domingo, 24 de setembro de 2017

INFANTIL

TIC chega à 7ª edição como um festival para todas as infâncias

Apresentado pelo Ministério da Cultura, CAIXA e Enel, o 7º Festival Internacional de Teatro Infantil do Ceará acontece de 06 a 12 em Fortaleza e de 11 a 16 em Sobral. Toda a programação tem acesso gratuito

 
​Espetáculo "Cordas Nupciais", do Circo Pitanga (Bélgica/Israel). Foto: Divulgação
.

Um festival para todas as infâncias. Com esse conceito o TIC – Festival Internacional de Teatro Infantil do Ceará chega à 7ª edição realizando 40 sessões gratuitas de espetáculos de artistas de diversos países. Com uma programação que mescla diferentes linguagens, estéticas e dramaturgias para todas as idades, o festival acontece de 6 a 12 de outubro em Fortaleza e de 11 a 16 em Sobral. O acesso é gratuito.

Do exterior, os espetáculos serão apresentados por artistas da Bélgica, Bósnia, Dinamarca, Espanha, Israel, Itália e Peru e as atrações nacionais são do Ceará, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Distrito Federal. A França também estará presente com a Mostra TIC na Tela, que acontecerá nos dias 7, 8 e 12 no Cinema do Dragão, com a exibição de curtas de animação produzidos na França. Serão cinco sessões destinadas a crianças com até 6 anos e cinco sessões para crianças a partir de 6 anos.

Com essa diversidade dos palcos, o TIC tem a proposta de oferecer uma mistura de atrações artísticas de qualidade para todos os gostos, como uma salada de frutas, cheia de cores, texturas e sabores, pronta para proporcionar ao público inúmeras sensações.

Esta edição do TIC se propõe ser como uma zona livre para a diversidade nos palcos e na plateia. Sobre a escolha do tema “Um festival para todas as infâncias”, os idealizadores e diretores do TIC, Osiel Gomes e Emídio Sanderson, detacam: “Somos todos um só povo, mas somos todos plurais. Carregamos diferenças em nossos corpos, nas nossas formas de ser, de habitar o mundo, de nos relacionar e celebrar. Num mundo onde somos forçados a nos encaixar a um padrão, ser diferente não é uma tarefa fácil. Envolve um processo de aceitação de nós mesmos, da nossa família, de nossos amigos e da sociedade”.

Apresentado pelo Ministério da Cultura, CAIXA e Enel, o 7º TIC é uma realização do Governo Federal, por meio do Ministério da Cultura (via Lei de Incentivo à Cultura). Tem o patrocínio da M Dias Branco e Caixa. Agradecimento: Naturagua e Enel. Apoio: Hapvida, Marisol e Governo do Ceará, através da sua Secretaria da Cultura. Parceria: Instituto Francês, Cinemateca da Embaixada da França, Consulado da França em Recife, Feccomercio, SESC, Theatro José de Alencar, Instituto Dragão do Mar, Prefeitura de Sobral e ECOA. Produção: Invento Produções Culturais. Promoção: Instituto Seara.

PARA RECÉM-NACIDOS

A abertura do 7º TIC será marcada por um espetáculo destinado a um público bem especial: recém-nascidos. Música nas Incubadoras é um trabalho desenvolvido pela Cia Studio Sereia, de Brasília. O trabalho reúne melodias vocais e sonoridades acústicas para a recuperação de bebês em incubadoras. São micros concertos apoiados no uso da voz e de diferentes instrumentos musicais que fazem referência simbólica aos quatro elementos da natureza. Este projeto se iniciou em Portugal e passou pela Espanha e por Brasília, tendo reconhecimento das famílias e da comunidade médica. Fundado pela cantora, multinstrumentista, compositora, diretora e atriz Fernanda Cabral, a Cia Studio Sereia se dedica, sobretudo, ao teatro para bebês, tendo como destaque a experiência da sua fundadora junto à companhia hispano-brasileira La Casa Incierta. As apresentações vão acontecer no dia 6, pela manhã e à tarde, no Hospital e Maternidade Eugênia Pinheiro, do grupo Hapvida, em Fortaleza.

PARA BEBÊS

Além do Música nas Incubadoras, da Cia Studio Sereia, para recém-nascidos, e de Borboletário do grupo Zepelim conte outra vez, para bebês,  o TIC recebe pela terceira vez, a companhia hispano-brasileira La Casa Incierta, que traz para esta edição seu novo trabalho de teatro também para bebês. A Gruta da Garganta é um canto poético sobre os laços invisíveis entre os seres humanos, o cordão umbilical que nos guia nos caminhos escuros da vida, como um misterioso fio de Ariadne. A apresentação será nos dias 11 e 12 em Fortaleza.

