domingo, 15 de maio de 2011

DESTAQUES

Festa de SÃO JOÃO com Elba Ramalho

Cantora faz show domingo em Fortaleza, no Mercado dos Pinhões


A programação das festas juninas na capital cearense se estendem ao longo de todo o mês de junho e o movimento quadrilheiro novamente é apoiado pela Secretaria de Cultura de Fortaleza (Secultfor), através do VI Edital “Prêmio Festejos Juninos de Fortaleza – 2011”, edição Dona Maria dos Prazeres. Ao todo, 96 projetos foram contemplados, sendo 72 quadrilhas e 24 festivais juninos, que, juntos, recebem incentivo da ordem de R$ 350 mil.
Como de praxe, a Prefeitura Municipal de Fortaleza, através da Secultfor, realiza em paralelo o "Arraiá de Fortaleza", que até 2010 ocupou a Praça do Ferreira, e a partir deste ano se muda para o Mercado dos Pinhões.

Do dia 3 ao dia 5, sempre a partir das 17h, haverá apresentações de quadrilhas, folguedos, danças populares e muito forró. Comidas típicas, brincadeiras e adivinhações reforçam a festa, sob um cenário recriando um pequeno arraiá nordestino, com igrejinha, parque de diversões, comércio e c
asas enfeitadas de balões e bandeiras dos santos juninos.
No dia 3, sexta, de 6h ao meio-dia, a feira livre que acontece no entorno do Mercado dos Pinhões contará com apresentações
de emboladores, quadrilhas e grupos de dança popular. Já a partir das 21h, o público vai dançar ao som da sanfona de oito baixos de Luizinho Calixto, homenageado das festas juninas. No dia 5, domingo, a partir das 21h, a festa ganha brilho especial com o grande show “Bate, Coração”, de Chico Pessoa, com participação de Elba Ramalho e do sanfoneiro Cezzinha.
Outro destaque da programação é a celebração da "Festa de São Pedro dos Pescadores", no entorno da Igreja de São Pedro dos Pescadores, no Mucuripe, nos dias 26, 27 e 28 de junho. O padroeiro dos que vivem da pesca também será homenageado no dia 29, com procissões marítimas partindo da Barra do
Ceará e do Mucuripe. No Mucuripe, uma missa campal, a partir das 7h da manhã, reúne uma multidão de fiéis no calçadão da Avenida Beira-mar, próximo à Colônia dos Pescadores. De lá, a imagem do santo segue para a procissão das jangadas.
A Prefeitura Municipal de Fortaleza,
através da Secultfor, apóia e celebra a festa de São Pedro que, juntamente com o saber e fazer em torno da pesca artesanal nas areias do Mucuripe, incluindo a própria igrejinha de São Pedro e seu entorno, constituem o primeiro bem imaterial tombado da cidade. Manifestação da cultura tradicional
popular, a festa acontece desde 1932 e, de acordo com o Conselho Municipal de Patrimônio Histórico e Cultural de Fortaleza (Comphic), é
reconhecida pelo ritual que marca a vivência coletiva do trabalho, da religiosidade, do entretenimento e outras práticas da vida social.








19ª FEIRA DO ARTESANATO MUNDIAL

A cultura de mais de 25 países em Fortaleza

Entre os dias 03 e 19 de junho Fortaleza recebe a 19ª edição da tradicional Feira do Artesanato Mundial (FAM), que acontece no estacionamento do shopping Via Sul e promete levar os visitantes a uma verdadeira viagem de volta ao mundo sem sair da capital cearense. São cerca de 70 estandes exibindo um autêntico mosaico cultural com produtos artesanais e culinários provenientes de mais de 25 países de todos os continentes. A FAM 2010 poderá ser conferida diariamente, das 12h às 22h, com entrada gratuita.

Esta é a quarta vez que a Feira do Artesanato Mundial é realizada em Fortaleza e a expectativa dos organizadores para este ano é que o evento gere um volume de negócios superior a R$ 1.5 mi, 50% a mais do que alcançou na sua edição de 2010. A FAM 2011 espera receber 100 mil visitantes durante os 17 dias de evento, que terão a oportunidade de apreciar e adquirir produtos legítimos e originais com preços que variam entre R$ 5,00 e R$ 4 mil. Os stands aceitam pagamento em dinheiro, cheque ou cartão.

Durante a viagem pelos diversos encantos criados pelas hábeis mãos de artesãos de diversas nacionalidades, os visitantes irão apreciar peças em tapeçaria, cerâmica, tecido, joias e metais enquanto degustam delícias pouco encontradas em Fortaleza, como o tradicional kibe egípcio, preparado na hora e servido com suco de uva com água de rosas.

Entre os destaques da FAM 2011, o público irá conferir um belíssimo trabalho de marchetaria com chifres e madre-pérola aplicados em objetos de decoração e utilidades para o lar, vindos da Índia. São vasilhas, pratos, talheres e aparelhos de jantar. Outra novidade é o trabalho da designer Andréa Dibbem, que desenha e produz jóias a partir de folhas do cerrado, que são desidratadas, esqueletizadas e metalizadas com banho de ouro, formando peças únicas e exclusivas.

Também será possível encontrar as tradicionais bonecas russas, as Matrioskas, uma variedade de essências de perfumes vindos diretamente da Tunísia, além dos chapéus artesanais Panamá, famosos por adornar cabeças ilustres como as de Winston Churchill, Getúlio Vargas, Santos Dumont e Al Capone.

A Feira do Artesanato Mundial 2011 promove o intercâmbio cultural entre os produtos brasileiros e os importados e traz um pouco das cores e texturas de países como Indonésia, Vietnã ou Austrália ao Brasil.

A FAM
Realizada pela CharPH Eventos, a Feira do Artesanato Mundial surgiu para inserir o artesão no ambiente mercadológico e comercial, conferindo a esses profissionais o apoio e a capacitação necessários. Por sua dimensão internacional, a FAM tornou-se propulsora do intercambio entre diversas culturas, turismo e economia dos países participantes.


Serviço
19ª Feira do Artesanato Mundial
Data: de 03 a 19 de junho
Local: Shopping Via Sul – 4º. piso
Horário: diariamente, das 12 às 22h.
Entrada: Gratuita.









JUNHO JERI

Ecologia, moda, música e cinema em Jericoacoara


Jeri Eco Cultural 2011: A 4ª edição do evento contará com os shows da banda Eddie (foto), CéU e Mundo Livre
S/A, além de desfile das crocheteiras de Jeri e ações ecológicas

O diretor Nelson Pereira dos Santos é presença certa no 2º Festival Jericoacoara – Cinema Digital, que terá lançamento hoje em Fortaleza, no Cineclube Avenida

Junho é o mês de Jericoacoara – dois festivais prometem agitar a praia de Jijoca, no interior cearense: a 4ª edição do Jeri Eco Cultural e o 2º Festival Jericoacoara Cinema Digital.
Som e música de qualidade com a moda regional sustentável- assim é o Jeri Eco Cultural 2011, que nos dias 10 e 11 de junho chega a sua 4ª edição e traz atrações inéditas. O primeiro dia será dedicado ao desfile Jeri Brasil Fashion com peças provenientes das oficinas realizadas com as crocheteiras de Jeri e confecções locais, seguida de apresentações da Banda Tow In, que tocará ao vivo também durante o desfile. No sábado a festa fica por conta de artistas de renome nacional como a cantora CéU e Mundo Livre S/A e banda Eddie.

