quarta-feira, 6 de julho de 2011

DESTAQUES

ARTE DO MACIÇO

Baturité ganha exposição temática
em Fotaleza: obras de grandes artistas no Espaço Cultural Correios

O Espaço Cultural Correios e a Associação dos Municípios do Maciço de Baturité promovem a exposição Arte no Maciço de Baturité, no Espaço Cultural Correios, de 28 de julho a 10 de setembro 2011. A exposição conta com 25 obras de diversos artistas plásticos do Maciço ou que têm a sua história ligada à região. Obras de Aldemir Martins, Alice Andrade, Ana Pimenta, Antonio Anjo, Arino Marques, Bob Necreto, Carmen Ferreira, Cláudio Amaro, Edhon Silva e de muitos outros artistas estão na Mostra, que tem curadoria de Francisco Tavares. A solenidade de abertura acontecerá nesta quinta-feira, a partir das 17h.
A arte no Maciço de Baturité está ligada à própria vida do povo da região, seja nas serras ou sertões. Desde tempos imemoráveis algumas artes como a cerâmica e a cestaria já conviviam com os habitantes autóctones, num processo no qual a cultura e a natureza se completam.
As artes estavam presentes no início da ocupação colonial e resquícios da estética desses tempos podem ser vistos em detalhes dos fazeres tradicionais na arquitetura das antigas residências e igrejas, em santos, mobílias e outros trabalhos de madeira, nos antigos engenhos de cana, nas rodas d’água e bolandeiras. Na convivência cotidiana esses saberes foram repassados e hoje fazem parte da vida dos habitantes do Maciço. Um sentimento artístico que se faz sentir nos delicados trançados em cipó, nas bonecas de pano, nos utensílios de madeira e nos requintados bordados em ponto de cruz.
O mais antigo artista conhecido na região é o pintor Raimundo Siebra, de Pacoti, que chegou a freqüentar a Escola Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro. São de Siebra as pinturas da capela mor da Igreja de Nossa Senhora da Palma, Matriz de Baturité. São mais ou menos da mesma época os irmãos Júlio e Otacílio de Azevedo, oriundos de Redenção. Otacílio é também autor de Fortaleza Descalça, importante livro de memórias onde delineia traços biográficos dos artistas cearenses de sua época.
No modernismo destaca-se Heloisa Juaçaba, de Guaramiranga, que construiu uma importante obra de influência cubista e construtivista que se estende até os dias de hoje. Nos anos setenta destacam-se Vicente Rhabello, de Aratuba, e Francisco Wagner, de Pacoti. O primeiro com um trabalho de cunho poético e forte colorido e o segundo com o registro da paisagem da serra em pinturas e desenhos de influência hiper-realista. Nos anos oitenta o artista Hilton Queiroz, nascido em Mulungu, tem se destacado por suas gravuras em metal, de inspiração abstrata.
Alguns outros, embora nascidos em outras plagas, viveram sua infância e juventude em cidades do Maciço e tiveram sua formação estética profundamente influenciada pela Região, entre os quais Aldemir Martins (Guaiúba) e Elizeu Joca (Palmácia).
São muitos também os artistas que desenvolvem sua produção no próprio Maciço: Ana Pimenta, Antonio Anjo, João de Deus, Gleison, Karllos Limma, Carlos Alberto, Evanilde Bezerra, Edhon Silva, Francisco Duarte, Eduardo e Francisco Flor são apenas alguns dos artistas cujas obras podem ser encontradas nas galerias e ateliês da região do Maciço.













Vera Fischer é internada em clínica de reabilitação

A atriz em uma participação em "Insensato Coração" como Catarina
A atriz Vera Fischer foi internada em uma clínica de reabilitação para dependentes químicos na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. O último trabalho da atriz na televisão foi em uma participação especial na novela "Insensato Coração", da Globo. Fischer luta há anos contra as drogas e já esteve internada para se tratar no passado.



















ADEUS AMY

Venda de discos e músicas de Amy Winehouse aumenta 37 vezes na internet

A família de Amy Winehouse acredita que, depois de anos de abuso de álcool e drogas, a cantora morreu em consequência de uma forte abstinência. Segundo o jornal "The Sun", Winehouse teria parado de beber abruptamente há cerca de três semanas.
A família afirma que a cantora ignorou conselhos médicos de largar a bebida gradualmente para evitar que seu corpo sofresse um choque muito violento. "Amy disse ao pai que não conseguiria fazer aquilo. Era tudo ou nada e ela largou [o álcool] completamente", diz uma fonte próxima à família.

De acordo com relatos da imprensa inglesa, Winehouse teve uma consulta médica um dia antes de morrer e foi considerada saudável.
Winehouse foi encontrada morta em sua casa no último sábado (23). Seu corpo foi submetido a uma autópsia, mas o exame foi inconclusivo e a causa da morte ainda não foi revelada. Os resultados dos exames toxicológicos devem ser divulgados em duas a quatro semanas.


Os pais, familiares e amigos próximos de Amy Winehouse foram ao crematório de Golders Green, em Londres, para a acompanhar a cremação da cantora. A cerimônia foi realizada nesta terça-feira (26) após o funeral, que durou 45 minutos no cemitério Edgwarebury. De acordo com agências internacionais, cerca de 300 pessoas participaram da despedida de Amy. Fãs e fotógrafos ficaram isolados do lado de fora. Sozinho, o produtor Mark Ronson --responsável pelo álbum "Back to Black"-- foi um dos primeiros a chegar ao funeral, juntando-se a parentes e outros amigos próximos da artista, como Kelly Osbourne. Ao sair do cemitério, a cantora também se dirigiu ao crematório.

Amy Winehouse, que tinha 27 anos, foi encontrada morta em sua casa no último sábado (23). A causa ainda não foi determinada. De acordo com o "Daily Mail", o pai da cantora, Mitch Winehouse, contou histórias sobre a infância da filha aos presentes. "Boa noite, meu anjo", disse o pai ao terminar, emocionado, seu discurso. Mitch teria proibido Blake Fielder-Civil de se aproximar, afirmou o tabloide "The Sun". Ele culpa o ex-marido de Amy, que cumpre pena de 32 meses de prisão por roubo e posse de uma arma falsa, por iniciar a filha nas drogas que a levaram ao estilo de vida autodestrutivo.
Daniel Zukerman, que faz o Impostor do humorístico "Pânico na TV!', foi fotografado no funeral da cantora Amy Winehouse em Londres, nesta terça-feira. Ele estava em companhia do produtor do programa da Rede TV!, André Machado. O quadro "O Impostor" mostra Daniel e sua equipe tentando se infiltrar em eventos fechados como o Oscar e transmissões esportivas da Globo. Mas eles nunca tinha feito uma brincadeira em um funeral.
A cerimônia era restrita a família e amigos da cantora. Eles foram fotografados "chorando" por várias agências de notícias internacionais. Segundo a assessoria de imprensa do programa, a equipe do "Pânico" está em férias até dia 7 de agosto.
Fãs correram para fazer o download dos dois discos de Amy Winehouse depois que a cantora inglesa se juntou ao triste grupo de artistas de rock que morreram aos 27 anos. Amy, encontrada morta em sua casa em Londres no sábado, ocupava a posição principal no ranking de downloads no site iTunes do Reino Unido no domingo com "Back to Black", o álbum de 2006 que recebeu cinco prêmios Grammy nos Estados Unidos e transformou a problemática garota do norte londrino em uma estrela internacional. "Back to Black" tirou o álbum "21" da cantora britânica Adele do topo da lista do iTunes.
Amy Winehouse, que era contratada da gravadora Universal Music, também ocupava a terceira posição no iTunes com um pacote que inclui "Back to Black" e o seu CD de estreia, "Frank", enquanto a "Deluxe Edition" de "Back to Black" estava em quarto. A morte dela aconteceu tarde demais para influenciar a lista que coloca as 40 músicas mais baixadas e discos vendidos divulgada pela empresa Official Charts no domingo, mas ela provavelmente vai ficar no topo da lista na próxima semana. A venda dos CDs de Amy Winehouse aumentou 37 vezes de sexta-feira para sábado, enquanto a venda de músicas cresceu 23 vezes. "Esperamos um impacto ainda maior nos próximos dias", disse o diretor da Official Charts Martin Talbot.
A autópsia que irá explicar a causa da morte da cantora Amy Winehouse, encontrada morta em sua casa aos 27 anos na tarde de sábado, só deve ser marcada hoje, anunciou a polícia de Londres na manhã deste domingo. Segundo informações iniciais, a necropsia deveria acontecer ontem, mas essa possibilidade foi agora totalmente descartada.
A polícia inglesa reiterou também em comunicado que a morte ainda é tratada oficialmente como inexplicada e que não houve até o momento nenhuma prisão relacionada ao caso.

O site TMZ, no entanto, afirma que a polícia está trabalhando com a hipótese de overdose, mas aguarda o resultado da autópsia para confirmar a suspeita. Os tabloides britânicos deste domingo afirmam que Winehouse foi vista comprando uma grande quantidade de drogas na noite de sexta-feira. Segundo o "Sunday Mirror", ela comprou cocaína, heroína, ecstasy e ketamina. Um amigo da cantora disse ao mesmo jornal que, apesar de todas as drogas compradas por ela, o que provocou a sua morte foi overdose provocada por ecstasy de má qualidade. Segundo o TMZ, Amy Winehouse ainda apresentava sinais de vida quando foi encontrada pela polícia, mas não resistiu e morreu antes que os paramédicos conseguissem removê-la.
As forças de segurança mantiveram neste domingo interditadas as cercanias da casa onde morava a jovem diva em Camden Town, norte de Londres, enquanto continuam as investigações. Em frente à casa da cantora, há jornalistas, cinegrafistas, curiosos e fãs, que começaram a deixar flores, cartões, fotografias, um violão e até uma garrafa de vodca nas árvores próximas da residência. Em um pub próximo, há uma ampla foto de Amy Winehouse com a mensagem "RIP, mas nunca será esquecida" (RIP: Rest In Peace, Descanse em paz). "Camden não te esquecerá. Todos te amamos e continuaremos te amando. Tua lenda está viva", diz um cartão deixado no local.

Fontes da indústria fonográfica assinalaram ao jornal britânico "The Sunday Times" que a cantora teria bebido muito nos últimos dias. Um vizinho da artista, que pediu manter o anonimato, declarou à imprensa que, na sexta-feira, acordou assustado porque ouvia gritos vindos da casa de Amy. "Ouvi ruídos altos, como se alguém estivesse sentindo dores. Brinquei com meu filho dizendo a ele que talvez ela estivesse usando drogas", afirmou o vizinho à imprensa.
A morte da cantora causou comoção entre personalidades da música, embora não muita surpresa para aqueles que a conheciam, dado seus problemas com drogas e bebidas, que a obrigaram a ingressar várias vezes em centros de reabilitação, mas não parecia superar sua dependência.