ESTREIA de QUATRO ESPETÁCULOS CEARENSES

A fim de ser uma vitrine para a produção de teatro infantil do Ceará, o 7º TIC será, mais uma vez, espaço de algumas estreias cearenses. O Senhor Ventilador é o novo trabalho do Grupo Bagaceira de Teatro, que aposta no teatro de objetos. Este é o quarto espetáculo para o público infantil, dentre os 16 montados pelo grupo, fundado há 17 anos. As apresentações acontecem nos dias 6 e 11 em Fortaleza.

grupo Zepelim conte outra vez lança Borboletário, teatro para bebês, recomendado para crianças entre 6 meses e 4 anos. Este espetáculo é fruto da participação do grupo na oficina de teatro para bebês ofertada pelo Encontro de Narrativas para a Infância, realizado pelo TIC, em 2014 e 2015. O espetáculo terá sessões de 6 a 8 em Fortaleza e nos dias 11 e 12 em Sobral.

Cia Prisma de Artes faz duas estreias nesta edição do TIC. A primeira é a montagem teatral A menina que buscava o sol, com direção de Herê Aquino, que será apresentada nos dias 10 e 11 em Fortaleza e dia 13 em Sobral. E no Dia das Crianças, 12 de outubro, o grupo estreia em Sobral o show musical Era Uma Vez Canta a Infância.

DESTAQUES INTERNACIONAIS

Atrações internacionais também são destaques no TIC. O Teatro Gaia (Bósnia/Peru) apresenta O Mundo de Fingerman, um premiado espetáculo onde, por meio da mímica e do teatro de animação, os personagens são criados a partir dos corpos das próprias atrizes. O Circo Pitanga (Bélgica/Israel), traz o espetáculo Cordas Nupciais, com números circenses de acrobacia, palhaços e teatro físico. Ambos serão apresentados nos dias 7 e 8 em Fortaleza.

O artista italiano radicado na Dinamarca, Paolo Nani, considerado um dos nomes mais importantes da comédia contemporânea, estará em Fortaleza no 12 de outubro com o seu premiado espetáculo A Carta, que desde 1992 já se apresentou mais de 1.200 vezes em 38 países. Unindo as linguagens do palhaço, do Teatro gestual e da comédia contemporânea, ele interpreta um homem que, numa tentativa de escrever uma carta, se envolve numa sequência de ações aparentemente normal. Inspirado em “Exercícios de estilo”, de Raymond Queneau, o espetáculo não deixa brecha para dois minutos sem risos na plateia.

MAIS DESTAQUES

Quem também está de volta aos palcos ceareneses é a Cia Pequod, do Rio de Janeiro, que traz seu novo espetáculo, Ovelha Negra. Em cena, bonecos e atores cantam num show ao vivo músicas do repertório de Rita Lee. A montagem será conferida pelo público de Fortaleza, nos dias 11 e 12.

Do Paraná, a Cia dos Palhaços apresenta a comédia musical Concerto em Ri Maior, um divertido espetáculo que mescla música, dança, improvisação, participação da plateia e, claro, muita palhaçada. Criado em 2004, o grupo é hoje composto por Eliezer Vander Brock (Palhaço Wilson), Felipe Ternes (Palhaço Sarrafo) e Nathalia Luiz (Palhaça Tinoca). O público poderá conferir o espetáculo no dia 12 em Fortaleza e dia 13 em Sobral.

Bricoleiros, considerado um dos principais grupos de teatro de animação do Ceará, apresenta o espetáculo Alika e o mundo às avessas. Fundado em 2004, o grupo, detentor de técnicas de confecção e de animação de marionetes, já circulou por diferentes cidades brasileiras e fora do país. A apresentação será no dia 10 em Fortaleza, com libras e audiodescrição.

K’Os Coletivo, do Ceará, é quem encerra a programação em Sobral, onde apresenta nos dias 15 e 16 seu mais recente trabalho, Guerra de Cup&Cake, uma comédia com palhaços, destinada a público de todas as idades.

MÚSICA

A cantora, violonista e compositora Badi Assad, uma das artistas mais inovadoras e singulares da música brasileira, traz ao festival o show musical Cantos de Casa. Transcendendo suas raízes brasileiras, ela faz uma mistura que vai desde a MPB, pop e world music, até o jazz e sons étnicos de todo o mundo. Sua apresentação encerra a programação em Fortaleza no dia 12 e será conferida pelo púbico de Sobral no dia 15.

ILUSTRA TIC

O Festival de Teatro Infantil do Ceará repete uma atividade que encantou o público infantil na edição de 2016, o Ilustra TIC. Ilustradores e crianças serão os criadores das obras de artes que darão o brilho na programação do Dia das Crianças, em Fortaleza, a partir das 16 horas na Praça Verde do Dragão do Mar. A ação conta com a participação dos artistas Rafael Limaverde, Julião Junior e Thyago Cabral, que criarão personagens em esculturas de caixas de papelão.

SERVIÇO
7º TIC – Festival Internacional de Teatro Infantil do Ceará – De 6 a 12 de outubro em Fortaleza e de 11 a 16 em Sobral. Informações: (85)3048.6077. Email: fest.teatroinfantil@gmail.com. Site: www.festivaltic.com.br. Programação GRATUITA.