O evento conta ainda com diversas atividades ecológicas, gastronômicas e de artesanato. Uma feirinha com produtos de artistas da região vai mostrar o que há de melhor na produção local. Durante os dias do evento serão distribuídas eco bags para o público no local do evento, incentivando-o a manter a areia da praia limpa e o lixo separado, utilizando as lixeiras seletivas que serão colocadas na praia.
O Jeri Eco Cultural contribui para incentivar a cultura, a economia e a consciência ambiental em Jericoacoara, um dos destinos turísticos mais cobiçados do litoral nordestino. “Através das apresentações musicais nacionais, do envolvimento de artesãos e músicos locais e das diversas ações ecológicas, estimulamos e conscientizamos a população e visitantes sobre a importância de preservar o meio ambiente”, explica Liége Xavier, diretora da Free Lancer Producções, que junto com a 77Eventos respondem pela realização do evento.
Mais uma vez, o cinema independente brasileiro e grandes nomes do audiovisual nacional vão se encontrar no II Festival de Jericoacoara - Cinema Digital, que acontece de 15 a 21 de junho, e destacará um total de 50 filmes, de até 15 minutos de duração, produzidos com tecnologia digital, e selecionados em meio a 218 obras inscritas. O Ceará é o estado que conta com maior número de filmes selecionados: 12. São Paulo vem logo em seguida, com 11 filmes escolhidos para exibição em Jericoacoara. Foram aceitas inscrições de filme concluídos a partir de junho de 2009 e sobre quaisquer temas, nos gêneros documentário, ficção, animação ou experimental.
Produzido pela Anhamum Produções e dirigido pelo cineasta, escritor e produtor cultural cearense Francis Vale, o festival tem por objetivo contribuir para dar visibilidade a novos valores da produção audiovisual, de forma descentralizada, indo bem além dos grandes centros. “Queremos mostrar a diversidade do novo cinema brasileiro, e as novas pessoas que estão fazendo esse cinema acontecer, nas suas cidades e comunidades, a cada dia”, afirma Francis. Ao longo do festival, os 50 filmes serão apreciados por um júri composto por cinco pessoas ligadas à área do audiovisual. As premiações em dinheiro, no valor de R$ 5 mil cada, serão destinadas às obras escolhidas pelo júri como as melhores em cada categoria: ficção, documentário, animação e experimental. Também receberá prêmio de R$ 5 mil a melhor produção dos estados Ceará, Piauí e Maranhão, em homenagem à chamada “Rota das Emoções”, que se inicia em Jericoacoara-CE, passa pelo Delta do Parnaíba-PI e se estende até os Lençóis Maranhenses.
O festival também destinará troféus aos vencedores dos quesitos: melhor filme, direção, roteiro, fotografia, trilha original e direção de arte. Além dos troféus para melhor ator e melhor atriz. A edição 2011 do Festival de Jericoacoara – Cinema Digital demonstra evolução em relação à estreia do evento, que atraiu repercussão nacional, em junho de 2010, atraindo elogios de cineastas como o consagrado Walter Lima Jr. Serão exibidos 50 filmes (ano passado, foram 40 os selecionados).
O festival contará com uma Mostra Especial de Cinema Ambiental e com oficinas de cinema digital. Também prestará homenagens ao cineasta Nelson Pereira dos Santos, que tem presença confirmada no evento. Nos dias 16 e 17 de junho, será exibido o filme “Raízes do Brasil – Uma Cinebiografia de Sérgio Buarque de Holanda”, de Nelson. “Trata-se de um filme ainda inédito para muita gente. A exibição marca a comemoração dos 75 anos do livro ‘Raízes do Brasil’ e dá suporte às discussões do Seminário do Festival, que acontece nos dias 17 e 18 de junho, contando com participantes como os professores e pesquisadores Sílvio Tendler, Sylvia Porto Alegre, Babi Fonteles e José Osmar Fonteles“, destaca Francis Vale.
O lançamento oficial do Festival de Jericoacoara – Cinema Digital acontece hoje em Fortaleza, às 19h, no Cineclube Avenida (Avenida Shopping, na Av. Dom Luís, 300, 1º Subsolo), com a presença de representantes das associações e entidades ligadas ao audiovisual cearense, o diretor Francis Vale, o ator, cantor e compositor Rodger Rogério (autor da música-tema do festival este ano, a ser apresentada na ocasião), os mestres de cerimônia Téti e Ricardo Black e o artista plástico Zé Tarcísio, autor do Troféu Pedra Furada.





O circo do cinema digital

Confira entrevista com Francis Vale, um dos ícones da cultura e do cinema cearense
, diretor do novo Festival de Jericoacoara - Cinema Digital, além de ser idealizador do Cine Ceará e Curta Canoa

Cerca de duas mil pessoas acompanharam os filmes da primeira edição do Festival de Jericoacoara - Cinema Digital, que levou a sétima arte para a paradisíaca praia de Jijoca, no interior cearense, de 8 a 13 de junho de 2010. Iniciativa da produtora CLAN, e do compositor, escritor, advogado e cineasta Francis Vale, esse novo festival conseguiu apresentar aos moradores e turistas um panorama do cinema moderno contemporâneo, com produções de diversos estados e presença de vários diretores convidados. As exibições aconteceram no Núcleo de Arte e Cultura de Jijoca e numa lona de circo montada na rua principal de Jericoacoara. Com filmes de alta qualidade e organização impecável, o Festival de Jericoacoara teve em sua primeira edição uma estrutura nunca vista em outras mostras de cinema no Ceará e no Brasil. Francis é um visionário: realizou filmes, idealizou festivais de cinema, mas não se apegou a nenhuma de suas criações e nem se apropriou financeiramente de suas realizações. Confira entrevista deste importante ícone de nossa cultura e conheça um pouco mais do trabalho de Francis Vale (entrevista publicada no Divirta-CE e jornal O Estado na primeira edição do Festival de Jericoacoara, em 2010).

DIVIRTA-CE - Como surgiu a ideia e concepção do Festival de Jericoacoarra, com essa temática do Cinema Digital?
FRANCIS VALE - A ideia surgiu em 2007, quando estive em Jeri com um amigo, o Dadinho da JerimoonTur, que faz eventos, já trabalhou comigo lá no Crato. Ele me provocou, perguntando quando eu iria fazer um festival de cinema em Jijoca. Depois, conversando com Luís Carlos Antero e Pedro Alvares, montamos uma equipe, nos organizamos e já decidimos logo colocar como diferencial da mostra o cinema digital, que é mais fácil de produzir, exibir e é o cinema da nova geração. E também é complicado e ultrapassado trazermos um equipamento analógico.

DIVIRTA-CE - O senhor já teve alguns problemas com a criação de festivais. Quando foi um dos idealizadores do Curta Canoa em 2005, uma disputa pelo recebimento dos recursos de patrocínio e realização envolvendo o senhor e Adriano Lima, atual diretor desse festival de cinema de Aracati, foi parar nas páginas de jornais. Como está essa situação atualmente? Já foi superada ou está em processo judicial?
FRANCIS VALE - Em 2002, quando estava filmando "A Sentença do Pau-Brasil", em Aracati, eu, o cineasta Wolney Oliveira e o produtor argentino Tito Almeijeiras começamos a articular o Curta Canoa com o prefeito e o secretário de turismo daquele município. Na época eu era presidente da Associação dos Amigos da Casa Amarela e o Tito elaborou o projeto do Curta Canoa em nome dessa Associação, e em 2003 enviou para o Ministerio da Cultura, em Brasília. Eu me afastei da Associação em 2004 e fui finalizar meu filme no Rio de Janeiro. O Adriano Lima, que era contador, havia assumido a presidencia da Associação. O projeto foi aprovado para a Associação dos Amigos da Casa Amarela e com os recursos captados através da Lei Rouanet, o primeiro evento foi realizado em 2005 estando eu à frente da direção de arte e programação do festival. No ano seguinte o Adriano registra no INPI o Curta Canoa em nome da sua empresa, J.A. Lima Serviços, roubando o festival da Associação. Não é justo ele se apropriar de uma marca e um conceito que não foi criado por ele. Não existe processo judicial ainda e sim um recolhimento de provas. Vamos esperar o desenrolar dos acontecimentos.

> Na foto, Francis Vale, entre os apresentadores na primeira edição do Festival de Jericoacoara, Ricardo Black e Téti

DIVIRTA-CE - Você já tem uma historia na cultura cearense, sendo escritor, compositor, cineasta e diretor de festivais, inclusive um dos idealizadores do Cine Ceará.
O que mais te completa, qual sua maior paixão? O Cine Ceará também saiu das suas mãos e é coordenado pelo filho de seu sócio e parceiro Eusélio, o Wolney Oliveira. Você também se considera usurpado no Cine Ceará? Como você vê o principal festival de cinema do estado hoje em dia?
FRANCIS VALE - Minha maior paixão é o cinema. O cinema ligado a nossa cultura, nossa historia, literatura. Não me considero roubado na questão do Cine Ceará. Mas do Curta Canoa houve uma "privatização" em nome de uma pessoa, um roubo mesmo. Eu fiz a articulação do primeiro Cine Ceará, que foi bancado pela Fundação Cultural de Fortaleza, com o secretario Claudio Pereira. Na segunda edição, após a morte do Eusélio, quem foi o diretor do Cine Ceará foi o Marcus Moura, e eu continuava acompanhando, fazendo parte do Júri. Depois o Wolney Oliveira tomou a frente do festival e criou a Associação Amigos da Casa Amarela.

