena com influências africanas do Nordeste do Brasil.

Maio, nosso maio - Farid Abdelnour (Brasil, 2011, 12’)
Feita com software livre e em um processo coletivo, a animação "Maio Nosso Maio" apresenta de forma leve e compromissada uma leitura histórica que resgata o sentido original do Dia dos Trabalhadores.

O Prisioneiro – Martin Deus, Omar Zambrano e Juan Chappa (Venezuela, 2012, 24’)
Um grupo de escoteiros está jogando um jogo de estratégia nas montanhas quando dois integrantes da equipe amarela decidem fazer um membro da equipe vermelha prisioneiro.

Os dias com ele – Maria Clara Escobar (Brasil, 2013, 107’)
Maria Clara mergulha no passado quase desconhecido de seu pai, Carlos Henrique Escobar. As descobertas e frustrações de acessar a memória de um homem e de um período da história brasileira cheio de lacunas. Ele, um intelectual preso e torturado durante a ditadura militar, não fala sobre isso desde aquele tempo.

Leve-me pra sair - Zé Agripino (Coletivo Lumika) (Brasil, 2012, 19’)
Um grupo de adolescentes gays da cidade de São Paulo e suas visões de mundo.

“Paralelo 10” – Sílvio Da-Rin (Brasil, 2011, 87’)
Retrata um trabalho pioneiro e arriscado realizado em uma pequena base Xinane, da FUNAI, próximo ao Paralelo 10º Sul, oeste do Acre, na fronteira com o Peru. Em instalações simples, no meio da selva, o sertanista José Carlos Meirelles leva adiante a difícil missão de proteger os índios isolados da região, contando com o auxílio do antropólogo Terri Aquino. Com poucos recursos, os especialistas desempenham incansavelmente suas tarefas. Além de realizarem uma negociação permanente com as populações ribeirinhas da área, eles também lidam com o enfrentamento com traficantes e posseiros que tentam invadi-la.

Quando a casa é na rua - Thereza Jessouroun (Brasil, 2012, 35’)
O que leva crianças e jovens a viver nas ruas? O que faz com que deixem as ruas? O documentário procura responder essas perguntas com depoimentos e imagens cotidianas de jovens que cresceram nas ruas da cidade do México e do Rio de Janeiro.

Repare bem – Maria Augusta de Medeiros (Brasil, 2012, 95’)
Durante a ditadura militar no Brasil, Denise Crispim, filha de pais militantes, envolve-se com o guerrilheiro Eduardo Leite, conhecido como Bacuri. A relação dá origem a uma gravidez, no mesmo período em que o regime começa a perseguir a família de Denise. Em pouco tempo, seu irmão é assassinado e sua mãe é presa. Quanto à Bacuri, ele é torturado durante mais de três meses, e depois assassinado. Com o nascimento da pequena Eduarda, Denise consegue asilo político no Chile, embora o golpe de Pinochet force mãe e filha a se mudarem para a Itália. Mais de quarenta anos após os fatos, as duas recebem anistia do governo brasileiro, e decidem contar a sua história.

Sibila – Teresa Arredondo (Chile/Espanha/França/Perú, 2012, 95’)
Documentário sobre a vida e a família da chilena Sybila Arredondo, presa por 15 anos no Peru, acusada de fazer parte do grupo revolucionário Sendero Luminoso.

Silêncio - Alberto Bellezia / Cid César Augusto (Brasil, 2012, 12’)
João Melo é conhecido como silêncio. Ele mora numa caverna há 27 anos.

Uma História de Amor e Fúria – Luiz Bolognesi (Brasil, 2013, 75’)
Um homem com quase 600 anos de idade acompanha a história do Brasil, enquanto procura a ressurreição de sua amada Janaína. Ele enfrenta as batalhas entre tupinambás e tupiniquins, antes dos portugueses chegarem ao país, e passa pela Balaiada e o movimento de resistência contra a ditadura militar, antes de enfrentar a guerra pela água em 2006.

Mostra indígena

As hiper-mulheres – Takumã Kuikuro, Carlos Fausto, Leonardo Sette (Brasil, 2011, 80’)
Temendo a morte da esposa idosa, um velho pede que seu sobrinho realize o Jamurikumalu, o maior ritual feminino do Alto Xingu (MT), para que ela possa cantar uma última vez. As mulheres do grupo começam os ensaios, enquanto a única cantora que de fato sabe todas as músicas se encontra gravemente doente. Premiado no festival de Gramado com os prêmios Especial do Júri e Melhor Montagem.

Bicicletas de Nhanderu - Patrícia Ferreira e Ariel Ortega (Brasil, 2011, 48’)
Uma imersão na espiritualidade presente no cotidiano dos Mbya-Guarani da aldeia Koenju, em São Miguel das Missões no Rio Grande do Sul

Kene Yuxi, as voltas do Kene - Zezinho Yube (Brasil, 2006, 48’)
Ao tentar reverter o abandono das tradições do seu povo e seguindo as pesquisas do seu pai, professor e escritor Joaquim Maná, Zezinho Yube corre atrás dos conhecimentos dos grafismos tradicionais das mulheres Huni Kui auxiliado por sua mãe.