SHOW

ARNALDO ANTUNES APRESENTA SEUS MAIORES SUCESSOS EM SHOW INTIMISTA NA CAIXA CULTURAL FORTALEZA

Acompanhado de dois instrumentistas, o artista revisita sua memória musical, recheada de grandes parcerias e de canções que se tornaram símbolos da MPB e do rock nacional


Arnaldo Antunes. Foto: Marcia Xavier

A CAIXA Cultural Fortaleza apresenta, de 19 e 22 de outubro de 2017, o projeto A Casa é Sua, com o cantor, poeta, compositor e artista plástico Arnaldo Antunes. Na ocasião, o público terá a oportunidade de conferir um show mais intimista, acompanhado de Chico Salem (violão e guitarra) e André Lima (teclados e sanfona), como forma de explorar com liberdade uma nova sonoridade a cada música, a partir das múltiplas combinações de violões, guitarras, teclados e sanfona. Essa formação, mais concentrada, revela as canções de outro modo, evidenciando mais as letras.

O repertório passeia por músicas de toda a carreira de Arnaldo Antunes, como Não Vou Me AdaptarO PulsoSaiba e Muito Muito Pouco. Além disso, o artista apresenta canções escritas em parceria com Paulo Miklos (Fim do Dia), Marisa Monte e Carlinhos Brown (Consumado), Liminha (Invejoso), Alice Ruiz (Socorro), entre outros.

Exposição

Multiartista brasileiro, Arnaldo Antunes emerge sua poesia em meios técnicos diversos, trabalhando a palavra irrompida em suas dimensões verbais, sonoras e visuais. Sua produção visual será apresentada na Caixa Cultural Fortaleza a partir de 19 de outubro na exposição Palavra em Movimento, que marca três décadas de produção visual do artista. Com obras e processo criativo marcados pelo vanguardismo, a mostra  propõe uma síntese dessa trajetória eclética, enfatizando a produção de Antunes no âmbito do circuito das artes visuais contemporâneas. A mostra segue até o dia 22 de dezembro, de terça-feira a sábado, das 10h às 20h, e domingo, das 12h às 19h. Entrada gratuita. Classificação: Livre.

Sobre Arnaldo Antunes

Poeta, cantor e compositor, nasceu em São Paulo em 1960. Integrou o grupo Titãs, com o qual gravou sete discos. Em carreira solo desde 1992, lançou os discos NomeNinguémO SilêncioUm SomO Corpo (trilha para espetáculo de dança do Grupo Corpo), ParadeiroSaibaQualquerAo Vivo no EstúdioIêIêIê, Ao Vivo Lá em Casa, A Curva da Cintura, Acústico MTV e Disco, além deTribalistas (com Marisa Monte e Carlinhos Brown) e Pequeno Cidadão (projeto infantil com Edgard Scandurra, Taciana Barros, Antônio Pinto e seus filhos). Tem vários livros publicados no Brasil (entre eles PsiaTudosAs Coisas2 ou + Corpos no Mesmo Espaço40 EscritosComo É Que Chama o Nome Disso e N. D. A., na Espanha (Doble Duplo) e em Portugal (Antologia).


Serviço:
Música: Arnaldo Antunes - A Casa é Sua
Local: CAIXA Cultural Fortaleza
Endereço: Av. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema
Data: 19 a 22 de outubro de 2017
Horários: quinta a sábado, às 20h | domingo, às 19h
Duração: 80 minutos
Classificação indicativa: Livre
Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)
Vendas a partir do dia 18/10, das 10h às 20h, na bilheteria do local 
Acesso para pessoas com deficiência e assentos especiais
Serviço de manobrista gratuito no local 

OUTUBRO

Bienal Internacional de Dança do Ceará festeja 20 anos de existência e chega a 11ª edição

Apresentada pelo Ministério da Cultura, Petrobras, Enel e Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, a XI Bienal começa no dia 19 de outubro com Edisca em Sobral e dia 20 em Fortaleza, no Theatro José de Alencar, palco da abertura oficial com a São Paulo Companhia de Dança e os cearenses Fauller e Wilemara Barros. A programação é gratuita e se estende a cinco outras cidades cearenses
Imagem inline 1
Nielson Souza e Ana Paula Camargo no pas de deux “Pássaro de Fogo”, da São Paulo Companhia de Dança. Foto: Wilian Aguiar

Em 1997 a Bienal de Dança do Ceará realizava sua primeira edição. Naquele momento não havia ainda a percepção clara de que essa iniciativa seria um divisor de águas na história da dança cearense. Em 2017, a Bienal Internacional de Dança do Ceará celebra 20 anos de existência e chega à sua 11ª edição. Será de 19 a 29 de outubro com programação em Fortaleza e mais seis cidades cearenses, somando 25 companhias locais, nove nacionais e nove de mais sete países.