A gravadora Universal, que promovia a carreira de Amy Winehouse, qualificou-a como uma "cantora, uma artista e uma intérprete talentosa" e expressou sua solidariedade com a família e os amigos. Mark Ronson, ex-produtor de Amy Winehouse, expressou sua tristeza e disse que ela foi sua "alma gêmea" e uma "irmã", enquanto o produtor Salaam Remi, que trabalhou com a artista no álbum "Back to Black", afirmou ter perdido "uma grande amiga e irmã". O DJ Chris Moyles considerou "terrível" a notícia da morte da cantora e transmitiu suas condolências à família dela.
A família de Amy Winehouse soltou um comunicado à imprensa neste domingo lamentando a perda da cantora, que foi encontrada morta em sua casa em Londres neste sábado. Na nota, a família diz que abriu-se uma lacuna em suas vidas e pede que sua privacidade seja respeitada. "Nossa família ficou desolada com a perda de Amy, uma filha, irmã e sobrinha maravilhosa. Ela deixa um espaço vazio em nossas vidas. Estamos unidos para lembrá-la e gostaríamos de ter privacidade e espaço nesse momento terrível", diz a mensagem. Em entrevista ao tabloide "Sunday Mirror", Janis Winehouse, mãe da cantora, declarou ter estado com a filha na última sexta-feira e afirmou ter sentido que sua morte era apenas uma "questão de tempo". "Ela parecia fora de controle", disse.
O pai da cantora, Mitch Winehouse, também falou ao jornal por telefone. Ele estava nos Estados Unidos para fazer dois shows, mas cancelou as apresentações e voltou para a Inglaterra. "Isso não parece real. Estou completamente devastado. Estou pegando o primeiro avião de volta. Eu preciso estar com a Amy." .
Tony Bennett, que em março gravou com ela o standard "Body And Soul" no estúdio Abbey Road, em Londres, disse que ela era "uma artista de proporções enormes." "Ela era uma música extraordinária, com rara intuição como vocalista, e estou realmente desolado por seu excepcional talento ter tido um fim tão precoce, declarou. Ronnie Wood, guitarrista dos Rolling Stones, disse que dedicaria o show de volta da sua banda The Faces a Amy. "É uma perda muito triste de uma grande amiga, com quem passei ótimos momentos", declarou.
A notícia de sua morte começou a circular rapidamente através da rede social Twitter, e personalidades como a atriz Demi Moore, o chef de cozinha e apresentador de TV Jamie Oliver e até Sarah Brown, mulher do ex- primeiro-ministro do Reino Unido Gordon Brown, mostraram sua comoção. "Um grande talento, uma voz extraordinária, uma morte trágica, condolências à família", escreveu Sarah Brown. "Realmente uma notícia triste... Que a alma atormentada dela encontre a paz", declarou Demi Moore. "Que desperdício, talento puro", escreveu Oliver.




TV DIVIRTA-CE

Confira cenas do desastroso último show de Amy Winehouse, veja cenas dos clipes com grandes hits da cantora e outras raridades
















































Brasil atrai produtoras de shows, mas público ainda sai lesado

Com a crise, americanos europeus deixam de ir a shows que são cobrados mais caros aqui


Em março, Rihanna teve de cancelar shows nos EUA. Em Boston, ela havia vendido 3.700 dos 15 mil ingressos disponíveis. Em setembro, ela vai cantar no Rock in Rio para 100 mil pessoas em show com ingressos esgotados. Isso porque, com a crise econômica, o público dos EUA e da Europa deixou de ir a shows. E, neste cenário, o Brasil reluz como um dos países menos afetados pela recessão e com público ávido por entretenimento. É o novo pote de ouro da indústria.
Ainda assim, os brasileiros sofrem com os preços dos ingressos, muito mais altos que em outros lugares do mundo. Show da cantora Katy Perry em Los Angeles em agosto, por exemplo, custa de US$ 35 a US$ 50 (de R$ 55 a R$ 80). Em São Paulo, em setembro, o mesmo show sai de R$ 200 a R$ 450, mais taxa de conveniência (20% do ingresso) e entrega (R$ 18 em domicílio; R$ 3 na bilheteria).
De um lado, os produtores alegam que os custos no Brasil são mais altos e que impostos e aluguel de equipamentos são os reais responsáveis por ingressos tão caros. De outro, o Instituto de Defesa do Consumidor (Idec) e o Procon garantem que essas empresas praticam ações consideradas abusivas. "Qualquer ação que discrimine o consumidor em detrimento do outro, como a pré-venda de ingressos para portadores de cartões de crédito específicos, é considerada ilegal pelo Procon", diz Renan Bueno Ferracioli, diretor de fiscalização da entidade.
Mas, então, já que as práticas são consideradas irregulares, por que empresas as continuam praticando? "O Procon questiona a legitimidade da taxa de conveniência baseada em percentual há muito tempo e já multou essas empresas, mas não podemos impedi-las desta prática", finaliza. Em abril deste ano, a Time For Fun (T4F) abriu seu capital na Bolsa de Valores de São Paulo e levantou R$ 540 milhões para investir na expansão para Peru e Colômbia.
Outras produtoras também estão investindo pesado, como a XYZ Live, do grupo ABC, de Nizan Guanaes, e a Geo Eventos, criada no ano passado, que trará o mega festival norte-americano Lollapalooza ao Brasil em 2012. Além disso, produtoras novas abocanharam shows de bandas independentes. Afinal, todos querem tirar sua casquinha.





Show "Disney Live - As Mágicas do Mickey" em Fortaleza

A magia da Disney chega ao Brasil em uma nova produção ao vivo, que passa por 10 cidades entre julho e outubro. Com a participação de ilusionistas profissionais, o espetáculo recheado de surpresas traz Mickey na companhia de personagens inesquecíveis dos filmes Disney

Pela primeira vez no Brasil Disney Live! As Mágicas do Mickey chega trazendo toda a magia dos espetáculos Disney. Em uma combinação inédita, os personagens preferidos da Disney se unem a ilusionistas profissionais para apresentar o espetáculo ao vivo que encantará crianças e adultos. Criado pelos mesmos produtores de Disney on Ice, este novo espetáculo teatral transportará o público a um mundo em que a magia da Disney adquire um significado totalmente novo.

A turnê nacional começa por São Paulo, de 15 a 31 de julho, no Teatro Bradesco, e segue em turnê pelas cidades de Fortaleza, de 04 a 07 de agosto - Siará Hall; Recife, de 12 a 14 de agosto - Teatro UFPE; Natal, de 18 a 21 de agosto - Teatro Riachuelo; Salvador, de 24 a 28 de agosto - Teatro Castro Alves; Belo Horizonte, de 4 a 11 de setembro – SESC Palladium; Rio de Janeiro, de 15 a 18 de setembro – Oi Casa Grande; Curitiba, de 29 de setembro a 02 de outubro – Teatro Positivo; Porto Alegre, de 05 a 12 outubro – Teatro do Bourbon Country; Novo Hamburgo, de 14 a 16 de outubro – Teatro Feevale.

Com Disney Live! As Mágicas do Mickey, estreia no Brasil uma nova produção Disney Live!, um empreendimento teatral criado entre Feld Entertainment e Disney Live Family Enterteinment. Disney Live! aproveita a enorme gama de personagens tão queridos e as maravilhosas canções da Walt Disney Company para dar vida a produções que levam às crianças toda a magia de um grande espetáculo ao vivo

Disney Live! As Mágicas do Mickey leva ao palco a envolvente magia das legendárias histórias infantis, que ganham vida diante dos olhos dos espectadores. Em um segundo, os trapos de Cinderela se transformam em um lindo vestido; a princesa Jasmine, de Aladdin, levita no ar; e as encantadoras vassouras dançantes de Fantasia ajudam Minnie levitar. O mago maestro, Mickey Mouse, realiza assombrosos truques junto com a Fada Madrinha de Cinderela, o Chapeleiro Maluco de Alice no País das Maravilhas e os mágicos profissionais Michael Williams e Fred Moore. Os truques de magica se complementam com a aparição das princesas da Disney: Bela e Branca de Neve, e os infalíveis amigos de Mickey: Minnie, Donald, Margarida e Pateta.

Serviços:

De 04 a 07 de Agosto
Siara Hall
Av Washington Soares, 3199
Edson Queiroz, Fortaleza - CE
(85) 3278-8400









FORTAL,
20 anos


Em 2011, a maior micareta do país se consolida no mercado do axé e da música. São 20 anos do maior carnaval fora de época do país, 20 anos de folia, colecionando sucessos e surpreendendo a cada ano com novidades. A festa já virou tradição no mês de julho, quando as mais variadas tribos encontram-se entre os dias 21 e 24, na Cidade Fortal.
A festa teve início no ano de 1991 e foi realizada na avenida Beira Mar. Lá os trios elétricos desfilavam organizados em blocos com os foliões vestidos com os abadás. Em Fortaleza, o Fortal é considerado mais importante que o próprio carnaval. Atualmente o Fortal é realizado na Cidade Fortal, uma grande área destinada a megaeventos.
Em 2010, mais de 400 mil pessoas comemorando a edição de 19 anos. E neste ano muitos blocos ja confirmados : Siriguella , Eh Loco , Cerveja & coco , Nana Banana e Pirraça.


Esse ano o Fortal conta com mais um bloco, o Pirraça. O diferencial deste bloco é ter dois estilos musicais que não é a música baiana - Jorge e Mateus com o sertanejo elétrico e os sucessos do Forró do Bom. Essa novidade acontece na quinta-feira dia 21. O todo poderoso Chiclete com Banana está presente em todos os dias nos blocos Nana Banana e Siriguela.
O Bloco Eh Loco chega na sexta e fica até o domingo com Banda Eva, Tomate e Jammil. Juntamente com ele vem o Bloco Cerveja e Côco com Ivete Sangalo e Asa de Águia.


TV DIVIRTA-CE

Veja o vídeo dos 20 anos do Fortal


SHOW - Clique aqui e saiba todas as informações do Fortal 2011












CINEMA NACIONAL

O filme do roubo no Banco Central de Fortaleza

O filme "Assalto ao Banco Central" é uma obra de ficção, inspirada no maior roubo a banco do século.

Envolvendo desde a preparação da quadrilha aos bastidores da investigação da polícia federal.

Em Agosto de 2005 164.7 milhões de reais foram roubados do Banco Central em Fortaleza, Ceará.

Sem dar um único tiro, sem disparar um alarme, os bandidos entraram e saíram por um túnel de 84 metros cavado sob o cofre, carregando 3 toneladas de dinheiro. Foram mais de três meses de operação. Milhares de reais foram gastos no planejamento.

Foi um dos crimes mais sofisticados e bem planejados de que já se teve notícia no Brasil.

Quem eram essas pessoas? E o que aconteceu com elas depois? São as perguntas que todo o Brasil se faz desde então. Leia a entrevista com o Diretor do filme "O assalto ao Banco Central", Marcos Paulo.

Como foi dirigir um filme? O que você trouxe para o cinema da sua grande experiência em TV e vice-versa?