> O público de Jijoca que lotou o Núcleo de Arte e Cultura na abertura do Festival do Cinema Digital

DIVIRTA-CE - Você acha que houve também uma "privatização" do Cine Ceará?

FRANCIS VALE - De certa forma sim, mas não tão escancarada como foi com o Curta Canoa. Acho até que o Wolney teria legitimidade para continuar aquilo ali, mas o Adriano privatizou o Curta Canoa e tornou o festival uma coisa dele. Fui um dos idealizadores mas hoje eu não tenho mais nada a ver com o Cine Ceará.

DIVIRTA-CE - O Festival de Jericoacoara está preparando um manifesto a favor do cinema nacional. A idéia surgiu no seminário realizado no Festival com o cineasta carioca Sílvio Tendler. O que irá propor esse documento e para quem será enviado?
FRANCIS VALE - Nós analisamos a distância que existe entre o cinema brasileiro atual e o público e sentimos a necessidade desse manifesto. O público brasileiro quando assiste a um filme nacional, gosta. Vimos isso no Festival de Jericoacoara, com a exibição do "Couro de Gato", um curta do Joaquim Pedro de Andrade feito há cinquenta anos, considerado um dos melhores do mundo, onde todos ficaram impressionados. Nós exibimos filmes sobre os anos JK, sobre futebol, trouxemos o escritor Moacyr Lopes, autor de "A Ostra e o Vento", que deu origem ao longa filmado em Jericoacoara. Para conhecermos o Brasil, precisamos aproximar o cinema brasileiro do público. Poucos filmes nacionais chegam ao "circuitão". Precisamos aumentar a cota de produçõs brasileiras em cartaz, e esta é uma das principais propostas de nosso manifesto e será enviado esse documento para diversas instituições importantes e representativas da nossa cultura, mas não sabemos ainda quais serão essas instituições.

DIVIRTA-CE - Francis Vale está produzindo algum filme atualmente? Quais são seus próximos projetos e como você analisa esta primeira edição do Festival de Jericoacoara?
FRANCIS VALE - Estou terminando um documentario sobre Dom Fragoso, o bispo de Crateús durante o tempo da ditadura, e quero lançar no final do ano. Acho que o Festival de Jericoacoara conseguiu 90% dos objetivos que nós gostaríamos: exibir filmes de ótima qualidade, novos, que ninguém encontra em locadora, na TV ou em salas exibidoras comerciais, discutir cinema com diversos diretorres de vários estados, além demostrar nossas reinvindicações.

DIVIRTA-CE - O senhor é advogado, mas sua paixão sempre foi por cinema e pela cultura. Como nasceu essa paixão?
FRANCIS VALE - Essa paixão é de infância, meu pai foi exibidor em Crateús, em 1949, e eu, com quatro, cinco anos de idade, ia no cinema quase toda noite. Fui fazendo cursos, lendo, até que nos anos 70 comecei a brincar com a câmera super 8, a fazer umas experiências, a tentar realizar uns filmes, escolas de cinema - mais tentando que fazendo (risos). Queríamos construir mecanismos que viabilizassem nossas historias. Eu sempre acreditei que nós cresceríamos se muita gente estivesse realizando, participando da construção desse sonho.

DIVIRTA-CE - Como você analisa a produção cinematográfica cearense na atualidade?
FRANCIS VALE - A produção atual é muito diversificada: tem o pessoal do cinema experimental, a turma da animação fazendo um bom trabalho, da ficção, da literatura. Esse viés de adaptações de contos, histórias curtas, episódios da nossa historia, é muito interessante. Temos várias TVs que não são privadas - são públicas -, e poderiam exibir os filmes que o próprio governo do Ceará patrocina e produz, que o povo financia e não tem o direito de ver. Eles fazem isso de forma muito pequena e tímida.

DIVIRTA-CE - Qual será o futuro da sétima arte, na sua opinião, com o cinema digital, o 3D e outras novidades que estão surgindo?
FRANCIS VALE - Toda vez que o cinema entra em crise aparece uma novidade. Isso foi desde os primórdios do cinema mudo, com o som, com a cor, e agora a onda é o 3D. Hoje em dia, o dono da sala de cinema está mais preocupado em ganhar dinheiro do que exibir bons filmes, e eles têm mais lucro com a pipoca do que com o ingresso. Eu até gosto do 3D, mas minha praia é outra.






CARNES NOBRES

Novidades das melhores churrascarias de Fortaleza


Boi Preto apresenta seu Festival de Carnes Exóticas


Sal e Brasa lança "conceito prime", com pratos a la carte, no Shopping Del Paseo

O Boi Preto Fortaleza tem o prazer de apresentar seu Festival de Carnes Exóticas, um evento que visa oferecer aos seus clientes diferentes tipos de carnes, sempre com cortes especiais.
O festival ocorre entre os dias 26 de maio e 30 de junho, com os mais exóticos tipos de carne, com cortes especiais de Javali, Avestruz, Perdiz, Pato, Bife Ancho ou Entrecôte de Búfalo, Jacaré, Rã e Coelho. A casa também apresenta sua nova carta de vinhos e espumantes, com sugestões especiais para a harmonização de cada carne exótica específica.
Para a entrada recomendamos o Salton Brut, um espumante com sabor fresco, agradável e cremoso, devido ao processo que as uvas levam até tornarem-se a bebida, com aroma de flores e frutas cítricas, maçã verde, pão torrado e fermento seco.
A segunda sugestão é o vinho Salton Classic Merlot, que vai muito bem com carnes vermelhas, massas com molho vermelho e queijos. Com coloração roxa rubi, o vinho tem sabor macio, com excelente equilíbrio e permanência de sabor. Recomendado para a apreciação das carnes de jacaré, coelho e rã.
Outro vinho que foi especialmente escolhido para a ocasião é o Salton Desejo Merlot. Todas as uvas selecionadas para a bebida são da Serra Gaúcha e seu líquido passa por um processo de 15 dias de fermentação. Isso para deixar seu sabor prolongado, ótimo para acompanhar os cortes especiais de Javali, Avestruz, Perdiz, Pato, Bife Ancho ou Entrecôte de Búfalo.
De 26 de maio a 30 de junho, as carnes do Festival estarão inclusas no cardápio, que já conta com 25 tipos de carne, mais de 50 itens de Buffet, incluindo sushi e sashimi, é a única casa da cidade que tem no seu cardápio o peixe prego ou picanha do mar na brasa. O festival terá com toda a estrutura e qualidade nos serviços oferecidos pelo Boi Preto, e já conhecidos pelo público.
Situado na Avenida Beira-Mar, área nobre de Fortaleza, propicia facilidade de acesso tanto para a rede turística quanto para os clientes que moram na cidade, e a comodidade do estacionamento com manobrista, seguro, coberto e gratuito. No mercado cearense há quatro anos e meio, o Boi Preto conta com uma estrutura com capacidade para 300 lugares, divididos em dois salões e um American Bar, todos climatizados e rede Wi-Fi.

Churrascaria Sal e Brasa apresenta conceito diferenciado e rodízio de carnes

A Sal e Brasa, churrascaria especializada em rodízio de carnes, está presente no mercado gastronômico nacional há quinze anos, nas regiões Nordeste e Sudeste. O Grupo Sal e Brasa aposta no controle de qualidade de seus produtos e na padronização do atendimento ao cliente como forma de fidelizar público, além do aprimoramento constante de seu quadro de funcionários para estabilizar-se no cenário de restaurantes. Gerentes, maitres, nutricionistas, chefes de cozinha, garçons, cozinheiros e auxiliares formam o quadro de profissionais do estabelecimento. O chef Carlos Ney Freire é o responsável pelos sabores do Sal e Brasa Fortaleza, buscando inovação em receitas e combinações para self service e rodízio. Um dos atrativos da casa é sua adega de vinhos, composta por aproximadamente 150 rótulos.

Com filiais nas cidades de Salvador, Natal, João Pessoa, Recife e Aracaju, a Sal e Brasa iniciou suas atividades quando cinco amigos, após adquirir larga experiência em churrascarias dos estados do Rio de Janeiro e São Paulo, decidiram montar seu próprio negócio na cidade de São José do Rio Preto (SP). Com o intuito de oferecer o tradicional churrasco gaúcho, a casa oferece um novo conceito em churrascaria, com opções que vão além da carne, passando por frutos do mar, peixes, aves, carnes exóticas, saladas, frios, queijos, sushi, sashimi, pratos quentes, comidas regionais da cozinha nacional e internacional.