Com toda a programação gratuita, a XI Bienal de Dança acontece em Sobral (19 a 22/10), Fortaleza (20 a 29/10), Paracuru (20 e 21/10), Trairí(20 e 21/10), Aquiraz (21 e 22/10), Juazeiro do Norte (25 e 26/10) e Itapipoca (27 e 28/10). Em Fortaleza, leva espetáculos ao Theatro José de Alencar, Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, Cineteatro São Luiz, Sesc Iracema, Centro Cultural Bom Jardim, Praça dos Leões e Centro Cultural Banco do Nordeste.

NOITE DE ABERTURA EM SOBRAL E FORTALEZA

A programação começa em Sobral, no dia 19 de outubro, quinta-feira, com Edisca apresentando Religare, às 21h, em palco montado na Praça São João. Lançado em 2015, este é o 11º e mais recente trabalho da escola, fundada em 1991 pela coreógrafa Dora Andrade. Em 2012 a Edisca recebeu a Ordem do Mérito Cultural, maior comenda da Cultura do país, concedida pelo Governo Federal. Dora e o prefeito de Sobral, Ivo Gomes, serão homenageados pela Bienal na noite de abertura na cidade.

Em Fortaleza, a Bienal volta ao Theatro José de Alencar depois de dois anos em outros espaços, com abertura oficial desta edição na sexta-feira, 20, a partir das 21h. No Palco Principal, a Cia Dita, do Ceará, abre a cena com dois solos: A cadeirinha e eu, uma criação de Fauller a partir da obra homônima da coreógrafa cearense Silvia Moura, e A morte do Cisne, com a bailarina Wilemara Barros.

De volta à Bienal, a São Paulo Companhia de Dança traz para a noite de abertura desta edição em Fortaleza dois trabalhos. Um deles é 14’20’’ (2002), coreografia e produção do checo JiríKylián. É um extrato de sua obra 27’52´´, cujo título refere-se à duração do espetáculo. A companhia também interpreta Pássaro de Fogo (2010), coreografia, palco e figurino do alemão Marco Goecke, que criou este pas de deuxpara a música de Stravinsky – composta para o balé de Michel Fokine (1880-1942), The Firebird, estreado em 1910 – na ocasião dos 100 anos da obra, durante o Holland Dance Festival (2010).

As homenagens na noite de abertura em Fortaleza vão para o bailarino e coreógrafo cearense Cláudio Bernardo, residente na Bélgica, Dora Andrade e o secretário da Cultura do Ceará, Fabiano Piúba. E festejando os 20 anos da primeira edição, a programação da noite de abertura em Sobral e Fortaleza termina com festa e o forró da cantora Eliane e o DJ Guga de Castro, na Praça do Teatro São João na quinta-feira, 19, e no Jardim do Theatro José de Alencar, na sexta-feira, dia 20.

A XI Bienal Internacional de Dança do Ceará - 20 anos é apresentada pelo Ministério da Cultura, Petrobras, Enel e Secretaria da Cultura do Estado do Ceará. Patrocínio: Petrobras, Banco do Nordeste e M. Dias Branco. Apoio Cultural: Governo do Estado do Ceará, Prefeitura de Sobral através da Secretaria da Cultura, Juventude, Esporte e Lazer-SEJEL e do Instituto ECOA, Prefeitura de Paracuru, por meio da Secretaria de Turismo, Cultura e Meio Ambiente, e Prefeitura de Aquiraz, através da Secretaria da Cultura. Apoio institucional: Embaixada da França, Instituto Francês, TransArte, Consulado da França no Brasil em Recife, SESC-CE, Instituto Goethe, Escócia, Bélgica, Canadá, Governo do Estado do Paraná, Governo do Estado da Bahia e Governo do Estado de São Paulo. Parceria: Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, Quitanda das Artes e Prodança. Realização: Proarte, Indústria da Dança, Theatro São João, Theatro José de Alencar, Cineteatro São Luiz, Porto Iracema das Artes, Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, CCBJ e CCBN.

AS ATRAÇÕES

Nesta edição comemorativa, a Bienal apresenta companhias e bailarinos do Brasil,Itália, França, Alemanha, Canadá, Congo, Bélgica e Argentina. Entre os nomes internacionais, a Bienal recebe a companhia belga As Palavras, que apresenta Giovanni’s Club, coreografia de Cláudio Bernardo, diretor da companhia, que entra em cena no solo Só20, sobre sua carreira.

A Bienal também apresenta Francesco Scavetta, da Itália, com StrangelyEnoughVanessa Goodman, do Canadá, com ContainerFaustinLinyekula, do Gongo, de volta à Bienal, dessa vez comLe CargoLuisGaray, da Argentina, também de volta ao Ceará. Da França, a Bienal conta com a Cie Fêtes Galantes, da coreógrafa BéatriceMassin, com Mass B, um dos espetáculos mais importantes do France-Dance 2016; Fanny de Chaillé com a obra Gonzo Conférence; e o coreógrafo francês FabriceRamalingom, quevoltaà Bienaldirigindo Nós, Tupi ornot Tupi, uma coprodução resultante de uma residência combailarinos brasileiros de hip-hop, que atuaram na companhia do carioca Bruno Beltrão. O espetáculo estreou em julho deste ano em Montpellier e foi destaque também no Festival de Avignon, na França.