Eu trouxe da televisão quase quarenta anos, trinta, quarenta anos de experiência de direção. Mesmo sendo televisão, eu não posso menosprezar esses trinta, quarenta anos. Isso me deu muita experiência em direção, embora o processo televisivo seja completamente diferente do cinema (no vídeo, aqui ele fala televisão de novo) por várias razões. Mas, talvez, a coisa mais importante que eu tenha descoberto, chega uma hora em que o filme começa a ter uma vida própria, quer dizer, você começa a filmar, e a chegada dos atores, da direção de fotografia, de todos os elementos, de todas as pessoas envolvidas, até a própria direção do filme, todos vão se modificando e o filme vai tomando um caminho, uma vida própria, como se fosse uma pessoa que fosse crescendo; ele começa como um bebê e, de repente, ele vai se tornando adulto e, daqui a pouco, ele está indo para o mundo como se fosse um filho e vai embora. Então, nesse momento, é muito importante que você não perca a rédea dele. Isso eu aprendi muito neste primeiro filme. Você tem que deixá-lo tomar vida própria como um filho, mas, ao mesmo tempo, não pode perder o controle dele. Isso foi, talvez, a grande descoberta minha fazendo cinema. É claro que eu vou levar toda a experiência que eu tive para a televisão. Talvez a grande diferença, a maior diferença, é que o filme você faz e daqui a vinte, trinta, quarenta, cinquenta, cem anos, vai ter alguém assistindo e a televisão é uma coisa mais efêmera, ela pode passar duas, três vezes, talvez lá na frente passe de novo, mas não como uma coisa inteira, sempre como um documentário, ou a ilustração de um trabalho meu, a ilustração de um momento da televisão brasileira e tal, mas sempre como um documento, não como um trabalho completo. E o filme não. O filme a gente vai embora e o ele fica.

O que o público vai encontrar quando for ao cinema assistir ao filme?
Não esperem um filme de ação, não esperem um filme de tiroteio, ou de assassinatos. Na verdade, é um suspense. Como eu falei, ele é inspirado numa história real. Mas o filme tem humor, tem amor, e um pouco de ação, evidentemente, mas é um filme mais de suspense, onde você fica querendo saber o que vai acontecer daqui a pouco. É um filme mais de tensão, na verdade, do que um filme de ação.



Como é o túnel? Como foi dirigir as cenas dentro dele?
O túnel, na verdade, é um personagem do filme, sem dúvida nenhuma. A cenografia foi muito feliz na confecção desse túnel. Ele foi feito dentro de um estúdio, tinha em torno de uns vinte e cinco metros de comprimento e era todo modulado. Então, a gente podia tirar paredes e o teto na hora em que precisasse. É claro que depois demandava um tempo para remontar. Era bem complicado, porque a gente tinha que andar agachado o tempo todo, era difícil entrar com câmera lá dentro, era um trabalho complicado. Ele foi feito numa proporção um pouquinho maior do que era o túnel original, porque se não a gente não conseguiria trabalhar, mas tentamos ser o mais fiéis possíveis ao material que tivemos acesso. Quando entramos no túnel, levamos meio que uma surra porque a gente não sabia como se mexer lá dentro, por onde que a gente entrava, como começava, mas, no segundo dia, a gente já tinha feito, digamos, uma amizade com o personagem que é o túnel. Depois a coisa fluiu, em uma semana lá dentro a gente já estava dominando ele. Saíamos todos sujos de barro, mas era ótimo!
Como foi a parceria com a Total?
Eu estava fazendo o “Se Eu Fosse Você 2”, filmando com o Daniel, eu fazia uma participação no filme dele e, um dia, eu estava filmando, e a Walkiria chegou, e eu não a conhecia. Me apresentaram a ela e a gente ficou sentado ali com o Daniel conversando e tal e a Walkíria me perguntou se eu não tinha um projeto. Disse que estava na hora de eu estrear no cinema. Respondi que tinha sim, o Assalto ao Banco Central. Ela arregalou os olhos e disse pra gente conversar. E aí a gente começou a conversar e a coisa foi tomando corpo. Eu, no início, achei que era uma conversa, mas, de repente, quando vi, a coisa já estava tomando corpo, já estava começando a existir, já estava indo. Eles apostaram muito, inclusive, a nível financeiro, se viraram e, quando eu vi, já estava montando elenco. A Antonia estava escalando o elenco, eu estava montando equipe e, de repente, um dia a Walkíria fala assim: “Começamos a filmar daqui a vinte dias.”. Eu falei: “Como?”. E, de repente, em vinte dias, a gente estava filmando. Foi um casamento perfeito e durante aquelas seis semanas que a gente ficou filmando não tivemos nenhum problema, foi tudo tranquilo. Foi um amor à primeira vista, que acabou dando num casamento, que acabou dando neste filhote aí. Tomara que a gente tenha uma prole.









LIVROS - NÃO-FICÇÃO


Schopenhauer

Os Anos mais Selvagens da Fil
osofia

O homem impetuoso que era contra tudo e todos e antecipou-se à psicanálise de Freud
A Geração publica “Schopenhauer e os Anos mais Selvagens da Filosofia”, do mesmo autor das consagradas biografias de Nietzsche
Depois das biografias de Heidegger e Nietzsche, a Geração Editorial traz ao Brasil outro grande livro de Rüdiger Safranski, especialista em filosofia alemã, história e história da arte, “Schopenhauer e os Anos Mais Selvagens da Filosofia”, em tradução de William Lagos. Contemporâneo de Kant, Schelling, Hegel e Marx, Arthur Schopenhauer (1788-1860), altivo, impetuoso e arrogante, era contra tudo e contra todos. Insistiu e acabou provocando um terremoto na filosofia da consciência e antecipando-se em quase meio século à psicanálise de Freud.
“A humanidade aprendeu algumas coisas comigo que jamais esquecerá”, escreveu Schopenhauer. O biógrafo concorda com o filósofo, mas observa que o mundo se esqueceu de que foi Schopenhauer quem o ensinou. “Ele é o filósofo da dor da secularização, do desamparo metafísico, da perda de toda a confiança primordial”, afirma. E arremata: “É em Schopenhauer que surge, pela primeira vez, uma filosofia explícita do corpo e do inconsciente. Sem dúvida, o Ser determina a Consciência. Mas o Ser não é, como o quis Marx algum tempo depois dele, o ‘corpo da sociedade’, mas sim nosso corpo verdadeiro, o qual nos torna todos iguais e, apesar disso, também nos inimiza com tudo quanto vive”. Thomas Mann considerava Schopenhauer “o mais racional dos filósofos do Irracional”.

Filho de um casamento sem amor, Schopenhauer sempre se sentiu meio abandonado. Seu pai queria que ele nascesse na Inglaterra, mas por ciúme da mulher, que havia feito amigos em Londres, o filósofo do pessimismo nasceu em Dantzig, hoje Gdansk, na Polônia. Vinte anos mais velho do que Johanna, o ciumento Heinrich Floris Schopenhauer submeteu a mulher, poucos meses antes do parto, à perigosa viagem de volta à Alemanha, em pleno inverno. Antes mesmo de nascer, Arthur foi incomodado.
Adolescente, nutria divergências com o pai e a mãe. Ganhou uma longa viagem pela Europa com os pais, sob o compromisso de seguir a carreira paterna de comerciante. Seu pai lia Rousseau e Voltaire e assinava o Times de Londres. A mãe tornou-se autora de romances adocicados. O jovem Schopenhauer tinha momentos de êxtase no alto das montanhas, ao amanhecer, e também com a música, literatura e filosofia. Sua mãe reconhecia o talento do filho, mas não poupava adjetivos negativos em cartas a ele, como arrogante, aborrecido e insuportável. Um editor o chamou de “cão raivoso”. O autor transcreve contundentes cartas de Johanna ao filho que preferia distante.
Ela queixava-se das “briga terríveis” que tinham “por bobagens” quando ele a visitava. E respirava aliviada quando ele partia. Johanna já estava cansada do mau humor do rapaz e lamentava as “estranhas opiniões” que o filho emitia “como se fossem as profecias de um oráculo a quem ninguém pode objetar nada”. Pedia a Arthur que deixasse em casa o “ânimo discutidor”. Em uma carta, Johanna diz ao filho indomável: “Todas as tuas boas qualidades são empanadas porque te julgas ‘esperto demais’ e essa arrogância não te serve para nada neste mundo, simplesmente porque não podes controlar tua mania de querer saber tudo mais que os outros, de encontrar defeitos em toda parte, menos em ti mesmo, de querer controlar tudo e de te achares capaz de melhorar as pessoas com que te relacionas.” No entanto, foi ela quem o levou a optar pela vida intelectual.

Quando ficou viúva, a mãe de Schopenhauer disse no comunicado da morte que dispensava visitas de condolências, o que apenas aumentaria seu sofrimento. Nunca ficou de todo esclarecido se a morte do marido foi por acidente ou suicídio. Durante dois anos, o jovem Arthur frequentou saraus na casa da mãe estrelados por Goethe (a pessoa mais simpática que Johanna conheceu), que nesse período nunca dirigiu a palavra ao rapaz. Anos depois, Goethe impressionou-se com sua tese de doutorado e ficaram amigos. Herdeiro, Schopenhauer pôde viver para a filosofia, não dela. Já idoso, o autor de O Mundo como Vontade e Representação foi descoberto como grande filósofo pela imprensa inglesa. O Nilo chegou ao Cairo, disse. Era a “Comédia da Fama”. Leia a entrevista com o autor:

O senhor publicou um livro sobre Schopenhauer. Por que as pessoas ainda deveriam ler sobre o filósofo hoje em dia?
Porque Schopenhauer foi um modelo de como pensar sobre a vida e um homem que ponderava bastante. Schopenhauer constrói uma imagem de homem na qual a força motriz da força de vontade tem papel principal, e a razão papel secundário. Esta escola fundamental do pensamento nunca se tornou obsoleta. Não é tema para requisitos específicos da atualidade que mudam de acordo com o período ou tendências.

Não superestime a razão. Na sua biografia de Schopenhauer, o senhor escreve que uma pessoa deveria recorrer à filosofia de Schopenhauer para ficar completamente atualizado. Ele reflete sobre a modernidade?

Sim, porque ainda temos uma tendência de superestimar a razão como a força que controla a vida e a história, apesar do fato de os crimes do século XX, alguns dos quais cometidos em nome da razão ou supostamente pelo bem da ciência, terem esclarecido diversas coisas para nós que não surpreenderiam a Schopenhauer. Schopenhauer cresceu numa época que eu descrevi como os “anos selvagens da filosofia”: um inebriante caleidoscópio de filosofia envolvendo a descoberta do ego e de um Logos que penetra pela natureza. Schopenhauer vai contra esse idealismo ambicioso de Fichte, Hegel e os Românticos – nos lembrando até hoje que não devemos superestimar a razão. Para ele, a redenção só pode ser atingida distanciado esteticamente uma pessoa do tumulto: um misticismo de negação que vem desde os ensinamentos budistas. Nesse sentido de infinidade, Schopenhauer ainda é atual.

A alma do cidadão é inviolável. De acordo com Schopenhauer, o estado deveria colocar “mordaça” nos “animais ferozes” para torná-los “inofensivos como um ruminante”. Dada a crise financeira e a catástrofe climática que estamos enfrentando atualmente, os políticos de hoje deveriam ler Schopenhauer?
Definitivamente sim! A filosofia de Schopenhauer sobre o estado opera na base da visão cética da humanidade e o fato de que nós humanos temos necessidade de disciplina social. Ao mesmo tempo, contudo, seus livros tornam as pessoas imunes à romantização do estado como um nível superior de ser ou moralidade à la Hegel. Schopenhauer quer um estado sóbrio e prosaico que não queira se apropriar das almas de seus cidadãos.