Com capacidade para 450 pessoas, o espaço do Sal e Brasa na av. Abolição, número 3500, possui dois salões principais e um salão para eventos, além de espaço infantil. O restaurante está aberto para reservas e atende desde eventos corporativos até festas privadas. O restaurante também oferece um American Bar com um completo sortimento de bebidas quentes e geladas juntamente com cardápio de petiscos e club do whisky.

Para clientes fiéis, a casa oferece o Sal e Brasa Card, cartão fidelidade que proporciona desconto de 20% no rodízio e acúmulo de pontos, ofertando cortesia no rodízio como premiação. A churrascaria também está presente nas redes socias, como Twitter e Facebook, com promoções e vantagens para seus clientes.

A administração da casa se preocupa com a constante atualização de seus funcionários, oferecendo aulas de idiomas, cursos e oficinas de aperfeiçoamento nas áreas administrativa e gastronômica, com treinamentos dirigidos pela gerência e antecedidos de palestras motivacionais. Há também degustação de vinhos com garçons e maitres, com a participação dos fornecedores. Os treinamentos acontecem quinzenalmente.

Em breve, a empresa inaugura mais um espaço em Fortaleza. Voltado para um conceito prime, o Sal e Brasa Gourmet traz oções para almoço, com self service, e pratos à la carte para o jantar, elaborados exclusivamente para o novo restaurante, que vai funcionar dentro do Shopping Del Paseo, integrando o mix gastronômico daquele local.

Outra novidade do grupo é a abertura de uma nova casa em Salvador (BA), o Rancho do Cupim, que apresenta temática regional tanto nos pratos como na decoração. O restaurante também inclui em seu cardápio cortes especiais de carnes, entradas variadas e bebidas.

A Sal e Brasa já está em atividade em outros shoppings, com três filiais na cidade de Salvador. A Sal e Brasa Grill oferece todo o cardápio do grupo, acrescido de lanches, espetinhos e refeições infantis.
Com filiais nas cidades de Salvador, Natal, João Pessoa, Recife e Aracaju, a Sal e Brasa iniciou suas atividades quando cinco amigos, após adquirir larga experiência em churrascarias dos estados do Rio de Janeiro e São Paulo, decidiram montar seu próprio negócio na cidade de São José do Rio Preto (SP). Com o intuito de oferecer o tradicional churrasco gaúcho, a casa oferece um novo conceito em churrascaria, com opções que vão além da carne, passando por frutos do mar, peixes, aves, carnes exóticas, saladas, frios, queijos, sushi, sashimi, pratos quentes, comidas regionais da cozinha nacional e internacional.



SERVIÇO
Boi Preto Fortaleza - Endereço: Av. Beira Mar, 2500. Meireles;
Horário de funcionamento: 11:45 à meia noite (ou até o último cliente), todos os dias;
Fone para informações e/ou reservas: (85) 3242.6780/3242.5052
Site: www.grupoboipreto.com.br - E-mail: gerenciafortaleza@grupoboipreto.com.br
Twitter: @boipretofortal - Facebook: Boi Preto Fortaleza

Sal e Brasa
Av. Abolição, 3500 - Meireles
(85) 3261.8888








Dia d
os Namorados antecipado por Jack Johnson

Cantor americano fez a festa dos casais no Marina Park - confira fotos e vídeos exclusivos do show em Fortaleza na TV DIVIRTA-CE

>Jack Johnson trouxe mulher e filhos para as apresentações no Brasil e doará 100% da renda da turnê para causas socioambientais, como fez na primeira visita ao país


Depois de São Paulo, Belo Horizonte e Brasília, no fim de semana foi a vez de Fortaleza receber a turnê "To the Sea", do cantor americano Jack Johnson. O disco homônimo foi lançado em junho de 2010 e alcançou o primeiro lugar nas paradas dos Estados Unidos e em vários outros países. Foi uma festa dos namorados antecipada.



O artista havaiano que criou a mistura do folk, rock e surf music fez a alegria de casais, maioria do público seleto que esteve presente sexta passada no Marina Park Hotel. Mesmo com a assessoria afirmando antes do início que o público estimado poderia chegar a quinze mil pessoas devido a expressiva venda de ingressos, era visível após G-Love entrar no palco para o show de abertura, que no local onde reúne multidões para o Ceará Music tinha menos do que cinco mil pessoas. Mesmo com boatos espalhados pela boca do povo e pela internet que os ingressos estavam esgotados, e a assessoria confirmando isso, a tranquilidade e o romantismo dominaram o show de Jack Johnson. Tanto no frontstage como na pista, casais namoravam na grama, com direito a muitos beijos na boca e amassos.


Essa turnê, que conta com abertura de G. Love – amigo e companheiro no selo Brushfire Records – terá toda sua renda destinada a projetos socioambientais. Isso não é novo na carreira de Johnson. Com a temporada de 2008 ele fez a mesma coisa. No Havaí, mantém uma fundação que sustenta a educação ambiental em escolas e realiza um festival para arrecadar fundos para essa iniciativa. Superengajado, o ex-surfista gravou To the sea em seu próprio estúdio, que é movido a energia solar. Em contraponto ao sucesso que faz ao redor do mundo, Johnson leva uma vida simples, com a mulher e três filhos pequenos.




O cantor entrou no palco com apenas quinze minutos de atraso do horário previsto, às 23h15, cantando o sucesso atual das rádios "You and your heart", para delírio de fãs que ensaiaram a letra. No meio do show, quando recebeu o companheiro G-Love, com seu excesso de humildade e simpatia, pediu desculpas a platéia cearense por estar "apertado". "Desculpe pessoal mas preciso ir ao banheiro", revelou com a habitual timidez (ele quase não encarava a plateia com os olhos, cantava olhando para os músicos ou de olhos fechados). Johnson se apresentou de calça jeans e camiseta, em quase duas horas de show, sempre tomando uma cervejinha pra hidratar.





Além de canções de seu álbum mais recente, ele também cantou hits de seus trabalhos anteriores: Brushfire fairytales (2001), On and on (2003), In between dreams (2005) e Sleep through the static (2008), além de um trecho de Mas que nada (Jorge Ben).
Recentemente entrevistado por revistas brasileiras e programas de TV como o de Amaury Jr, Jack mostrou que tanto sua expressão quanto suas idéias tem a mesma "levada" suave de suas músicas. Foi divulgado que Johnson teria pedido para conhecer a presidenta Dilma, mas ele nega. “Não pedi. Ela é legal?”, pergunta. Ao ser informado sobre a trajetória dela, ele diz: “Não gosto de me envolver em política, mas não me importaria de conhecê-la. Ela parece legal”, sai pela tangente.



Em tempos de crise das gravadoras com os downloads gratuitos de música na Internet, Johnson tira onda ao dizer que consegue viver só com a venda dos CDs. “Fazemos dinheiro suficiente para sustentar nossas famílias. Eu gosto das turnês, de viajar, tocar para diferentes públicos. Não gosto de justificar isso pelo dinheiro”, explica.
Com mais de 20 milhões de cópias em todo o mundo, conhecido como um dos mais atuantes ativistas ambientais do meio artístico, o cantor irá doar, assim como fez em 2008 e 2010, 100% de seu lucro com a turnê para a caridade.



Seguindo a linha bom-moço-discreto, Johnson fez questão de viajar com a família na turnê brasileira e preservar sua intimidade. “Quando acho que a nossa privacidade está sendo invadida, dou um tempo de falar com a imprensa, fico sem lançar disco”, revela.

Jack, que tem apenas 10 anos de carreira, conquistou um fã-clube fiel em todo o mundo, de todas as idades. O rapaz tranquilo nasceu em Honolulu, no Hawaí, em 18 de maio de 1975, e cresceu no meio do surf. Seu primeiro contato com a música foi aos 17 anos, quando, ao participar de uma competição, sofreu um acidente que o deixou 90 dias parado. Durante esse período, começou a compor influenciado por ídolos como Bob Marley.



Antes de se tornar cantor profissional, Johnson se aventurou pelo cinema. Aos 18 anos se mudou para a Califórnia para estudar a sétima arte. Dirigiu três documentários sobre surf: Thicker than water, A Broken Down Melody e September Sessions. O próprio Jack compôs as trilhas sonoras e isso chamou a atenção de Ben Harper, que o indicou para uma gravadora.

Em 2001, gravou seu primeiro CD, Brushfire Fairytales, que lhe daria notoriedade mundial. Em 2003, lançou seu segundo álbum, On And On. Em 2005, alcançou o topo de sua carreira com o lançamento de seu terceiro CD, In Between Dreams, que conquistou o 2° lugar no Top 200 da revista Billboard. Em 2008, chegava às lojas seu quarto álbum de estúdio, Sleep Through The Static, em que toca músicas dedicadas especialmente à família e amigos mais próximos.