É forte a presença alemã nesta edição da Bienal. Um deles é Chipping, espetáculo de Anna Konjetzky especialmente para crianças, que será apresentado em Fortaleza e Aquiraz. Do Brasil, a São Paulo Companhia de Dança traz uma obra do coreógrafo Marco Goecke. E o Balé Teatro Guaíra apresenta em Fortaleza uma mostra do processo do projeto Guaíra Dança, do também alemão Christoph Winkler, cuja estreia será em novembro, em Curitiba e depois segue em turnê por Alemanha e Rússia. Outro destaque é Die einen, die anderen, um trabalho de cooperação entre a coreógrafa alemã ToulaLimnaios e a Cia GiraDança, do Rio Grande do Norte.

MAIS ATRAÇÕES NACIONAIS

O público da Bienal em Fortaleza e interior terá a oportunidade de conferir grandes espetáculos de companhias nacionais. Entre os destaques, o Balé Teatro Guaíra, do Paraná, que além do projeto do Guaíra Dança, traz Carmen, obra que pertence ao imaginário da civilização ocidental como uma das tragédias mais conhecidas da história da arte. Este trabalho do Guaíra, coreografado por Luiz Fernando Bongiovanni,com 22 bailarinos em cena, se articula a partir da dramaturgia da ópera e da trilha composta por RodionShchedrin e Georges Bizet.

Também do Paraná vem a CuritibaCia de Dança, com dois trabalhos: Memória de Brinquedo, concepção e coreografia de Luiz Fernando Bongiovanni, faz um resgate poético para incentivar a brincadeira, resgate que parte da memória individual e coletiva, desde sua representação simbólica até estudos recentes da neurociência que apontam a brincadeira como uma atividade fundamental para o desenvolvimento físico e psicológico das crianças. A companhia também apresenta Quando se calam os anjos, criação de Airton Rodrigues, bailarino e coreógrafo do Balé Teatro Guaíra.

Balé Teatro Castro Alves (BTCA), da Bahia, pela primeira vez, em seus 36 anos, fez um link artístico entre o Ocidente e o Oriente, e acrescentou ao seu repertório uma montagem inédita criada pelo dançarino, coreógrafo, compositor e ex-rapper sul-coreano JaeDuk Kim, diretor da ModernTable Dance Company.O resultado é LubDub, mais recente espetáculo do repertório da companhia, que estreou em abril e na Bienal será apresentado em Fortaleza, Sobral e Aquiraz.

Focus Cia de Dança, do Rio de Janeiro, vem com dois grandes trabalhos do coreógrafo Alex Neural: 3 pontos é o espetáculo mais emblemático de seu repertório e o de maior repercussão. Poucas vezes a companhia apresentou esta montagem com música ao vivo, como vai fazer na Bienal de Dança. O outro é As Canções que você fez pra mim, só com músicas de Roberto Carlos, abrindo a programação em Paracuru e apresentações também em Sobral e Fortaleza. De São Paulo, Maria Eugenia Almeida apresenta o solo Planta do pé, um espetáculo onde expõe, através da dança e da fala, sua pesquisa sobre as danças tradicionais, em especial as nordestinas. A dançarina tem no DNA o talento herdado dos pais, o multiartista pernambucano Antonio Nóbrega e a dançarina Rosane Almeida.

Quem também retorna à Bienal é Lia Rodrigues Cia de Dança, que esteve presente à Bienal ao longo de todos esses 20 anos. Vem com Aquilo de que somos feitos, que desde sua estreia, em 2000, já foi apresentado em todas as regiões do Brasil e, no exterior, alcançou sucesso de crítica e público nas turnês realizadas na Europa, Américas do Sul e do Norte. Na Escócia, onde participou do Fringe Festival, recebeu o prêmio Herald Angel como um dos melhores espetáculos apresentados nos festivais de Edimburgo em 2002.

As danças urbanas marcam o trabalho da Cia Híbrida, do Rio de Janeiro, que apresenta Toque, co-produção com as companhias Gelmini e La Truc, que estreou em junho de 2017O espetáculo foi criado em processo de colaboração entre França e Brasil, reunindo artistas de diferentes nacionalidades e trajetórias, que através da música e da dança urbana e contemporânea, trazem a saga do homem fragilizado, afetado por desembrutecer seu olhar. Foi concebido e dirigido por Gustavo Gelmini, com interpretação e coreografia de Renato Cruz e interpretação e música de Cyril Hernandez.