Muito completo. E qual vantagem Ensaios e aforismos (1851) tem sobre o excesso de guias para atingir a felicidade, alguns dos quais são obras da filosofia popular?
Mais uma vez, é porque eles oferecem uma claridade realista que se estende para a beleza. Como regra, os guias de estilo de vida de hoje são exagerados, e tem algo de errado a respeito deles. Schopenhauer, contudo, pensa apenas no que é possível. Isso não constitui uma promessa absoluta de felicidade, mas modestamente ajuda a passar pela vida de modo sensato. Isso faz com que sua obra seja bastante atraente.

Qual o papel de Schopenhauer na filosofia de hoje?

Schopenhauer ainda tem grande influência no cenário literário e artístico. A situação é bastante diferente entre filósofos profissionais. Isso tem a ver com o fato de que o pensamento de Schopenhauer é como uma bola no século XIX. Com Kant, uma pessoa pode continuar um trabalho de forma não definida – há muito que não está claro. A visão de Schopenhauer dos seres humanos e do mundo é claro e pensada calmamente até sua conclusão. Sua filosofia é completa, de forma agradável e atrativa.

Filosofia não é tudo. Particularmente o que fascina o senhor a respeito de Schopenhauer?
Para mim, uma razão pela qual sua filosofia é tão sedutora é que, em termos literais, é muito bem apresentada. Ler Schopenhauer é um grande prazer e uma experiência enormemente enriquecedora. No meu ponto de vista, o início do segundo volume de O mundo como vontade e representação é linguisticamente um dos melhores trabalhos já produzidos pela filosofia ocidental.Além disso, Schopenhauer não deixa nenhuma dúvida de que, para ele, filosofia não é tudo na vida. A parte que pensa sempre será um pouco diferente da parte que vive. Isso é algo que acho particularmente notável, dada a visão depressiva de Schopenhauer da realidade














Os perigos da obesidade

Humor, informação, erudição e lucidez, num livro estranho e sedutor.


“Obesus Insanus”, de Rogério Romano Bonato, é, mais que estranho, surpreendente. De forma inédita e criativa, traz a abordagem da obesidade epidêmica no planeta de um modo que destoa dos habituais no mercado editorial – não se trata de um livro de auto-ajuda, embora relate os esforços de um obeso por perder peso e mudar seus hábitos nocivos; não é tampouco mais um guia de como perder peso, dos que lotam as prateleiras de livrarias e oferecem uma eficácia tão promissora quanto duvidosa. Sua leitura, contudo, pode oferecer ajuda a muita gente atormentada pela questão do peso acima do desejável e pode orientar para uma virada nos hábitos no sentido de estabelecer uma vida mais saudável e menos perigosamente exposta aos inúmeros apelos e riscos com os quais a vida contemporânea tenta os gulosos.
Em 159 páginas, ilustradas por desenhos de Leonardo da Vinci (o que vem a propósito, já que Bonato faz uma especulação, baseada na história da alimentação, do que teriam sido os pratos oferecidos na “Santa Ceia” pintada pelo mestre), com prefácio e comentário de dois amigos de Donato (o médico Lyrio César Bertoli e o biólogo Sérgio Greif) e uma nota biográfica que mostra os múltiplos caminhos profissionais e estéticos da vida de Bonato, o livro é uma ótima mistura de erudição e humor.
A erudição de Bonato, no entanto, não intimida – é o cabedal de informações de um homem culto que sabe transmitir suas ideias sem adotar fórmulas pedantes e presunçosas e que sabe adequar sua cultura à mensagem que deseja veicular sem jamais rebaixar a inteligência dos leitores, colocando-se num plano de igualdade. O humor o auxilia a transmitir uma mensagem que é fundamentalmente séria e vai da boa quantidade de exemplos extraídos do cinema, da televisão, da literatura, citando atores, escritores, até relatos de uma vida pessoal de obeso em que uma das primeiras grandes descobertas feitas foi a utilidade dos suspensórios para manter as calças no lugar, por exemplo.
O livro evita dramatizar a condição do obeso de forma alarmante; antes, dá-lhe um tratamento humano, compreensivo e compassivo, e já no início seduz ao apresentar Belzebu como o demônio da Gula, numa crônica em que o autor se imagina no Inferno visitando o demônio, encarnado por ninguém menos que o cineasta e ator Orson Welles. Ao som do “Cheek to cheek”, de Fred Astaire, num cenário com pinturas de Matisse e requintes gastronômicos à mesa, o autor trava uma divertida conversa com Belzebu, e assim o leitor fica informado de uma série de curiosidades sobre a história desse pecado capital, a Gula, que é o grande inferno de todos os obesos.
Tendo adotado este tom sedutor, Bonato não o deixará mais em sua exposição. Saberá, a partir daí, colhendo exemplos da mídia, da história, da literatura, citando o mito do “gordinho simpático”, contando sua história pessoal, estabelecer um diálogo proveitoso com o leitor, fazendo com que este – especialmente se padecer do mal da obesidade – compreenda os mecanismos de ansiedade e hábitos culturalmente arraigados que levam ao círculo vicioso da compensação via “boca grande”. Nessa exposição, não faltarão os dados sobre a epidemia de obesidade que o planeta vem conhecendo a partir da vida desregrada e o hábito do “fast food”, os desequilíbrios ecológicos, as informações de cientistas, médicos, biólogos e estudiosos de comportamento, incluindo uma curiosa especulação em tom de ficção-científica sobre a eterna questão das utopias estabelecidas pelos anseios humanos, que tendem a desequilibrar ainda mais a ordem natural.
Bonato foi obeso por muito tempo, mas os inúmeros alarmes dados por seu organismo, pela irracionalidade de seu estilo de vida hiperativo, pela sua ansiedade, seus exageros no trabalho e na correria do dia-a-dia, acabaram por despertá-lo da letargia autocomplacente do gordo, traduzidos num problema bem concreto na vesícula, que o levou a uma cirurgia e a uma implantação de decidida mudança de hábitos em sua vida. Mas, não permaneceu obeso, o que é a marca de sua trajetória.
Seu livro, aliás, acaba constituindo um exemplo e uma “lição de vida” sem azedume ou pretensões teóricas exageradas. A medida do volume é sua mistura sóbria de humor, elegância expositiva, cultura geral e bom senso. O título deriva das preocupações finais de Bonato, que soube universalizar o seu caso pessoal de obesidade, apontando o mal como uma doença social grave em que se implicam muitos dos problemas contemporâneos e indicam o descaso geral do Homem com a vida no planeta, que está levando todos a riscos nada pequenos de uma catástrofe em escala nunca vista. A continuar a loucura generalizada, o “homo sapiens” poderá dar lugar ao “obesus insanus”. Humor sim, leveza sim, mas o livro nunca perde de vista a lucidez e o alarme.













ESPORTES

2ª etapa do Circuito Brasileiro de Wakeboard em Fortaleza


O evento ainda revelou campeões em mais cinco categorias

A Etapa Body Glove do Brasileiro de Wakeboard 2011, válida também para o Circuito Cearense, aconteceu entre os dias 15 e 17 de julho em Fortaleza (CE) na linda Lagoa do Colosso que foi transformada na “Praia do Wake”. O público, cerca de 3500 pessoas, marcou presença durante os três dias do evento e pôde ver de perto os melhores atletas do país.

A competição reuniu 53 atletas de 08 estados brasileiros (Minas Gerais, Pará, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Amazonas) divididos em 07 categorias: iniciante, feminino amador e intermediário (para competidores do Campeonato Cearense) e as categorias avançado, open, feminino open e profissional (para competidores do Campeonato Brasileiro).

O presidente da Associação de Wakeboard Cearense – AWC e organizador do evento, Rafael Wanderley, comemorou o sucesso da etapa. “A Lagoa do Colosso é excelente para a realização de competições, pois tem uma raia perfeita para os atletas em um local urbano que aproxima o público do esporte”, disse.

Na categoria Profissional Luciano Rondi “Deco”, de São Paulo, venceu a competição e manteve-se em primeiro no ranking brasileiro. Em segundo lugar ficou Felipe Myamoto, de Brasília, em terceiro Marcos Amato “Paçoca”, de São Paulo.

Na categoria Feminino Open, venceu a atual campeã brasileira, a mineira Teresa Lobato, a Teca. Em segundo lugar ficou Gabriela Rondi, de São Paulo, em terceiro Marcela Barros de Belém e em quarto Juliana Meirelles, de Fortaleza que ainda contaram pontos para o Circuito Cearense ficando respectivamente na primeira e segunda colocação.

Na categoria Open, Andrews Garcia, de Manaus ficou em primeiro, seguido por Rodrigo Lara e em terceiro Henrique Daibert, ambos de Minas Gerais. Na Avançado, Vitor Cordeiro, de apenas 12 anos, de São Paulo, ficou em primeiro, em segundo Antonio Rodrigues e em terceiro Daniel Garcia, ambos de São Paulo.

Pelo Circuito Cearense, Rui Ancelmo faturou a primeira colocação na categoria Intermediários, seguido de Fred Soares e Marcelo Feitoza. Já na iniciantes ficou em primeiro Renan Pontes, Joshua Burkhalter em segundo e Emmanuel Gadelha em terceiro.

O Circuito Brasileiro de Wakeboard ainda terá duas etapas, a terceira será realizada em Campo Grande (MS) nos dias 17 e 18 de setembro e a quarta e última etapa em Vinhedo nos dias 12 e 13 de novembro.

O evento contou com uma enorme estrutura projetada por Claudio Silveira. Uma grande praia artificial foi montada no local com o conforto e estrutura de um verdadeiro resort à beira mar. Além de um visual incrível, restaurantes à beira da “praia” com sanduíches naturais e açaí do Natural Leve e yogurt frozen da Yozenn.

A Body Glove marcou presença no evento lançando oficialmente no Brasil a sua linha de produtos premium, a Body Glove PR1ME. Ainda no evento a marca levou a Banda LEK'S e o wakeboarder profissional Rodrigo Frota, atleta local patrocinado pela Body Glove. O diretor da marca, Rodrigo Ferreira, elogiou a etapa. “Tivemos o privilégio de estar presente nesta linda etapa, na beira da Lagoa que está de parabéns. Ainda pretendemos fazer muitas ações em prol do wakeboard”, disse.

Festas também agitaram o final de semana na Lagoa do Colosso
Além de curtir o show de wake na Lagoa do Colosso, o público divertiu-se também com as festas oficiais do evento durante o final de semana. No primeiro dia (15), após os treinos dos atletas, aconteceu a festa de abertura “Wake Up! Open Bar”, uma das baladas mais famosas da cidade que só terminou ao amanhecer. No sábado (16) após as eliminatórias mais uma festa agitou os presentes, a “Wake ‘n’ Sound”, uma confraternização entre atletas e convidados. Durante o domingo aconteceram as finais com todas as categorias e no final de tarde o encerramento do evento com o pódio. Todos os atletas finalizaram a noite com sessions no Colosso Cable Park ao som da banda LEK´S.