PI´ÕNHITSI, Mulheres Xavantes sem Nome – Divino Tserewahú, Tiago Torres (Brasil, 2009, 54’)
Desde 2002, Divino Tserewahú tenta produzir um filme sobre o ritual de iniciação feminino, que já não se pratica em nenhuma outra aldeia Xavante, mas desde o começo das filmagens todas as tentativas foram interrompidas. No filme, jovens e velhos debatem sobre as dificuldades e resistências para realização desta festa.

Mostra Vladimir carvalho

Barra 68 – Sem Perder a Ternura - Vladimir Carvalho (Brasil, 1961, 82’)
Desde os seus primórdios, Brasília foi fortemente marcada pelos acontecimentos políticos, como a renúncia de Jânio Quadros e o golpe militar de 64. Envolvida, a comunidade conheceu a intranquilidade e ficou estigmatizada pela repressão. Um dos seus bens mais preciosos, a Universidade, criada por Darcy Ribeiro, foi agredida em 64, 68 e 77. Na primeira vez a UnB foi ocupada por tropas militares e quase perdeu todo o seu corpo docente que voluntariamente se demitiu em protesto célebre.
A crise se arrastou por quatro longos anos e em l968, com o movimento deflagrado em reação ao assassinato de Edson Luís, no Rio de Janeiro, as ruas de Brasília assistiram aos embates entre estudantes e a polícia. As famílias sobressaltadas procuravam alento nos ofícios religiosos, enquanto cerca de 5OO jovens eram detidos numa praça de esportes no campus da UnB. Tudo culmina, depois de lances dramáticos com a prisão de parlamentares, o fechamento do Congresso Nacional e a promulgação do AI-5. Essa trajetória é resgatada através da urdidura de depoimentos, casos e histórias mesclados às raras imagens e sons que ficaram e perfazem, de uma época, uma memória imperfeita, mas sempre verdadeira.

Brasília Segundo Feldman - Vladimir Carvalho (Brasil, 1979, 22’)
Os primeiros tempos de Brasília, no último ano de sua construção. Depoimentos de pioneiros e trabalhadores sobre aquele momento e as condições de vida dos candangos. A trilha sonora vale-se de gravações realizadas à época, emprestando especial colorido ao filme.

Conterrâneos Velhos de Guerra - Vladimir Carvalho (Brasil, 1991, 153’)
Os primeiros tempos de Brasília, ainda era construção, em 1959. Os canteiros de obras se espalham por toda parte e os trabalhadores, chamados de candangos, afluem de vários pontos do país, especialmente do Nordeste. São péssimas as condições de trabalho, terminando por provocar uma chacina que vitimou grande número de operários. A memória deste e de outros episódios chega aos nossos dias pelo testemunho daqueles que viveram a experiência da construção da capital brasileira.

O Evangelho Segundo Teotônio - Vladimir Carvalho (Brasil, 1984, 85’)
Passagens da vida do senador alagoano Teotônio Vilela. Todo o processo de sua formação como homem público, desde a sua infância como menino de engenho até a etapa com sua campanha pela restauração democrática do país e a liberdade dos presos políticos. Ao final, a sua agonia vitimado pelo câncer contra o qual lutou até seus últimos dias.

O País de São Saruê - Vladimir Carvalho (Brasil, 1979, 80’)
A ação do homem nas terras secas do sertão nordestino, colonizado depois da luta contra os índios que foram exterminados. O latifúndio na exploração da terra gerou um sistema carregado de injustiça social, responsável pela miséria e o atraso da região. Esse quadro é visto e poetizado através dos três reinos da natureza: animal, vegetal e mineral, com a criação de gado, a lavoura do algodão e a exploração do ouro.

programas especiais

Argentina: Dreaming of a Clean River – 6´27”

Um dos rios mais poluídos do mundo atravessa Buenos Aires, o que ameaça a saúde da população mais pobre.  Agora, uma determinada menina de nove anos e sua mãe decidiram que “basta”.

Colombia: Wayuu “Gold” - 8´46”

Colombia – terra de uma das reservas mais preciosas do mundo.  Porém, nem todos os colombianos estão ganhando a sua parte.  Nós viajamos a um remoto lugar do país onde uma mulher extraordinária está lutando pela sobrevivência de sua comunidade.


Transformer: AK – 47s Into Guitars – 5´22”

Acreditar que as coisas podem mudar para melhor.  Isso é a chave para a recuperação de muitos indivíduos – e sociedade – depois de viverem momentos ruins. Esta é a história de um artista que ajuda as pessoas a imaginarem como podem transformar uma história de violência.


Los descendientes del Jaguar - Eriberto Gualinga, Mariano Machain, David Whitbourn (Equador/Inglaterra, 2012,  29’)
O processo de demanda do povo indígena de Sarayaku diante da Corte Interamericana de Direitos Humanos, em decorrência da exploração petrolífera durante o governo Gutiérez. A entrega desses territórios desrespeita a norma que indica que uma consulta deve ser feita aos habitantes.  O filme acompanha os habitantes que, em seus depoimentos, reivindicam a importância da natureza sobre a exploração do petróleo.

Paredes invisíveis: Hanseníase Região Norte - Caco Schmitt (Brasil, 2012, 35’)
O documentário conta a história da hanseníase e das pessoas atingidas pela doença na região Norte. Composto por relatos de pessoas que foram compulsoriamente internadas e isoladas em hospitais-colônia, além do registro do impacto da indenização concedida pela Lei 11.520/2007 em suas vidas.