Sua música é influenciada por artistas como Nick Drake, The Beatles, Rolling Stones, Sex Pistols, Jimi Hendrix, Tribe Called Quest, Bob Dylan, Ben Harper, Radiohead, G. Love and Special Sauce, Otis Redding, Neil Young, Bob Marley, Tom Curren, Kurosawa e Sublime, entre outros.


TV DIVIRTA-CE

Veja mais vídeos exclusivos do show do Jack Johnson em Fortaleza feitos pelo editor de cultura do Jornal O Estado do Ceará, Felipe Muniz Palhano




































Música no Centro Cultural BNB

Trio brasileiro-argentino e banda paraibana são atrações em junho

O trio brasileiro-argentino Sinamantes e a banda paraibana Chico Ribeiro e Os Cabras de Mateus são atrações musicais gratuitas no próximo mês de junho no Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza (rua Floriano Peixoto, 941 – Centro – fone: (85) 3464.3108). O trio Sinamantes se apresentará no próximo dia 8, e Chico Ribeiro e os Cabras de Mateus no dia 9, ambos às 12 horas e 18 horas.

Nascido em meio ao escaldante verão paulistano de 2010, formado por dois brasileiros e uma argentina, o trio Sinamantes vem para estreitar os laços entre a música pop brasileira e a latino-americana. As diferentes bagagens de seus três integrantes realizam esta integração de maneira autêntica, visando a criatividade e a reflexão em torno das diferentes culturas do nosso continente e sua reverberação na música pop do cada país.

Natália Mallo (voz e cordas) e Mariá Portugal (voz e bateria) são fundadoras do Trash Pour 4, grupo conhecido pelas versões inusitadas de clássicos da música pop, com três discos lançados no Brasil e no exterior, e algumas turnês internacionais no currículo. Além disso, Natália encabeça o grupo de tango Gato Negro, enquanto Mariá Portugal acompanha Fernanda Takai em seu trabalho solo. Danilo Penteado (voz, cordas e piano) é multi-instrumentista, conhecido principalmente pelo seu trabalho no Quatro a Zero, grupo que realiza uma pesquisa inovadora sobre o choro.

Juntos lançaram o EP SINAMANTES, no qual interpretam músicas próprias e de outros autores. O grupo Sinamantes fez sua estreia em março numa turnê nos Estados Unidos, que incluiu o festival South by Southwest (SXSW), um dos maiores festivais de música global do mundo. Atualmente, preparam seu lançamento no Brasil e produzem seu segundo EP e uma turnê de lançamento na Europa, com shows confirmados em Lisboa (Lisbon Unplugged), Sevilha e Londres (Park Plaza).

Os Sinamantes também se apresentarão, no SESC Crato, no Cariri cearense, no próximo dia 10 (sexta-feira), às 20 horas. No CCBNB-Sousa, na Paraíba, farão duas apresentações: no dia 11 (sábado), às 21 horas, e no dia 12 (domingo), às 19h30. Os shows são gratuitos.

Apresentando uma nova face dos antigos trios pé de serra, ainda em voga em diversos rincões do Nordeste, Os Cabras de Mateus, criado em João Pessoa em meados de 2002, foi reformulado por Chico Ribeiro, que integrou o grupo onde divide composições e arranjos, acompanhado por sanfona, triângulo, zabumba e pandeiro. O nome do grupo é uma referência ao bairro Alto do Mateus, João Pessoa-PB, também inspirado no “Mateus”, personagem da cultura popular. Entre autorais e composições de outros nomes que muito bem divulgam o verdadeiro forró, o show é uma saudação às tradições, e reafirma o compromisso que esta música tem como arte popular e identidade quanto raiz de tudo que, no estilo, veio depois e modernizando-se, conservando a essência. Em março de 2009, Chico Ribeiro e Os Cabras de Mateus gravaram seu primeiro CD intitulado “Porteira Aberta”, com a participação de Biliu de Campina, Antônio Barros e Cecéu, Adeildo Vieira, Jaqueline Alves e Gláucia Lima.

O grupo também se apresentará no CCBNB-Sousa, na Paraíba, no próximo dia 7 (terça-feira), às 19h30. O show é gratuito.






Nenhum de Nós lança novo álbum

"Contos de Água e Fogo" é o 14º disco da carreira da banda gaúcha



A banda gaúcha Nenhum de Nós, há 25 anos na estrada, lança o álbum "Contos de Água e Fogo", o 14º da carreira, só com músicas inéditas. O disco chega para quebrar um jejum de seis anos sem lançar nada novo. O último álbum com novas composições foi "Pequeno Universo", de 2005. Depois disso, em 2007, a banda gravou "A Céu Aberto", ao vivo, em comemoração aos 20 anos de carreira. "Demoramos tanto tempo por uma questão logística. Nossa programação era lançar o disco em 2007, antes do ao vivo", diz o vocalista Thedy Corrêa. "Não temos essa ansiedade de fazer um trabalho atrás do outro. Acreditamos na consistência artística de cada projeto", completa o músico.

No caso de "Contos de Água e Fogo", essa consistência começa já no título do disco. "Traçamos um perfil do que queremos lançar em termos de letra e conteúdo. Sempre buscamos um conceito. E no caso desse álbum, é um relato do contraditório", explica Thedy. "Falamos do positivo e do negativo. Do alívio e da dor. A própria canção 'Água e Fogo' fala disso. E a questão do 'Contos' é porque nossas letras trazem esse aspecto literário narrativo".

A faixa que abre o disco, "Correntes", remete ao ano de 1986, quando a banda fez sucesso em todo o País com "Camila, Camila". A canção tem uma pegada mais pesada, como esse hit, e coloca as guitarras em evidência. O lado mais roqueiro do grupo foi exposto propositalmente e de forma natural. E esse mesmo peso também é encontrado em "Outono Outubro".

Mas o disco também traz composições inspiradas na folk-music, como em "Pequena", com arranjos de viola e bandolim. Os gaúchos ainda contaram com a parceria do carioca Leoni (ex-Kid Abelha) em "Melhor e Diferente". "A colaboração de parceiros externos traz uma diversidade ao projeto e enriquece nossa história", garante Thedy. Além de Leoni, participaram o roqueiro baiano Fábio Cascadura, o uruguaio Socio e o argentino Pablo Uranga.

Gravado de forma independente, o disco foi lançado pelo selo Imã Records, com distribuição da Radar. "Nos comportamos como uma banda independente desde 1994", diz Thedy. "Dessa forma fazemos nosso trabalho sem nenhuma interferência", explica o vocalista.










Livro dá dicas para acabar com a insônia



“Pare de tentar dormir”, ensina livro da editora Larousse



Esperar pelo sono que nunca vem e revirar na cama são coisas que acontecem cotidianamente para quem sofre de insônia. E, como muitos estudos já comprovaram, distúrbios no sono podem causar problemas na saúde. Afinal, o sono é o momento do dia em que o corpo se recupera de toda a atividade física.

Mas dormir não é fácil para 42% da população mundial, segundo o livro 50 Coisas que Você Pode Fazer para Co

mbater a Insônia. O grande número representa pessoas que têm algum distúrbio no sono. A publicação, por sua vez, apresenta algumas soluções para superar o problema.

Escrito por Wendy Green, a autora se baseia na psicologia e ensina como superar as dificuldade para dormir bem. De acordo com Green, muitas vezes, basta reconhecer o que atrapalha o seu sono para descobrir a melhor forma de evitar que isto se repita. Ela também afirma que dormir mal constantemente pode aumentar os riscos de depressão, doenças do coração, derrames e diabetes tipo 2, além de influenciar a produção de hormônios, o que pode acarretar ganho de peso. De acordo com o dr. Chris Idzikowski, diretor do Centro do Sono de Edimburgo, tentar dormir para os insones é contraproducente. Portanto, talvez a solução mais simples, quando todo o resto tiver falhado, seja lembrar-se de que o mundo não vai acabar se você não dormir durante sete ou oito horas esta noite e, depois... pare de tentar dormir!