SÃO JOÃO

Arraiá do Patativa de Assaré consagrou-se Bicampeão

>Veja o Resultado do Campeonato Estadual de Quadrilhas Juninas

Com uma final emocionante a quadrilha Arraiá do Patativa de Assaré consagrou-se Bicampeão do Campeonato Estadual de Quadrilhas Juninas. Em segundo lugar com apenas um décimo de diferença, ficou a Quadrilha Paixão Nordestina de Fortaleza e em terceiro lugar a Quadrilha Arraiá do Zé Testinha. A Quadrilha Fulô do Sertão, até então a única Bicampeã do Ceará Junino, ficou com a quarta colocação e a Quadrilha Junina Cheiro de Terra, campeã de 2010, ficou em quinto lugar.
O Festival abraçou um público de cerca de cinco mil pessoas, na Praça Verde do Centro Dragao do Mar de Arte e Cultura, na maior festa popular do estado, expressao máxima das tradiçoes culturais nordestinas.

A expectativa agora é para disputa regional que terá a apresentaçao da etapa final em agosto, no Centro Dragao do Mar de Arte e Cultura. Este ano o Festejo Ceará montou uma grande infraestrutura para receber as vinte melhores quadrilhas juninas do Ceará com as representantes de todas as macroregiões do estado.
Os destaques individuais ficaram com as Quadrilhas Arraiá do Zé Testinha, que levou o troféu de melhor Marcador e de Melhor Repertório Musical e a Quadrilha Paixão Nordestina ficou com os troféus de melhor rainha, melhor noivo, melhor noiva e melhor casamento junino.
O edital de fomento à quadrilha junina, lançado pela Secult, apoia as manifestaçoes culturais relacionadas às tradiçoes regionais, é único no país, e consegue abranger todo o estado, preservando a cultura nordestina em todos seus vieses, arte, dança, música, comidas típicas, artesanato, em uma das festas mais populares que marca o calendário festivo do estado.
Fomentar a arte através dos editais, dar visibilidade e democratizar as manifestaçoes culturais do Ceará, é um dos traços da política cultural da atual gestao. Além de capilarizar os recursos amplificando a participaçao de todas as regioes do estado, a cultura cearense, ressoa e se refelte em todo o país difundindo as tradiçoes culturais do Ceará, que a cada ano conta com uma maior participaçao de grupos do interior e da capital.





PATRIMÔNIO HISTÓRICO


Museu do Ceará comemora 90 anos de Nice Firmeza


O Museu do Ceará, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, realiza no dia 13, às 18h, a abertura da exposição “Bandeiras da Nice”. O evento é uma homenagem aos 90 anos da artista plástica Nice Firmeza. A exposição contará com um acervo de 28 quadros inéditos emoldurados feitos há 17 anos atrás artista. Os são interferências realizadas a partir de um desenho do renomado artista plástico cearense Antônio Bandeira, que está num catalógo do Mini-Museu Firmeza, de propriedade Nice e Estrigas.
Nice Firmeza nasceu em Aracati, em 1921, onde iniciou na arte com uma freira do colégio onde estudava. Em 1951 a artista expõe pela primeira vez seu trabalho no Salão de Abril, participando, posteriormente, de mais treze edições. Entre 2003 e 2009 recebe várias homenagens, inclusive o título de cidadã de Fortaleza.














KIDS FÉRIAS

Opções infantis em Julho


Espetáculos de teatro como “A Galinha Pintadinha Cover”, e “Chapeuzinho Vermelho” são algumas das atrações para a criançada nas férias de Fortaleza

O Estado destaca hoje várias opções para garotada se divertir nas férias de julho em Fortaleza. Contar a história clássica de “chapeuzinho vermelho”, que todo mundo já ouviu falar, mas com um toque contemporâneo. Esse é o desafio do grupo Abre Alas, que apresenta o espetáculo aos sábados e domingos do mês de julho, no Teatro SESC Emiliano Queiroz, às 20h. Nesta versão, a história de chapeuzinho vermelho tem a mesma base da original. Uma garota que se perde no caminho da casa da avó. Mas o que aconteceu neste trajeto? Como o caçador entrou na história? O lobo é realmente mau? Essa é a proposta do grupo Abre Alas nesta montagem divertida do conhecido conto infantil. Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia)

Sucesso em DVD em todo o país, o espetáculo “A Galinha Pintadinha Cover” vem fazer a alegria da criançada nos dias 16 e 17 de julho, em sessões às 16h, no Teatro do Via Sul Shopping. Os personagens mais queridos vão contagiar o público com as músicas preferidas dos pequenos, como "A Barata", “A Galinha e o Galo Carijó”, “Alecrim”, “Formiguinha”, “Mariana Conta”, “Meu Lanchinho”, “O Sapo”, “Pintinho Amarelinho”, “Quem está Feliz”, “Sapo Cururu”, “Se essa Rua Fosse Minha” e outras canções infantis.

A Galinha Pintadinha já gravou dois DVDs com inúmeras canções de domínio público, com 250 mil cópias já vendidas em todo Brasil. O musical é uma montagem da Idearte Produções – com adaptação e direção de Glaydson Almeida e produção local de Emanoel Ribeiro. “O formato do espetáculo aproxima as gerações, já que as crianças cantam as mesmas canções que seus pais cantavam na infância”, revela o diretor Glaydson Almeida. Vale a pena assistir, cantar, brincar e se emocionar com este grande musical. Ingressos: R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia) – à venda na bilheteria do Teatro – (85) 3404-4027 e através do www.ingresso.com .
Até 31 de julho, o Shopping Del Paseo apresenta uma programação de férias cheia de música e brincadeiras. Com acesso gratuito, as atividades se destinam a crianças e adultos. A começar pelas atrações infantis, de segunda a domingo, no Piso L1, as crianças participam de atividades educativas e lúdicas como pintura de rosto, montagem de histórias e oficinas. De segunda a sexta, das 15h às 20h, os pequenos são convidados a visitar o "Reino Encantado", cenário especialmente montado para a programação, que permite a interação com narrativas e personagens de contos de fadas. A brincadeira continua com escultura de balões, pinturas, desenhos e pintura de rosto. Às quintas, os clássicos da literatura infantil embalam os pequenos, que montam a história de acordo com sua imaginação, sempre das 18h às 19h.

O Shopping Del Paseo promove até o dia 29 de julho a quarta edição da Colônia de Férias do Game Station. De segunda a sexta, das 10h às 13h, os participantes se divertem em atividades lúdicas e interativas, como pintura, desenho, quebra-cabeça e jogos de tabuleiro, além de poderem usufruir de todas as máquinas do espaço. As atividades são acompanhadas por monitores e dão direito a um delicioso lanche. As inscrições, no valor de R$ 35, devem ser feitas previamente. Menores de 10 anos devem, obrigatoriamente, estar acompanhados por um responsável, que também tem direito ao lanche. Informações: (85) 3456.3313.

A Pizza Vignoli, eleita desde 2005 a melhor pizzaria da cidade, oferece em dois de seus restaurantes um espaço infantil com muita brincadeira e diversão. Sob a supervisão de um monitor, as crianças aprendem brincando, enquanto os adultos conversam e saboreiam os produtos Vignoli. O espaço, que é climatizado, conta também com uma brinquedoteca, cujo acervo inclui jogos e livros educativos, além de filmes especiais para os pequenos. Entrada: R$ 5,00. Informações: 3267-9450

Há quinze anos no mercado a churrascaria Sal e Brasa está atenta às necessidades de seus clientes e oferece um completo espaço infantil com grande variedade de passatempos. Em um espaço climatizado e com a presença de monitores, as crianças podem se divertir comos mais variados jogos, como vídeo games, pula-pula, cama elástica e piscina de bolinhas. Atividades lúdicas como pintura e desenho completam o serviço. Entrada: R$ 8,80. Informações: (85) 3261.8888.
Está recheada de novidades a programação de férias do Shopping Benfica, e neste domingo (24/07) das 17 às 19h, acontecará a tão esperada Oficina Infantil de "Bonecos Agarradinhos " e Apresentação do Teatro de Fantoches "Romeu e Julieta no Sertão", pela Cia MiDê Alegria, além de poder participar do concurso cultural de Responsabilidade Ambiental, respondendo a seguinte pergunta: "O que você faz bem pelo meio ambiente" e concorrer a um passaporte para o Y-Park.









FORRÓ NOS TRILHOS AGITA
FÉRIAS EM FORTALEZA


O Forró nos Trilhos traz diversão e cultura para aproveitar as férias em Fortaleza. De 15 a 31 de julho, dois vagões sairão diariamente da Estação Ferroviária João Felipe animados por bandas de forró e decorados como as tradicionais festas de São João. O percurso vai até Caucaia, município a 15 km da capital cearense, com saídas às 9h40, de segunda-feira a sábado, e às 10h aos domingos. A viagem leva aproximadamente 1h30. Os ingressos custam R$ 20,00 com meia-entrada de R$ 10,00. O projeto cultural é promovido pela Prefeitura Municipal de Fortaleza, através da Secretaria de Turismo de Fortaleza (Setfor) e do Governo do Estado, através da Secretaria de Infraestrutura e do Metrofor.

Os ingressos podem ser adquiridos na estação e cada vagão tem capacidade para 120 pessoas. Às segundas-feiras, o Forró nos Trilhos será gratuito para organizações não governamentais, sindicatos, entidades assistenciais, que deverão agendar previamente através do telefone 3133.3500.

Os dois vagões do Forró nos Trilhos recebem, na parte externa, xilogravuras que os identificam e fazem uma bela homenagem à cultura popular. Internamente, serão decorados com bandeirinhas e balões que colorem as festas de São João. Para animar a viagem, os viajantes podem beber cajuína, degustar um pé de moleque ou baião de dois, ao som do forró pé-de-serra. No repertório, sucessos de Waldonys, dos mestres Dominguinhos e Luiz Gonzaga, além da composição de novas bandas, como: Caçimba de Aluá, Estrela do Norte, Os Maneiros e Os Januários. Na volta à Fortaleza, a Associação Comercial do Centro de Turismo (Acentur) recepciona os viajantes com mais forró e uma animada quadrilha junina.

“O Forró nos Trilhos valoriza a cultura tradicional dando visibilidade ao forró pé-de-serra, em contraponto aos grandes espetáculos das bandas eletrônicas. O nome é um trocadilho, pois acontece no trem e porque se propõe a colocar o forró em seu devido lugar, como uma rica representação da nossa música”, explica o idealizador do projeto, o cantor, compositor, cordelista e apresentador do programa Ceará Caboclo, Dilson Pinheiro.