CEARÁ EM CENA

Artistas e companhias do Ceará, dos mais experientes até jovens intérpretes-criadores que começam a apresentar seus trabalhos autorais, estarão nos diversos palcos da Bienal de Dança, em Fortaleza e interior do Estado. Além da Edisca, que abre em Sobral e fecha a programação em Fortaleza, Fauller e Wilemara Barros, que abrem em Fortaleza, estão na 11ª edição da Bienal de Dança: Graça,Andréa Bardawil;Bar Baro e Praia das AlmasParacuru Cia de DançaA delicadeza da loucura Parágrafos e Reticências, Arreios Cia de DançaVida ou Morte ao boi, Cia Flex de Dança Contemporânea; Desespero para a felicidade ou se eu não gostar nada é para sempreMárcio Medeiros; Sob o véu, Canaan Cia de Dança; A Invenção do Baião Teimoso,Cia Balé Baião;Degradação: um sacrifício pela novidade, Curso de Iniciação em Dança Contemporânea – Paulo José/ProdançaRaraNo barraco da Constância tem!; The bichxsmetazoa é quasi-desfile animalia,Isac Bento + No barraco da Constância tem!Canil, Edmar CândidoO que deságua em mim, Ana Vitória - Cia de Dança Alysson Amancio; Sandra BarDaniel Rufino; Solo de Barro: PrimordiaNívea Jorge e Viana Jr.; OssuárioDiogo Braga e Thales Luz; Z O O M O pensamento se faz na boca, Luiz Otávio Queiroz;Uma dança para meus pesares,Maria Epinefrina e Wellington Fonseca; Solos proibidos em tempos de intolerânciasRebentos Cia de Dança; KKKK, Victor Hugo Portela;  AFRO-DIZIAGrupo de Dança Cuca Mondubim - Side Cia de Dança Transcender; Silvia Moura e Ricardo Guilherme; eIbirapema: O Forró que eu faltei, Omí Cia de Dança.

FORMAÇÃO

Os projetos artístico-pedagógicos, uma das marcas da bienal, têm um espaço privilegiado nessa edição, contando com a participação de artistas docentes cearenses, brasileiros e estrangeiros em residências, palestras, seminário, masterclasses e oficinas. Em meio às ações formativas, destaca-se o curso que aborda a prática pedagógica de dança para crianças e jovens com autismo, realizado no âmbito da plataforma de acessibilidade da Bienal e ministrado pela professora e pesquisadora mineira Anamaria Fernandes. Trata-se de uma atividade inédita no contexto cearense, que conta com o apoio das graduações em dança da UFC e da Associação TEAmo. Outra ação será o lançamento de uma publicação bilíngue, resultado do seminário realizado com professores de várias universidades do Brasil, além de docentes da Universidade Paris 8.

MÚSICA NA BIENAL

Os fins de noite da Bienal de Dança e são marcados pelas Fringes, com atrações musicais em cena. Este ano, um dos destaques é Don L, com show no dia 20 em Sobral e 21 em Fortaleza. O rapper cearense radicado em São Paulo mudou o panorama do gênero com o grupo Costa a Costa, na década passada e conquistou espaço próprio em carreira solo. Na trilogia Roteiro Para Aïnouz, sua visão artística e de produção atinge o auge criativo. Inspirado no trabalho do cineasta KarimAïnouz, o disco é organizado em forma de uma narrativa contínua, dividida em três grandes atos. Lançado em 2017, RPA vol 3 inicia uma trilogia autobiográfica reversa, que retrata a trajetória do rapper dos primeiros anos em Fortaleza até sua mudança para São Paulo. Com grande repercussão entre artistas, influenciadores e fãs, esta obra já fez história como um dos melhores discos de rap brasileiro em todos os tempos.

BIENAL DE DANÇA – 20 ANOS

Fazendo um retrospecto desses 20 anos, percebe-se a imensa importância que a Bienal teve como instância geradora e catalisadora dos mais diversos processos relativos à produção, difusão, formação e fruição em dança no Estado do Ceará. Se hoje o Ceará passou a integrar as cartografias da dança contemporânea nacional e internacional, muito disso deve-se às múltiplas ações e processos desenvolvidos pelo evento no decorrer de suas edições. Que venham mais 20 anos!

SERVIÇO

XI Bienal Internacional de Dança do Ceará - De 19 a 29 de outubro com programação em Sobral (19 a 22/10), Fortaleza (20 a 29/10), Paracuru (20 e 21/10), Trairí(20 e 21/10), Aquiraz (21 e 22/10), Juazeiro do Norte (25 e 26/10) e Itapipoca (27 e 28/10). Site oficial: www.bienaldedanca.com. Tel: (85)3231-9623. GRATUITO.

GOSPEL

2ª Luau das Rosas arrecada dinheiro para a construção da 1ª casa de ressocialização do norte-nordeste

Com um intuito social e de evangelização, o evento, realizado pela Obra Lumen, apresenta diversas atrações culturais para as famílias, com shows de destaques da música católica 

Imagem inline 1

Em comemoração aos festejos de Santa Teresinha, a 2º edição do Luau das Rosas, realizado pela Obra Lumen, acontece próximo dia 30 (sábado), na Sede da Comunidade Face de Cristo. Este ano, o lucro do evento será destinado à construção de uma casa de ressocialização na Associação Condomínio Espiritual Uirapuru (CEU), a primeira do norte-nordeste. A casa será um complemento do projeto já realizado pelo Lumen, que acolhe moradores de rua tirando-os do vício das drogas. O objetivo é ajudar as pessoas que estão em situação de rua e de pobreza a recomeçar um processo de reintegração na sociedade.