SERVIÇO
50 Coisas que Você Pode Fazer para Combater a Insônia
Autora: Wendy Green
Editora: Larousse
Páginas: 144
Quanto: R$ 19,90







“Circo Pé-de-Feijão” reúne Fofão e Kiko

O Teatro do Via Sul Shopping enfeita-se de muito riso, música e fantasia para comemorar os 10 anos de carreira do cantor cearense Joãozim Pé-de-Feijão – estrela principal do “Circo Pé-de-Feijão”, um grande espetáculo em cartaz nos dias 4 e 5 de junho, às 16h. No show, Joãozim vai receber convidados mais que especiais para animar o público infantil (e todos que viveram a alegria dos anos 80), como Fofão (Ex-Turma do Balão Mágico); o humorista Dedé Santana (dos “Os Trapalhões”) e o ator mexicano Carlos Villagrán, o “Kiko” da Turma do Chaves! Mais informações: (85) 9633-4063 8839-7993.








Festa na Semana dos Namorados

Djs Guga e Rodrigo Fuser irão realizar a “Farra no Motel Alheio”


A Farra na Casa Alheia pirou de vez e vai invadir o motel no dia 10 de junho, sexta-feira, a partir das 23hs. É a ‘Farra no Motel Alheio – Festa Normal em Lugar Diferente’, que na semana do Dia dos Namorados vai presentear você com vários brindes, cortesias, brincadeiras e muita, muita música brasileira. O resto é por conta de sua imaginação. Sob o comando dos DJ´s Guga de Castro e Rodrigo Fuser, a Farra vai levar o melhor da música eletrônica, samba rock, soul, anos 70 e 80, e todos os embalos que fizeram da Farra na Casa Alheia um dos projetos de música brasileira mais bem sucedidos e antigos do Brasil. Além da badalada festa, que, diga-se de passagem, não é apenas para os namoradinhos, a Farra no Motel Alheio vai sortear brindes especiais como um fim de semana em Camocim, um jantar especial no Amici´s e cortesias de 50% para os participantes da festa. Os ingressos estão à venda nas Lojas Desafinado do Del Paseo e Dom Luís.






Festival de Música instrumental em Fortaleza e no Cariri

O trio de tango argentino Las Rositas é uma das atrações
internacionais do 6º Festival BNB de Música Instrumental

O VI Festival BNB da Música Instrumental está apresentando 40 concertos gratuitos de 21 formações instrumentais oriundas de onze estados de três regiões brasileiras (Nordeste: Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Bahia, Alagoas e Sergipe; Centro-Oeste: Distrito Federal; e Sudeste: São Paulo) e também da Argentina, até o dia 28 deste mês. O Festival acontecerá nos três Centros Culturais Banco do Nordeste (Fortaleza; Cariri, em Juazeiro do Norte, região sul do Ceará; e Sousa, no alto sertão paraibano), e no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, em Fortaleza.
Abrilhantam o VI Festival BNB da Música Instrumental, entre outras, atrações como: a banda Cabaçal do Zé Pretinho (PB); Burro Morto (PB); o duo argentino-brasileiro Finlândia (última foto de baixo); Fernando Corbal (DF), que toca cristaleira (glass harmônica), instrumento musical que executa friccionando a ponta dos dedos nas bordas de taças com água; Ferrario Trio (SE); Júlio Medeiros (PI); LAS ROSITAS Tango Trio (Argentina); Luciano Magno (PE); Marimbanda (CE); Nicolas Silva, virtuoso violonista adolescente alagoano, de 13 anos; Oxent Groove (PB); Quarteto Cazumbá (MA); Saracotia (PE); Saturnino e o Disco Avoador (RN); Tarcísio Sardinha (CE); Trio Choro Plugado (SP); Varadouro Groove Orchestra (PB); e Vendo 147 (BA).
Em sua sexta edição, o Festival BNB da Música Instrumental mantém sua identidade de promover a diversidade, estimulando a fruição e o conhecimento da produção instrumental. O evento reúne dezenas de músicos com diferentes trajetórias, influências e propostas estéticas, além de uma variedade de sonoridades que serão apresentadas durante os 11 dias de concertos. “Esperamos que, mais uma vez, o Festival contribua para o fortalecimento dessa celebração musical”, afirma um dos coordenadores do evento, André Marinho.


>>>Clique aqui e confira a programação completa do Festival BNB de Música Instrumental na seção SHOWS







>>>>>>>AGENDA CULTURAL



Terça de Graça no TJA

O Projeto Terça de Graça apresenta nesta terça o espetáculo de humor “Titia Te Ama, Amor”, com Ciro Santos. É no palco principal do Teatro José de Alencar, às 18h30, com entrada franca. Pela manhã, também no TJA (Morro do Ouro), o projeto oferece um curso gratuito das 8h às 18h, de Oficina de Sonoplastia (Criação) com Rodrigo de Oliveira. Informações: (85) 3235.4063 / tercadegraca@gmail.com


Coletivo Camaradas abre inscrições para produção de cordel

A história e a compreensão estética e artística do Coletivo Camaradas será transformada em cordel. A intenção do grupo de artistas da região do Cariri é aproximar as suas idéias do grande público de uma forma didática e acessível. O Coletivo faz chamada pública aos cordelistas. As propostas de cordéis devem ser encaminhadas para o e-mail alexandrelucas65@hotmail.com até o dia 31 de maio. Informações adicionais podem ser obtidas no blog: www.coletivocamaradas.blogspot.com . O trabalho selecionado será divulgado por meio virtual e serão impressões mil livretos do cordel.


Gastronomia: DIVIRTA-CE recomenda

A Pizza Vignoli está com novo endereço, da rua Silva Jatahy, nº 1600, passa a funcionar na rua Profº Dias da Rocha, nº 430, esquina com a rua República do Líbano. O novo endereço possui amplo estacionamento, visando oferecer mais comodidade aos clientes. Outra vantagem do espaço é a melhoria no serviço de delivery, que recebe ampliação e maior agilidade no atendimento. A Pizza Vignoli é conhecida por sua qualidade e sabor único, graças aos ingredientes selecionados e molhos de fabricação própria, possui um sistema de higienização exclusivo, obedecendo rigorosamente as regras sanitárias da Anvisa. A empresa detém, há seis anos, o título de melhor pizza da cidade em votação da revista Veja Fortaleza.









Bel Coelho no projeto Grandes Chefs do L´Ô

No dia 01 de junho, às 20h30, o L´Ô Restaurante (Av. Pessoa Anta, 217 – Praia de Iracema) dará continuidade ao projeto Grandes Chefs, e a convidada desta edição é a Chef Bel Coelho. Haverá uma degustação especial (couvert, entrada, dois pratos principais e sobremesa, todos harmonizados com vinhos) e interação com a Chef, que falará sobre o menu e visitará as mesas.Valor por pessoa: R$ 150,00. Bel Coelho tem apenas 31 anos, mas já está há 14 no mercado. Começou a carreira como estagiária de Laurent Suadeau e no Fasano até partir para Nova York, onde aperfeiçoou seus conhecimentos no Culinary Institute of America (CIA) e Payard. Em seguida, trabalhou com Alex Atala, no D.O.M. e tocou seu próprio Buffet. Informações e reservas: (85) 3265-2288 -reservas@lorestaurante.com.br






CINEMA

"Piratas do Caribe 4" é o maior sucesso da série

Filme que estreou sexta arrecadou US$ 256,3 milhões no mundo

O filme "Piratas do Caribe: Navegando em Águas Misteriosas" conquistou o público e se tornou o maior sucesso da saga, que já teve outras três produções, com uma arrecadação mundial de US$ 256,3 milhões, segundo a imprensa especializada.
O filme protagonizado por Johnny Depp e Penélope Cruz estreou nas salas de cinema de todo o mundo neste fim de semana com uma novidade: essa é a primeira produção da saga que pode ser vista em 3D. De acordo com a revista "Entertainment Weekly" a arrecadação mundial superou os US$ 250 milhões, mas nas bilheterias americanas o filme faturou apenas US$ 90,1 milhões, valor abaixo do obtido com o segundo filme "O Baú da Morte", de 2006, que conseguiu US$ 135,6 milhões, e o terceiro, "No Fim do Mundo", que reuniu US$ 114,7 milhões em sua estreia em 2007.
No entanto, nos cinemas dos EUA a nova produção da Disney se colocou no topo da lista de bilheteria do fim de semana e se transformou, por enquanto, na melhor estreia do ano, ao superar os US$ 86,2 milhões que obteve "Velozes e Furiosos 5 - Operação Rio".
Os filmes que mais arrecadaram neste fim de semana, depois de "Piratas do Caribe: Navegando em Águas Misteriosas" foram: "Bridesmaids" com US$ 21,1 milhões, "Thor" com US$ 15,5 milhões, "Velozes e Furiosos 5 - Operação Rio" com US$ 10,6 milhões, "Rio", com US$ 4,7 milhões, e "Padre", com US$ 4,6 milhões.