HARRY 3D


Final de 'Harry Potter' será lançada sexta-feira

Com “Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte Dois” chega ao fim a saga do bruxinho

Depois de sete filmes, o primeiro de 2001, a saga do bruxinho Harry Potter chega ao fim com a estreia do longa "Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 2", na sexta-feira. O fim da história de sucesso da escritora inglesa J.K. Rowling promete grandes surpresas e efeitos especias ainda mais surpreendentes. Para aqueles quem leu todos livros e já sabe o que os bruxos Harry Potter (Daniel Radcliffe), Hermione Granger (Emma Watson) e Ron Weasley (Rupert Grint) esperam pela frente, o filme trará uma imensidão de efeitos especiais, prometidos pelo diretor David Yates, e reviverá os últimos momentos de uma das narrativas mais lidas no mundo inteiro. Para aqueles que esperaram para saber o fim da história nos cinemas, o último capítulo da saga continua a mostrar os adolescentes em busca das três últimas Horcruxes, para conseguir finalmente destruir Voldemort, o Lorde das Trevas. Já crescidos e em seu último ano na escola de magia de Hogwarts, Harry, Rony e Hermione decidem terminar o trabalho começado pelo professor Dumbledore e tentam encontrar o restante das Horcruxes* para derrotar Voldemort, o Lorde das Trevas.


*Horcruxes: Objeto mágico no qual foi inserido a alma de um bruxo. Tom Riddle, o Lord Valdmort, pesquisou sobre as Horcruxes quando ainda estudava em Hogwarts. Os objetos mágicos foram revelados pela primeira vez no filme "Enigma do Príncipe". No total, existem sete Horcruxes espalhadas pelo mundo bruxo, São elas: O Diário de Tom Riddle, O Anel de Servolo Gaunt, O Medalhão de Slytherin, A Taça de Hufflepuff, A Cobra Nagini, O Diadema de Ravenclaw e a cicatriz de Harry Potter.

O produtor de Harry Potter, David Heyman, confirmou que a última parte da saga será lançada em 3D. No ano passado, a Warner Bros Pictures anunciou que não teria sido possível produzir uma versão 3D de Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte Um a tempo de seu lançamento. "Apesar dos esforços de todos, não conseguimos converter o filme inteiramente e alcançar os padrões mais altos de qualidade", disse o estúdio em comunicado, na época. Mas, ao que tudo indica, não haverá problemas para lançar a segunda parte do longa em 3D. "Sim, haverá uma versão em 3D. Nós não fizemos isso com a primeira parte porque não sentimos que conseguiríamos fazer isso da maneira correta", disse Heyman. "Nós estávamos mergulhando no universo 3D pela primeira vez, era um mundo novo para nós. Não houve tempo para fazê-lo da forma certa e a Warner foi muito gentil e nos apoiou", declarou o produtor e parceiro de Heyman, David Barron.

"Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 2" estará em cartaz no Multiplex UCI Ribeiro Iguatemi, Via Sul e outros cinemas de Fortaleza. Confira horários e programação completa no blog Divirta-CE (www.divirta-ce.blogspot.com) e saiba no site do Jornal O Estado

















CINEMA


"Um Novo Despertar" de Jodie Foster

A atriz e Mel Gibson em cena do filme que está em cartaz no Multiplex UCI Ribeiro Iguatemi

A maioria das pessoas imagina que quando chegar aos 60 ou 70 anos irá se aposentar, mas Jodie Foster espera continuar atuando nessa fase de sua vida, em uma espécie de renascimento profissional. A atriz de 48 anos, que iniciou a carreira ainda criança, vê seu novo drama "Um Novo Despertar", dirigido por ela, chegar aos cinemas – em Fortaleza está em cartaz no Multiplex UCI Ribeiro Iguatemi. Ela disse à Reuters que nos próximos dez anos provavelmente vai se concentrar mais em dirigir que em atuar, porque os papéis que lhe são oferecidos na meia-idade simplesmente não são muito interessantes. "Acho que estou mais ansiosa pelos papéis que vou representar quando estiver na casa dos 60 ou 70", disse Foster no festival South by Southwest, em Austin, no Texas, onde "Um Novo Despertar" teve sua première.
A atriz premiada com o Oscar também se vê em papéis que exigem seu envolvimento pesado na promoção, "na capa de uma revista, coisa na qual não estou tão interessada". Neste momento, ela diz que prefere estar atrás das câmeras, explorando temas em filmes que sejam arriscados ou complexos, como "Um Novo Despertar".
Seu terceiro e mais recente trabalho como diretora é o primeiro desde "Home for the Holidays", de 1995. Seu outro trabalho na direção foi "Mentes que Brilham", de 1991. Os dois filmes foram bem recebidos, embora não universalmente apreciados, e até agora "Um Novo Despertar" vem recebendo críticas em sua maioria positivas vindas do festival South by Southwest.
Para o Hollywood Reporter, o filme é "uma aposta arriscada que dá certo" e que "sobrevive aos paralelos que traça entre vida e arte para transmitir um retrato esperançoso de doença mental que, apesar de bizarro, é sério e sensível".








HOLLYWOOD


Tom Hanks diz que Julia Roberts é seu par perfeito


Os astros em cena de "Larry Crowne - O Amor Está de Volta"

O ator americano Tom Hanks declarou ontem que Julia Roberts, com quem trabalha em "Larry Crowne - O Amor Está de Volta", é a "melhor atriz" e "o par cinematográfico perfeito", que o fez dar o melhor de si durante as gravações.
Em entrevista concedida a vários veículos de comunicação franceses por ocasião da estreia do filme no Japão, Hanks, 54, afirmou ter escrito o papel especialmente para Julia, com quem já tinha trabalhado em "Jogos do Poder" (2007), de Mike Nichols. "Ela e eu temos as mesmas prioridades, tanto na vida quanto no estúdio. Acho que, por isso, há tanta química entre nós", declarou o ator ao jornal "Le Figaro", ao qual revelou ainda que junto a Julia se deu conta de pode dar o melhor de si.

"Larry Crowne - O Amor Está de Volta" narra a história de um homem de 50 anos que perde de um dia para outro seu trabalho e sua casa e, apesar de tudo, decide reinventar sua vida e voltar a estudar para completar sua formação acadêmica. É na sala de aula que ele conhece e se apaixona por Mercedes Tainot, interpretada por Julia, uma professora da universidade desiludida com seu trabalho e com seu casamento.

Hanks revelou que se identificou com o otimismo de seu personagem: "Se tenho algo em comum com ele é isso. Eu me levanto e a cada manhã me pergunto como posso aproveitar o dia da melhor maneira possível". Além de atuar no filme, Hanks foi o roteirista ao lado da canadense Nia Vardalos, conhecida por escrever, dirigir e protagonizar "Casamento Grego" (2002).













Orquestra Filarmônica do Ceará se apresenta com pianista da Áustria

A “5ª Sinfonia de Beethoven” traz Reginaldo Mordenti ao palco do Theatro José de Alencar, nesta quarta-feira, 13 de julho, às 20 horas.
A entrada é franca.



Sob regência do maestro Gladson Carvalho, a Orquestra Filarmônica do Ceará (OFCE) sobe aos palcos do Theatro José de Alencar, no dia 13 de julho, para apresentar a 5ª Sinfonia de Beethoven.

O concerto vai contar com a participação do solista em piano Reginaldo Mordenti, que desde 1981 reside em Viena (Áustria), onde aperfeiçoou seu talento musical e iniciou a carreira internacional, apresentando-se em recitais e concertos por toda Europa e em países como o Canadá, Estados Unidos, Nigéria, Hungria, República Tcheca e Brasil. Atualmente, Mordenti é professor no Conservatório Musical de Neulengbach, na Aústria, onde leciona técnica e alta interpretação pianística.

O projeto “As Sinfonias de Beethoven” tem apoio da Secretaria de Cultura do Estado, através da Lei No 13.811, de 16 de agosto de 2006, e patrocínio da Coelce. A apresentação está marcada para as 20h.

Confira o programa do concerto:

As Sinfonias de Beethoven – 5ª Sinfonia

Allegro con brio
Andante con molto
Allegro
Tchaikovsky - Concerto nº 1 em si bemol menor, para piano e orquestra, com solista convidado - Reginaldo Mordenti (Viena/Áustria)
Allegro non tropo e molto magestoso
anmdante simplice
alegro con fuoco

Local: Theatro José de Alencar
Horário: 20h
A entrada é gratuita

Mais informações
(85)3287-1378 / 9618-5840 / 8791-0644











LIVROS - NÃO-FICÇÃO


Perversidade, escândalo e mentiras


“Operação Hurricane” lançamento da Geração Editorial, mostra os bastidores de mais uma operação da Polícia Federal


Quatro anos depois de ter sido preso e desmoralizado injustamente, com transmissão direta pela Rede Globo, apesar do “segredo de justiça” da operação, o desembargador José Eduardo Carreira Alvim publica, pela Geração Editorial, o livro Operação Hurricane – um juiz no olho do furacão, em que desmonta o que chama de farsa montada pela Polícia Federal – farsa aceita pela Justiça e pela mídia, que o impediu de ser eleito presidente do Tribunal Regional Federal da 2ª Região e o levou à prisão e à aposentadoria antecipada.
Em relato claro, didático, detalhado e impressionante pelas revelações que desnudam os bastidores da Justiça brasileira, Carreira Alvim conta seu calvário, busca as razões de ter sido preso por crimes que não praticou, indaga por que seus direitos de magistrado não foram respeitados e denuncia ter sido vítima de uma conspiração odiosa, tramada por altas autoridades da justiça e da polícia. Estranhamente, seu processo está parado desde 2007 no Supremo Tribunal Federal – STF.

Ele foi preso sob a acusação – inverídica, segundo ele – de ter recebido pagamento para autorizar o funcionamento de casas de bingo no Rio de Janeiro e integrar uma quadrilha que beneficiava os donos das casas de jogo. Teve sua vida devassada pela Polícia Federal e pelo fisco, mas nada contra ele foi encontrado. Apesar disso, foi afastado do Tribunal Regional Federal e aposentado.



















LIVROS - NÃO-FICÇÃO

Biografia de Elton John retrata altos e baixos do músico

Elton John tornou-se um ícone da música e é sempre lembrado pelo seu estilo espalhafatoso. Recentemente voltou a ser tema na mídia após adotar uma criança junto com seu companheiro de anos.

A vida e a carreira, sempre polêmicas e repletas
de histórias de reinvenção, estão agora registrada em "Elton John - A Biografia". O livro acompanha suas seis décadas, nas quais marcou a indústria fonográfica como compositor e intérprete.

Fora seu trabalho, ocupou as páginas de jornais com abuso de drogas, alcoolismo, combate contra a Aids, homossexualidade e uma vida autodestrutiva. Grande parte de seus problemas decorriam de sua baixa autoestima e dificuldade de entender sua sexualidade.

Este ritmo levou a dez anos de decadência do qual só se recuperou quando a morte de Ryan White, aos 18 anos por conta da AIDS, o levou a reconsiderar seu estilo de vida.

A partir disso, viveu na década de 1990 um renascimento. Seu primeiro grande trabalho foi a premiada trilha sonora de "O Rei Leão". Sua amizade com a princesa Diana também ficou famosa, especialmente após a música composta em sua homenagem após a morte trágica.