A programação do evento contará com as atrações musicais Ana Gabriela, Higor Fernandes, Projeto 2ou+, Banda Regina Pacis e Ticiana de Paula, nomes de  destaque no cenário da música católica em Fortaleza. Projetado para ser um divertimento para toda a família, a comemoração terá, além dos shows, espaço infantil, stands de artesanato, livraria, dentre outras atrações culturais. Os ingressos estão à venda na Livraria Paulinas e na Livraria Lumen. Criança de até 12 anos não paga.

Saiba mais sobre as atrações:

Higor Fernandes
Construído em parceria com os amigos, após sete meses de produção, o CD independente “Avante” marcou os primeiros passos na carreira solo do cantor Higor Fernandes. Membro da Comunidade de Aliança Shalom, e com dez anos de inserção na música católica, o artista já participou de vários serviços da Comunidade como teatro, dança, música e companhia de artes. O Pré Halleluya, evento que antecede o Festival Halleluya, promovido pela Comunidade Shalom, foi o primeiro contato de Higor com o público que o acompanha pelas redes sociais.

Projeto 2ou+
Com o desejo de evangelizar por meio das redes sociais, Edi Silva e Diego Andrade deram início, em 2013, ao Projeto 2ou+. A banda cresceu na internet divulgando, com novas roupagens, versões de músicas cristãs conhecidas, assim como suas músicas autorais, e, em 2015 conseguiram lançar seu trabalho autoral intitulado “Corações ao Alto”.

Ana Gabriela
Iniciou sua carreira no grupo musical Missionário Shalom, juntamente com o qual viajou em turnê pelo Brasil. Ana Gabriela sempre apostou em projetos unindo música, dança e interpretação, participando de musicais pelo Brasil e mundo. Seu primeiro CD solo foi lançado em 2014 no Halleluya, em Fortaleza, e inclui o sucesso “Eu Vou Gritar”. Atualmente, a cantora está concentrada em seu mais novo sucesso, lançado recentemente, a música “Sede”.

Banda Regina Pacis
A Banda Regina Pacis é parte da comunidade missionária homônima (Comunidade Regina Pacis). Em 2014, a banda lançou seu primeiro CD, intitulado “Mais Longe”. Com uma pegada musical voltada ao público jovem, Regina Pacis transita entre o funk-rock e o pop-rock. Em 2017, nasce o desafio de lançar seu segundo CD.
Ticiana de PaulaParte da comunidade católica Novo Caminha há 18 anos, sempre serviu à música. Em 2013 lançou seu disco “Crer” em um evento para arrecadar fundos para a sua comunidade. Seu mais novo trabalho foi lançado este ano, intitulado “Nasci pra te adorar”.
Obra Lumen

A Obra Lumen de Evangelização é uma comunidade católica fundada em 1989. É composta por crianças, jovens e adultos, unidos num mesmo ideal de amor. A comunidade realiza grupos de oração, projetos de ação social, retiros e diversos eventos de evangelização a fim de louvar a Deus, meditar Seus ensinamentos e crescer na fé por meio da prática dos valores evangélicos.

Lumen, em latim, significa “luz”: é o que Deus nos chama a ser para o mundo, por meio do nosso carisma. Os membros da Obra Lumen buscam ser autênticos discípulos da Luz, missionários inovadores, capazes de promover uma revolução de amor, especialmente entre os jovens e os mais necessitados, sendo sinais claros da presença de Jesus no cotidiano da vida.



Serviço:
2º edição do Luau das RosasDia: 30 de setembro (sábado), às 17h.
Atrações: Ana Gabriela, Higor Fernandes, Projeto 2ou+, Banda Regina Pacis, Ticiana de Paula
Local: Sede da Comunidade Face de Cristo (Rua Dr. Edmilson Barros Oliveira, 191 - Dionísio Torres).
Ingressos: R$ 15, à venda na Sede da Obra Lumen (Rua Cel. Jucá, 2040 - Dionísio Torres).

Inscrições abertas

 III Festival de Teatro Científico da Seara da Ciência acontece em outubro

Encontram-se abertas, até 10 de outubro, as inscrições para a terceira edição do Festival de Teatro Científico da Seara da Ciência (III Seara Teatral), que será realizada de 30 de outubro a 3 de novembro na Universidade Federal do Ceará. Com inscrições gratuitas, poderão participar escolas públicas e particulares de ensino fundamental e médio e cursos livres de artes de Fortaleza e região metropolitana.

A organizadora do evento, Rebeka Lúcio, explica que, como a Seara da Ciência é um museu científico, o Seara Teatral receberá exclusivamente inscrições de peças teatrais que mesclem arte e ciência na encenação. "O objetivo principal do evento é difundir a ciência por meio da arte", informa.