FINAL DA CHAMPIONS LEAGUE EM 3D, AO VIVO, NOS CINEMAS

Pela primeira vez no Brasil o público poderá assistir a uma partida de futebol em 3D, AO VIVO, em salas de cinema. Com transmissão da ESPN, Barcelona e Manchester United entram em campo neste sábado, dia 28 de maio, às 15:30 (horário Brasília), na disputa pelo título da UEFA Champions League, o maior campeonato entre clubes do mundo.

Os torcedores brasileiros poderão ver o jogo como se estivessem à beira do gramado nas telonas do cinema. As exibições em 3D acontecerão em cinemas nas cidades do Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre, Brasília, Santos, São José dos Campos, Maringá e Fortaleza. A programação está disponível no site www.mobz.com.br.

Final da Liga dos Campeões da Europa - UEFA (Champions League)
Jogo: Manchester United x Barcelona

AO VIVO EM 3D
Sábado, 28 de Maio, às 15h3
Centerplex Shopping Via Sul R$ 60,00 (inteira) / R$ 30,00 (meia)











CINEMA DE ARTE

Cannes 2011: "A Árvore da Vida" leva Palma de Ouro no festival de cinema francês

Filme com Brad Pitt dividiu a crítica no Festival de Cannes, que o qualificou de "obra-prima" ou de "porcaria"

O enigmático diretor americano Terrence Malick conquistou neste domingo a Palma de Ouro do 64º Festival de Cannes por "Tree of Life" ("A Árvore da Vida"), filme produzido e interpretado por Brad Pitt. Esta é a segunda recompensa que o Festival de Cannes outorga ao pouco produtivo e tímido diretor de 67 anos, que fez apenas cinco filmes em quase quatro décadas e foi coroado Melhor Diretor em Cannes em 1978 por "Dias de Paraíso".
"A Árvore de Vida", de duas horas e 17 minutos de duração, dividiu a crítica em Cannes, que o qualificou de "obra-prima" ou de "porcaria", e que só esteve de acordo em elogiar seu diretor de fotografia, o mexicano Emmanuel Lubezki.
Já o Grande Prêmio do Festival foi compartilhado entre "Le gamin au vélo", dos irmãos Dardenne, e o filme do turco Nuri Bilge Ceylan "Once Upon a time in Anatolia". A premiação começou com a escolha do filme argentino "Las Acacias", obra-prima de Pablo Giorgelli, como ganhador do prêmio Câmera de Ouro.
Em seguida foi a vez do prêmio júri, que foi para "Polisse", da diretora francesa Maiwenn, que lança um olhar sopre a pedofilia, os maus tratos contra crianças e o estupro de menores. O dinamarquês Nicolas Winding Refn ficou com prêmio de melhor direção por seu filme "Drive", com Carey Mulligan e Ryan Gosling no elenco. O longa conta a história de um piloto de automóveis que serve de chofer para bandidos em Los Angeles. O prêmio de melhor roteiro foi para o filme "Footnote", do israelense Joseph Cedar, que conta a rivalidade entre um pai e seu filho, especialistas do Talmude.
Dentre os curta-mentragens, "Cross", de Maryna Vroda, ganhou a Palma de Ouro e "Badpakje 46", de Wannes Destoop ganhou o prêmio do júri. O prêmio Vulcain do Artista-Técnico foi para José Luis Alcaine, pelo trabalho de iluminação de "La piel que habito" e a menção especial ao mérito técnico foi para Joe Bini e Paul Davies pela montagem e o som de "We Need to Talk About Kevin".









LIVROS - NÃO-FICÇÃO


A eficácia da psicanálise em xeque

Obra polêmica na França chega ao Brasil

Motivo de polêmica na França em 2005, O livro negro da psicanálise chega ao Brasil e promete motivar um amplo debate sobre as teorias, até agora inabaláveis, forjadas por Sigmund Freud, e também sobre a própria psicanálise. No Brasil, o livro organizado originalmente por Catherine Meyer ganhou uma edição resumida pelas mãos da psicanalista Simone Perelson, que também assina a tradução.

Com artigos, entrevistas e depoimentos, esta obra reúne os pensamentos de 37 autores, de diversos países, das áreas de história, filosofia, psiquiatria, psicologia, jornalismo e física. Os textos revelam e questionam as principais facetas da teoria e da prática freudiana e assim aproximar a discussão do grande público.

“A publicação do livro negro da psicanálise levou os psicanalistas franceses a saírem de seus lugares que costumam ocupar – lugar de discussão quase exclusivamente com os pares – e a se dirigirem aos ‘outros’, aos leigos, à mídia”, destaca a organizadora da edição brasileira.
Intelectuais do naipe da psicanalista e historiadora Elisabeth Roudinesco foram a campo contestar as ideias defendidas no livro. Os ataques empreendidos pelos autores apontam para uma série de inverdades sustentadas por Freud e destacam o declínio da psicanálise, ainda hegemônica na França, mas em declínio no restante do mundo.

A eficiência da psicanálise é confrontada com outros métodos, com destaque para as chamadas TCC – terapias cognitivo-comportamentais. Expoentes desta vertente, como Jean Cottraux, criador do diploma de TCC na Universidade de Lyon I, assinam os textos e retomam o antigo conflito entre a tradição da teoria freudo-lacaniana e esta nova vertente.

O livro negro da psicanálise – Viver e pensar melhor sem Freud (Le livre noir de la psychanalyse)
Editora Civilização Brasileira
Organização edição francesa: Catherine Meyer com outros
Organização edição brasileira: Simone Perelson
Tradução: Maria Beatriz de Medina e Simone Perelson
644 páginas
Formato: 16 x 23 cm
Preço: R$ 64,90













TEATRO




Medéia – Círculo de sangue

"Espetáculo que emociona e encanta. Parabéns ao teatro cearense" (Festival de Teatro de Curitiba) Vanessa Gomes Doutora em História pela UFPR.


Local: Teatro José de Alencar - Sala Nadir Saboia
Horário: 19hs
Entrada : R$ 20,00 inteira , R$ 10,00 meia.
Dias: 20 e 27 de maio.

Medéia, a Princesa da Cólquida, que nutre um amor doentio por Jasão, guerreiro argonauta, não aceita ser abandonada.
Essa é a história de uma mulher que foi capaz de abandonar tudo para viver um grande amor que acabou transformando-se em ódio, traição e vingança.

Ficha Técnica:

Elenco: ADRIANA PIMENTEL, ELIENAI VIGON, FERNANDA COSTA, JANSEN RODRIGUES
Direção: NANDO MENDES DE SOUSA
Iluminador: FABIO OLIVEIRA
Companhia: Companhia de Teatro e Dança - Cia. Tedan
Autoria: Eurípedes / Adaptação: Norma Lemos












PELO INTERIOR


ESPETÁCULO "EMBRIAGADA... EU QUERO DESABAFAR!", EM GUARAMIRANGA

A Cia Teatral Moreira Campos de Fortaleza/CE apresentará no dia 28 de maio de 2011(SÁBADO), NO TEATRO RAQUEL DE QUEIROZ, EM GUARAMIRANGA, A PEÇA "EMBRIAGADA... EU QUERO DESABAFAR!, COMO ATOR WELLINGTON RODRIGUES, em única sessão: às 20h (censura 15 anos).

Com doze anos de existência a Cia Teatal Moreira Campos é formada por alunos do Curso de Arte Dramática da Universidade Federal do Ceará, tendo o principal objeto de pesquisa obras da literatura brasileira e universal.

O espetáculo "Embriagada...eu quero desabafar!"
é um texto inspirado na obra de Clarice Lispector (Laços de Família, A Hora da Estrela, A Paixão Segundo G. H.) e nas canções da grande compositora e interprete da música brasileira, Núbia Lafayette. A peça relata a vida cômica e trágica de Dolores, uma mulher feia, datilógrafa, semi-analfabeta, magra, casada há dez anos com um marido machista, egoísta, ignorante e estúpido. Embriagada e em meios a devaneios, diante da situação em que se encontra - a beira de um ataque de nervos - ela resolve desabafar tudo aquilo que a sufocava, que estava preso na garganta. De forma sutil, cômica e quase trágica, Dolores conta suas angústias, decepções, sonhos, traições e sua “anti-vida” com seu marido “Amado”.