QUADRINHOS





Jornalismo em quadrinhos


“Palestina”, obra do quadrinista Joe Sacco, que está participando da Flip, ganha edição de luxo

Durante a mesa 'História em HQ", na Flip 2011, Feira Literária Internacional de Paraty (RJ), Joe Sacco falou sobre suas longas reportagens em quadrinhos. Seus trabalhos mais conhecidos são “Palestina: uma nação ocupada”, que escreveu durante uma viagem nos anos 90, relatando as condições de vida dos civis prejudicados pelos conflitos entre palestinos e israelenses. De carona na presença do autor no Brasil, o quadrinista e jornalista maltês, a editora Conrad relança, nesta semana, um dos maiores sucessos editoriais dos últimos anos: Palestina - Uma Nação Ocupada (328 páginas; R$ 69,90), em uma nova edição de luxo com os dois volumes da obra, os prefácios originais e adicionais de textos, fotos, desenhos, capa dura e uma introdução inédita de Joe Sacco.
A HQ recebeu os prêmios mais importantes do mundo dos quadrinhos, incluindo o American Book Award, por sua importância como retrato único do drama do povo palestino. O livro todo é baseado em meses de pesquisa e uma longa viagem ao Banco Ocidental e à Faixa de Gaza.

Palestina mostra ao leitor a linha de frente dos conflitos na região. Em meio a tiroteios e bombas de gás no mercado, soldados espancando civis, bloqueios nas estradas e hospitais cheios de feridos, Joe Sacco entrevistou mais de cem pessoas, entre palestinos e judeus. Palestina é o retrato da história contada pelos prisioneiros, refugiados, protestantes, crianças feridas, fazendeiros que perderam suas terras e famílias destruídas pela guerra.
Além das 288 páginas da história original e da introdução de Edward Said e do jornalista José Arbex Jr, que já cobriu o conflito israelo-palestino, esta nova edição de Palestina inclui material nunca antes publicado: notas, esboços e fotografias de referência usadas na criação da obra, além de uma introdução de Joe Sacco sobre a questão do livro, escrita em julho de 2007.
São mais de 20 páginas adicionais que funcionam como uma espécie de making off dos dois volumes, onde o autor conta como deu vida à sua obra definitiva. Joe Sacco transforma suas reportagens em uma das formas mais ousadas de captar o fluxo dos acontecimentos da atualidade: a história em quadrinhos.

Com rigor jornalístico e sensibilidade para os sofrimentos do homem concreto, Sacco transpôs suas experiências em regiões conflagradas como os Bálcãs e a Palestina para a linguagem das graphic novels, dando corpo e rosto aos flagelos da política contemporânea. Sacco é o autor de vários livros já traduzidos para o português como Notas sobre Gazza, Derrotista, Área de Segurança: Gorazde, Palestina: na Faixa de Gaza, Palestina: Uma Nação Ocupada e Uma História de Sarajevo.
Seu mais recente lançamento no Brasil, Notas sobre Gaza, Sacco discute os conflitos da Guerra de Suez (1956), a partir de relatos e arquivos que coletou durante uma viagem ao Oriente Médio entre 2002 e 2003. Durante a mesa, o quadrinista mostrou algumas imagens de Notas sobre Gaza, falou sobre os desafios de escrever uma reportagem em quadrinhos, tarefa que pode levar anos. "O bom de escrever em quadrinhos é que eu posso levar o leitor ao passado, ambientar os cenários e mostrar ângulos que são impossíveis para os fotojornalistas", contou. "O quadrinho dá a vantagem de você mostrar os fatos com múltiplas imagens". Sobre suas influências, Joe Sacco citou o quadrinista Robert Crumb, sensação da Flip do ano passado e também a admiração pelos textos de George Orwell e Hunter S. Thompson.








ARTES PLÁSTICAS, ARQUITETURA, DESIGN


Exposição sobre Luiz Gonzaga


Museu da Imagem e do Som lança nova mostra


O Museu da Imagem e do Som do Ceará (MIS) lançou a exposição “A Versatilidade de Luiz Gonzaga”. A exposição é uma homenagem antecipada ao centenário do mestre da sanfona e um dos maiores ícones da cultura brasileira Luiz Gonzaga. O evento, que ficará em cartaz durante todo o mês de julho, apresentará várias facetas do artista desconhecidas do grande público. De acordo com o diretor do MIS, Nireiz de Azevedo, o visitante terá a oportunidade de conhecer o Luiz Gonzaga carnavalesco, o Luiz Gonzaga chorão, Gonzagão tocando valsa, e outros. Durante a programação de abertura haverá uma apresentação do grupo musical Vozes da Cera, o lançamento do cordel Assim Cantou Gonzagão, de Paulo de Tarso, além de uma palestra com o historiador Nireiz de Azevedo sobre o tema da exposição.










MÚSICA

A nova coletânea de Sade

The Ultimate Collection, álbum duplo, traz 29 faixas e três músicas inéditas

Dezessete anos após a edição da coletânea The Best of Sade (1994), a gravadora Sony Music põe nas lojas e internet a segunda compilação da banda liderada pela cantora Sade Adu. Conhecida pelo som único, Sade e sua banda lançam a coletânea The Ultimate Collection. O álbum duplo traz 29 faixas que reúnem todos os clássicos, como “Lover’s Rock” e “Soldier Of Love” e seus maiores sucessos, além de mais três músicas inéditas, dentre elas um remix de “The Moon And The Sky” com a participação de Jay-Z. The Ultimate Collection contém 15 faixas que não estavam na coletânea Best Of, de 1994.
Desde o lançamento de seu álbum de estreia, Diamond Life, em 1984, Sade viu todos os seus cinco álbuns gravados em estúdio no Top 10 da Billboard e vendeu mais de 50 milhões de cópias no mundo inteiro. A cantora foi indicada a diversos prêmios, entre eles o American Music Awards, MTV Video Music Awards e recebeu quatro Grammy Awards.








BARES, CAFÉS, SOVETES, SANDUÍCHES

PROJETO RÁDIO77 TODA QUINTA NO FAFI BAR
DJ RORIX, discotecando o melhor do indie rock e classicos dos anos 80 e 90.

Toda Quinta Feira
Inciando sempre às 23h, até o ultimo cliente.
Não cobramos couvert
FAFI BAR: Rua Norvinda Pires, 55 Aldeota
Informações: 85 3261-304
















GASTRONOMIA

A tradicional caranguejada tem espaço garantido no BNB Clube - Sede Aldeota.

Nesta quinta-feira (14), acompanhando a iguaria que é a cara do Ceará, uma seleção especial de sucessos da MPB com o cantor Paulo Márcio. A bandar Rubber Soul é a atração principal do Petiscos & Beatles desta sexta-feira (15) no BNB Clube. O grupo, que faz cover da banda inglesa há mais de 20 anos, apresenta uma seleção especial de músicas para fã nenhum botar defeito. Quem gosta de dança de salão tem o seu momento no Sexta com Classe, realizado no BNB Clube – Sede Aldeota. Nesta sexta (15), a partir das 22 horas, a banda Os Brasas toca músicas que marcaram gerações, mas o show é feito pelo público na pista de dança. A combinação de samba e feijoada é um sucesso nos sábados do BNB Clube – Sede Aldeota. Neste dia 16, a partir das 12h30, sócios, convidados e público em geral podem saborear a feijoada e curtir um o ritmo do grupo Sambolejo. Mais informações: (85) 4006.7200.









SHOWS

Projeto Retratos do Vento acontece neste domingo no teatro Flávio Ponte

Num clima de descontração e encontro, ao som do mar e da boa música, o projeto Retratos do Vento, realizado pela Prefeitura de Fortaleza através da Secretaria de Cultura de Fortaleza, volta a acontecer neste mês. Um convite ao público para ocupar o Anfiteatro Flávio Ponte, mais conhecido pela população como Anfiteatro da Volta da Jurema. A ideia é dar continuidade às ações sócio-culturais de formação de plateia e entretenimento como opção de lazer para moradores e visitantes de Fortaleza. A cada domingo, um grupo instrumental e um vocal sobem ao palco, representando alguns dos nomes mais importantes da cena local. Segundo a Secretária de Cultura, Fátima Mesquita, “este é um momento para presentear os fortalezense e os visitantes com a boa música cearense, prestigiando nossos artistas locais neste equipamento maravilhoso que é o teatro Flávio Ponte a Beira Mar.”

Abrindo a programação, neste próximo domingo, o Samba de Gafieira faz um repertório com samba, choro, maxixe e o tempero da gafieira. Além de Tarcísio Sardinha, responsável pela direção musical, fazem parte do grupo Márcio Rezende (sax tenor e flauta), Giltácio Santos (sax alto e clarinete), Rômulo do Trombone, Jean (trompete), Denilson Lopes (bateria), Chico do Cavaco, Fernando do Pandeiro e Igor Ribeiro (percussão). Em seguida, o cantor Rubens Gouveia sobe ao palco, apresentando sambas antigos e interpretando canções que rememoram sua infância. Rubens já dividiu o palco com grandes nomes da música cearense como Macaúba, Carlinhos Patriolino, dentre outros.

O projeto Retratos do Vento, que empresta o nome de uma composição de Valdo Aderaldo, é a de contemplar alguns dos nomes mais importante da cena musical de Fortaleza, oferecer aos ouvidos de moradores e visitantes da cidade música cearense de qualidade, incentivando assim, através da cultura, uma relação mais intima entre cidadãos e espaço público.

SERVIÇO //

Retratos do Vento. Dias 10, 17, 24 e 31, domingo, com show instrumental (às 18h30) e vocal (às 20h), no Anfiteatro Flávio Ponte (Avenida Beira-Mar)







QUIMERAS DE TEATRO ENCENA “UMA NOITE QUASE VAZIA”

O grupo Quimeras de Teatro apresenta no Teatro SESC Emiliano Queiroz, a peça “Uma Noite Quase Vazia”. O espetáculo ficará em cartaz todo o mês de julho, aos sábados e domingos, sempre às 20h. O texto é escrito e dirigido por Antônio Marcelo. A peça fala sobre a fé e traz questões relevantes sobre até onde a fé pode erguer ou destruir alguém. Trata-se de um espetáculo sobre a demolição dos mitos.

Com influências detectáveis da obra rodrigueana, o texto transita pelo inconsciente do homem, que ainda está permanentemente ligado ao passado. Seus personagens vivem uma realidade claustrofóbica onde suas ações são polarizadas e se mostram irônicas, moralistas e detratoras de sentimentos indefinidos.

Aurélia é uma mulher que vive um embate entre a religião e o instinto, e tenta a todo custo sustentar um casamento falido pela impercepção da convivência. Em contrapartida, Olavo, seu esposo, movido a paixão, comete uma loucura que levará as personagens à reinvenção delas mesmas.

Uma Noite Quase Vazia é um texto poético no tocante da palavra e traz consigo uma sonoridade lapiante e cortante.

“Uma Noite tem mistérios, ela constrói e reconstrói seus personagens. Eles são de carne e osso, mas o enredo envolve seus elementos e signos numa teia umbilical onde o diálogo, apesar de compreensivo, não traz soluções”, descreve o autor e diretor da peça, Antônio Marcelo, numa alusão à sua obra.