Para se inscrever, o grupo deverá preencher formulário eletrônico (https://goo.gl/Y4GA5G) e, em seguida, enviar o texto da encenação e fotos do espetáculo (ou ensaio) para o e-mailsearateatral@gmail.com. O regulamento do festival pode ser acessado no site da Seara da Ciência (www.searadaciencia.ufc.br).

Haverá premiação para melhor ator, atriz, direção, figurino, cenografia, texto e espetáculo. Os três grupos mais bem classificados em cada categoria serão convidados a se
reapresentar no Teatro da Seara da Ciência, em datas a serem agendadas posteriormente com a comissão organizadora. As apresentações, abertas ao público e gratuitas, objetivam divulgar o trabalho da escola e difundir a prática do teatro científico.

A Seara da Ciência é o espaço de divulgação científica e tecnológica da UFC que visa estimular a curiosidade pela ciência, cultura e tecnologia, mostrando suas relações com o cotidiano e promovendo a interdisciplinaridade entre as diversas áreas do conhecimento.

Fonte: Seara da Ciência – fone: 85 3366 9245

FECHAMENTO

Amici´s coloca acervo de quadros e peças à venda

Um acervo de quase 200 peças entre quadros de astros do Rock e da música pop, poster´s,  camisas de times de futebol autografadas, cachecóis de equipes e seleções da Europa estarão disponíveis para os fãs da música e do futebol pelos preços mais variados

Um quadro dos Beatles num bucólico jardim, um clik da força certeira do boxeador Muhammad Ali ou um desenho irreverente de Bob Marley estão disponíveis para os amantes da música e do esporte no Café Couture, na Praia de Iracema. Um acervo com quase 200 peças, que fizeram a história de quase 20 anos da casa de show e pizzaria Buoni Amici´s, que encerrou suas atividades no último mês de agosto.

O acervo foi adquirido nos Estados Unidos pelo proprietário do Amici´s, Célio Paiva, na década de 90, quando morou por oito anos na cidade de San Francisco e trouxe a experiência de pizzaiolo para Fortaleza. “A maioria do acervo comprei ou ganhei como presente nos Estados Unidos, mas muitas peças também adquiri numa viagem que fiz a 14 países da Europa no ano de 1998; algumas do Museu Van Gogh e do Cairo, no Egito”, explica Célio, que ainda não tem uma data definida para reinaugurar a pizzaria em novo endereço.  

De qualquer forma, para o público que acompanhou a programação musical ou esportiva do antigo Amici´s vai ter a chance de guardar raridades que compuseram o dia a dia da casa que já deixou muita saudade. De gravuras a poster´s de festivais de rock em San Francisco até cachicóis e camisas de times futebol e basquete, que somam mais de 50 peças; somam-se no acervo, ainda, gravuras e pinturas do artista plástico Zé Tarcísio e poster´s autografados de grandes clubes do Brasil. Os preços dos quadros e peças variam de R$200,00 a R$20mil.

Serviço:
Venda do Acervo de Peças do Buoni Amici´s
Local:  Café Couture
Horário: a partir das 19h, de segunda a sexta-feira
Informações: (85) 9913-3819 / 9990.4238

CARNABRAL

DEPOIS DE UM ANO, MICARETA DE SOBRAL VOLTA A ACONTECER

Após um ano de pausa, o Carnabral retorna ao município de Sobral, no Ceará, com a promessa de agradar diferentes públicos. Na 21ª edição, a organização do evento ressalta o mix de ritmos que será levado ao público.

Aviões do Forró, Bell Marques, Léo Santana, Gabriel Diniz, Rafa e Pipo Marques, Solteirões, Nathan Loketa, Luiz Marcelo e Gabriel, Iohannes e Patrulha são as atrações que se apresentam no Carnabral, de 11 a 14 de outubro de 2017.

Ênio Sávio, diretor do evento, lembra que a organização optou por trazer ao Ceará representantes do Axé, Forró e Swingueira. A junção de ritmos promete atrair um maior público e movimentar a economia da região. "Procuramos nomes que atraiam foliões para Sobral. Tem o Léo Santana representando bem a Swingueira, Bell no Axé e o Aviões que marca o retorno de um bloco só de Forró", disse Ênio Sávio.

O diretor ressalta que o evento estimula a geração de empregos em Sobral. Conforme Sávio, os setores mais estimulados são: hotelaria, moda e bares: "Os turistas nos visitam, fazem circular renda e ainda levam o nome de Sobral para outros estados", garante.

O Carnabral acontece com o apoio e confiança da Secretaria de Turismo do Estado do Ceará, Secretaria de Cultura de Sobral. Secretaria de Infraestrutura, Secretaria de Saúde, Polícia Militar, Polícia Civil, Guarda Municipal, Vigilância Sanitária, Corpo de Bombeiros e Juizado da Infância e Juventude.


SERVIÇO:
Canabral 2017
Data: 11 a 14 de outubro
Local: Avenida Cleto Ponte
Ingressos: Confira os valores e a virada de lote aqui: http://www.bilhetecerto.com/