Aurélia e Olavo estão diante de uma separação iminente. Daí adiante os acontecimentos se sucedem e nada pode ser evitado. Os personagens, cada um deles têm seus motivos. Mas cabe a pergunta: Seria Aurélia, a protagonista, uma vilã?

O espetáculo é o 21º montado pelo grupo, sendo o 16º de sua autoria que é encenado, uma vez que o autor já apresentou espetáculos de outros escritores. A peça teve sua estréia no ano de 2010, ficou em cartaz no mês de julho, no Teatro Morro do Ouro, em Fortaleza. A montagem teve onze indicações ao Prêmio Balaio de Teatro de 2010, tendo vencido na categoria de melhor espetáculo.

O grupo, que este ano, comemora 15 anos de atividades no cenário teatral cearense, já apresentou os espetáculos “Sem Licença para Amar” (1997), “Victoria Capuleto”, (1998), O Beco, (1998/1999), “Eu Sou Antes, Eu Sou Quase, Eu Sou Nunca” (2000), “Na Minha Piscina de Azulejos Azuis, Nem Morta “(2002), “No Escurinho do Cinema” (2003) Amores Marginais (2006), dentre outros.

Além disso, nesta nova temporada, o espetáculo marca o reencontro do autor e diretor, Antônio Marcelo com atriz Kátia Camila como a protagonista Aurélia, a quem o diretor não poupa elogios.

A atriz dá vida a mais uma personagem marcante em sua carreira. Ela que já interpretou personagens de Ibsen, Nelson Rodrigues, August Strindberg, Maria Clara Machado, Eduardo Campos, Plínio Marcos, Mauro Rasi, entre outros.

“Kátia Camila é uma digna representante do Teatro Cearense, é um nome que faz brilhar qualquer montagem. Ela entrou em cena nos anos oitenta para não mais sair. Nos palcos, ela tem despertado a admiração de todos que têm o privilegio de vê-la atuar”, declara o autor e diretor da montagem teatral.

O diretor não saberia dizer qual o papel mais marcante da atriz. Mas destaca a sua atuação em Senhorita Júlia, do dramaturgo e romancista sueco August Strindberg, montada em 2002, pelo grupo de teatro Balaio.

“Tratando-se de Kátia Camila tudo é improvável. Ela sempre que reaparece se transforma, e se entrega ao oficio que sabe exercer com maestria”, ressalta o autor de “Uma Noite Quase Vazia”.


SERVIÇO:

Espetáculo “Uma Noite Quase Vazia”
Local: Teatro SESC Emiliano Queiroz
Av. Duque de Caxias, 1701 – Centro (em frente ao DNOCS)
Data: JULHO/2011 – Sábado e Domingos – 20 hs.
Gênero: Drama Filosófico
Ingresso: 10 reais (inteira) 5 reais (meia)
Censura: 16 anos
Elenco: Kátia Camila, Carlos Wagner, Patrícia Bastos, Rommel Costa, Levi Adonai, Bibi Mesquita, Samuel Moura e Gláucia Alencar.













“Ópera do Malandro” no Teatro do Via Sul Shopping

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) apresenta o musical “Ópera do Malandro” no Teatro do Via Sul Shopping, nos dias 7, 12, 14, 19, 21, 26 e 28 de julho, às 20h. Levada aos palcos e ao cinema, “Ópera do Malandro” é, aqui, transposta para a realidade contemporânea, num musical multimídia com fortes pinceladas críticas, de beleza, mostrando a poesia dura da cidade. Célebre obra de Chico Buarque e Ruy Guerra, o espetáculo marca também a conclusão da primeira turma de Licenciatura em Teatro do IFCE – mobilizando diversos núcleos artísticos e de pesquisas do Instituto – com a participação de convidados que apostam na construção de um musical 100% cearense. Com certeza, a conferir. Mais informações: (85) 3404-4027.








BELEZA

REVALÉSKIN INTENSE RECOVERY ATUA COMO ALIADO DA PELE


Com menos luz e calor, o inverno é a estação do ano mais esperada pela maioria das mulheres que procuram tratamentos de pele não invasivos como peelings, lasers e/ou luz intensa pulsada. Isso porque, em geral, esse tipo de procedimento deixa a pele mais sensibilizada, o que exige ainda mais cuidados como, por exemplo, não se expor ao sol ou calor4.

“No inverno, a pele normalmente se torna seca e já há a necessidade de prescrever produtos que ajudem a regenerar essa pele mais intensamente”, afirma o dermatologista André Vieira Braz, professor assistente do setor de cosmiatria da Policlínica Geral do Rio de Janeiro (PGRJ)4. “Após um tratamento com luz intensa pulsada, por exemplo, - que ajuda a melhorar a textura da pele, clareando as manchas (melanoses solares) e os vasinhos (telangectasia) – é preciso recorrer a produtos ricos em princípios ativos, principalmente os antioxidantes, porque ajudam a reduzir a vermelhidão e acalmar a pele mais rapidamente.” complementa 4.

10 vezes mais potente17

RevaléskinTM é a primeira linha de produtos anti-idade que contém CoffeeBerry®, um antioxidante natural – extraído do fruto semimaduro do café (Coffea arabica), que ajuda a prevenir os sinais de envelhecimento precoce5,11,18.

O CoffeeBerry® é um antioxidante 10 vezes mais potente que os antioxidantes tradicionais1,2,17. No extrato do fruto do café semimaduro são encontrados polifenóis que protegem contra os radicais livres e previnem o dano celular provocado pelos raios UVA e UVB6,7,8. Protegem ainda o colágeno, a elastina e o ácido hialurônico presentes na pele9. Revaléskin reduz a vermelhidão induzido por radiação UVB7 e melhora da hidratação cutânea9.

Além de sua ação antioxidante, o CoffeeBerry® tem ação antiglicante3,10, pois, ao sequestrar os radicais livres, previne a formação de AGEs (advanced glycation end products) pela inibição do dano foto-oxidativo, dos lipídeos, das proteínas, das membranas celulares e do DNA3,10.


REVALÉSKINTM Intense Recovery: serum em frasco de 30 ml


REVALÉSKINTM Intense Recovery é um serum para uso diurno e noturno. Contém 1,5% CoffeeBerry®. Em sua formulação, também estão presentes o Licorice, vitamina E, Vitis Vinifera, peptídeos e mais nove agentes hidratantes.11 O licorice, extrato vegetal da folha do alcaçuz (Glycyrrhiza glabra), reduz a vermelhidão da pele e ainda tem ação hidratante.12,13 A vitamina E confere prevenção ao estresse oxidativo (ou peroxidação lipídica) e proteção às proteínas do estrato córneo (camada mais superficial da pele). 14,15


Os peptídeos tem papel importante na estimulação do colágeno13 , e o Vitis Vinifera, polifenol extraído da semente da uva vermelha, contribui para a melhora da elasticidade e flexibilidade da pele, protegendo a degradação do colágeno e elastina, componentes importantes na estrutura da pele.8-10

O Serum RevaléskinTM Intense Recovery, com toque seco, é hipoalergênico, por isso, é indicado para todos os tipos de pele11.

Embalagens especiais

Os produtos da Linha RevaléskinTM possuem embalagens com tecnologia Airless que proporcionam a preservação e a manutenção da qualidade do produto durante todo o período de utilização, protegendo o conteúdo contra a degradação causada pelo contato com o ambiente, pois não há retorno de ar para o interior do frasco16.







CINEMA CEARÁ

Inscrições abertas para o 5º For Rainbow

O 5º FOR RAINBOW - Festival de Cinema e Cultura da Diversidade Sexual está com as inscrições abertas até 25 de agosto. O Festival tem por finalidade levar ao público cearense a produção de cinema e vídeo do País com temática LGBT, possibilitando o intercâmbio entre os produtores dos diversos estados brasileiros e divulgando os novos talentos na área do audiovisual.

O FOR RAINBOW está consolidado como um dos mais importantes do Brasil, relacionado a esta temática e com acesso gratuito em todos os seus espaços. Nas quatro edições o FOR RAINBOW atraiu um público médio diário de mil pessoas, percorreu vários municípios cearenses, inaugurou sua itinerância nacional em Porto Alegre, João Pessoa e Santos. Capacitou duzentas pessoas e produziu dez vídeos com a temática da diversidade sexual, utilizados para ações educativas de respeito à diversidade sexual.

O Ceará tem um histórico permanente de práticas discriminatórias e de violência contra as populações LGBT e o FOR RAINBOW busca interferir nessa realidade incentivando uma cultura de paz e celebrando a diversidade humana.








Inscrições abertas para o Prêmio SESC de Literatura

As inscrições para o Prêmio SESC de Literatura, promovido pelo Serviço Social do Comércio, estão abertas de 1º de julho a 31 de agosto. O objetivo é premiar textos inéditos nas categorias conto e romance, destinados ao público adulto. Os textos devem ser escritos em língua portuguesa, por autores brasileiros ou estrangeiros residentes no Brasil. As inscrições são gratuitas. Revelar novos talentos e promover a literatura nacional são propósitos do Prêmio SESC de Literatura. Lançado pelo SESC em 2003, o concurso identifica escritores inéditos, cujas obras possuam qualidade literária para edição e circulação nacional. Além da divulgação das obras, o Prêmio SESC também abre uma porta do mercado editorial aos estreantes: os livros vencedores são publicados pela editora Record e distribuídos para toda a rede de bibliotecas e salas de leitura do SESC e SENAC em todo o país. Mais do que oferecer uma oportunidade a novos escritores, o Prêmio SESC de Literatura cumpre um importante papel na área de cultura, proporcionando uma renovação no panorama editorial brasileiro.







Estudantes cearenses conquistam medalhas em Olimpíada Internacional de Biologia

O Brasil conquistou duas medalhas de bronze na 22ª Olimpíada Internacional de Biologia (IBO, sigla em inglês) realizada nesse fim de semana, em Taipei, capital de Taiwan. Os estudantes Pedro Oliveira, 18 anos, e Rafael Lima, 19 anos, ambos de Fortaleza, conseguiram se destacar entre os mais de 200 competidores de 56 nações.

Com esse resultado, a equipe brasileira repetiu o desempenho obtido na olimpíada do ano passado (em Changwon, na Coréia do Sul). O país participa da IBO desde 2005 e já conquistou 5 medalhas de bronze (uma em 2009, duas em 2010 e duas em 2011). No próximo ano, o evento científico acontecerá em Singapura.

Antes de viajarem para Taiwan, os jovens participaram de palestras e conheceram os laboratórios da UERJ, UniRio e do Instituto ORT, no Rio de Janeiro. Organizado pela Associação Nacional de Biossegurança (ANBIo), o treinamento da equipe olímpica contou com aulas práticas de Bioquímica, Biotecnologia, Microscopia, Ecologia, Genética, histologia vegetal e dissecção de vertebrados e invertebrados.

Para Dr. Rubens Oda, coordenador nacional da Olimpíada Brasileira de Biologia(OBB), a competição internacional aproxima o Brasil do nível curricular dos países de ponta nessa ciência.

- A competição aproxima a universidade do ensino médio, contribuindo para a divulgação de novas descobertas, a inclusão social e a aprendizagem científica – diz Oda, que acompanhou a equipe olímpica em Taiwan.