Afinal, o que pode acontecer entre quatro paredes e na intimidade diária de um casal juntos há dez anos???


Serviço:
Dia 28 de MAIO DE 2011 - SÁBADO
Espetáculo "Embriagada...eu quero desabafar!" (Censura 15 anos)
Cia Teatral Moreira Campos - Fortaleza/CE
Local: TEATRO RAQUEL DE QUEIROZ - GUARAMIRANGA. Horário: 20H
Acesso: R$12,00 (inteira) R$ 6,00(meia)









MÚSICA

SBT Music e Universal Music lançam trilha sonora de "Amor e Revolução"

SBT Music e Universal Music lançam a trilha sonora da novela Amor e Revolução, com direção de Laércio Ferreira. “Ao compor a trilha definimos que as canções seriam preferencialmente da época em que se passa a novela, no mesmo contexto da trama. Então, selecionamos músicas de acordo com o perfil de cada personagem e também acontecimentos históricos”, explica Laércio, que contou com o apoio de Tiago Santiago e Reynaldo Boury.
Composto por grandes sucessos da MPB que marcaram a época da ditadura militar, o CD reúne 16 faixas. Entre elas, “Roda Viva”, composição de Chico Buarque, pelo grupo MPB4, canção de abertura da novela; “Alegria Alegria”, de Caetano Veloso, canção tema do núcleo de estudantes; “Preciso Aprender a Ser Só”, cantada por Elis Regina e “Este seu Olhar”, na voz de Nara Leão, música dos protagonistas José Guerra e Maria Paixão.
Alguns sucessos da época ganharam releituras com novos intérpretes, como “Cálice”, que é cantada por Pitty; “Menino Bonito”, por Fernanda Takai, música tema do personagem Bartolomeu; e “Nossa Canção”, pela banda Vega, também música de José e Maria. A trilha sonora de Amor e Revolução pode ser encontrada em todas as lojas do Brasil!








Direitos do Trabalho na Praça do Ferreira

O projeto que acontece de 24 a 28, e já está na sua 3º edição, visa ofertar informações sobre direitos e garantias no mundo do trabalho para a população

A Companhia de Água e Esgoto do Estado do Ceará (Cagece) apoia o evento feito pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT) nos dias 24 a 28 deste mês. A ação chamada Mundos do Trabalho na Praça já está na sua 3º edição e visa ofertar informações sobre direitos e garantias no mundo do trabalho para a população. O encontro será na Praça do Ferreira, no centro de Fortaleza, a partir das 8h.
A Cagece irá distribuir 10 mil copos de “Água de Beber” durante os quatro dias de evento. O programa tem o tema “Justiça, Direito e Cidadania” e reúne 30 órgãos do poder Legislativo, Executivo e Judiciário. O objetivo do acontecimento é informar a população sobre seus direitos e deveres como trabalhador.

Serviço:
Evento: Mundo dos Trabalhos na Praça
Data: 24 a 28/05/2011
Local: Praça do Ferreira – Centro.
Horário: 8h às 17h.







HOT DIVIRTA-CE


Solteiras também tem vez no Dia dos Namorados

Loja do Prazer oferece produtos para mulheres que não querem passar a data a sós, sem nenhum tipo de prazer

Sqweel 3.jpgNo Dia dos Namorados é comum ver pessoas apaixonadas trocando caricias e presentes entre si. As mulheres que ainda não encontraram seu príncipe encantado podem se presentear com algo especial e ter uma noite mágica e cheia de prazer.

Os brinquedinhos eróticos são um ótimo investimento e proporcionam boas horas de prazer. Atualmente existem tantos tipos, modelos, tamanhos, formatos e cores que fica difícil decidir por onde começar.

Hidden pirate.jpgAs amantes de sexo oral podem optar pelo Sqweel, um produto revolucionário que simula com perfeição o sexo oral através de dez línguas macias e flexíveis de silicone rotativas. O controle de multivelocidade ajuda a mulher a encontrar o seu próprio ritmo.

Já o Vibrador Hidden Pleasure Vibe 3-speed da Coleção Pirates é perfeito para as mulheres que querem manter a discrição e jamais deixar a satisfação pessoal de lado. Extremamente portátil e potente, vem em uma linda embalagem, e causa sensações únicas. As três velocidades diferentes do produto elevam o prazer feminino a outro patamar com a sutileza de cada movimento. Feito em plástico rígido liso, vem com desenhos de caveiras, corações e coroas que remetem ao mundo dos piratas. Sua base em plástico metalizado na cor ouro proporciona ainda mais requinte ao acessório que acompanha um lindo baú preto com detalhes dourados e forro de cetim, perfeito para guardá-lo com total discrição, elegância e higiene.

O Vibrador Rotativo de silicone Vanity By Jopen Vr10 vem com uma leve curva na ponta que massageia o ponto G ao mesmo tempo em que o plug lateral em formato de coelhinho estimula o clitóris. Feito para mulheres exigentes traz prazer excepcional e orgasmos inigualáveis em um produto refinado, sofisticado e luxuoso. Os motores individuais permitem utilizar diferentes níveis de rotação na ponta, no corpo e no plug lateral. Feito em silicone especial que, além de mais higiênico, mantém a temperatura do vibrador igual à temperatura do corpo, basta segurar por alguns instantes.

A Textura anelada, ponta curvada e controle multivelocidade do Vibrador Élegance Brack da Coleção Extase fazem com que ele se encaixe aos contornos femininos e chegue ao ponto G causando prazer absoluto em cada movimento. O silicone aveludado permite um toque suave á pele.

Estes e muitos outros produtos podem ser encontrados na Loja do Prazer, maior Sex Shop Virtual do País com ótima qualidade em produtos e o menor prazo de entre as lojas on line. Para São Paulo capital, a entrega é feita em até 4 horas e caso o prazo não se cumpra, o cliente fica isento de pagar o frete. Os pacotes de entrega são discretos e não revelam o conteúdo da caixa ou sua origem.
Então, porque passar a data sozinha? Corra para acessar e conheça um universo de muito prazer.

Preços:
Sqweel – R$ 349,90
Vibrador Hidden Pleasure Vibe 3-speed -R$ 199,90
Vibrador Rotativo de silicone Vanity By Jopen Vr10 – R$ 1.249,90
Vibrador Élegance Brack da Coleção Extase – R$ 434,90

Para conhecer a Loja do Prazer acesse www.lojadoprazer.com.br









TURISMO

IBEROSTAR MARBELLA CORAL BEACH É INAUGURADO POR ANTONIO BANDERAS

O hotel IBEROSTAR Marbella Coral Beach, inaugurado em abril, contou com a participação de um convidado especial, Antonio Banderas. O ator de renome mundial, embaixador da cadeia hoteleira desde 2010, não quis perder a oportunidade de retornar ao IBEROSTAR na Costa do Sol.
A inauguração também contou com a presença da Presidente da Câmara de Marbella, Maria Ángeles Muñoz, e outros representantes do Conselho da cidade, incluindo a Vice-Presidente Executiva do Grupo IBEROSTAR, Sabina Fluxá Thieneman e o Diretor de Marketing da IBEROSTAR Hotels & Resorts, Luis Herault, que destacou a importância estratégica deste destino para o grupo: “O IBEROSTAR Marbella Coral Beachl é o nosso carro-chefe na Costa do Sol, um destino de alto nível nacional e internacional. Com hotéis como este, nós enriquecemos nosso portfólio e atendemos perfeitamente a disposição da rede de oferecer serviços de alta categoria e facilidades para os clientes em um dos litorais mais atraentes”.

Antonio Banderas expressou sua satisfação: “Há um ano eu comecei a representar o IBEROSTAR, uma empresa espanhola com a qual eu tenho muito em comum, como a filosofia sobre o seu perfil internacional. Hoje, é tempo de celebrar a presença do IBEROSTAR em Marbella, em Málaga, em minha casa. Isso mostra o firme compromisso com esta terra, que me deixa orgulhoso de ser um nativo de Málaga”.

Localizado à beira-mar, apenas um quilômetro de Puerto Banús, o hotel fica no coração da Costa do Sol, em uma das mais exclusivas áreas residenciais de Marbella. IBEROSTAR Hotels & Resorts remodelou o prédio, se inspirando nas culturas árabes e andaluzes, e proporcionou melhorias em suas instalações, incluindo os 170 quartos divididos entre os 4 andares (126 quartos duplos, 14 suítes juniores, 10 suítes e 20 quartos conjugados), com vista para o encantador mar Mediterrâneo e varandas direcionadas para as duas piscinas, jardins e áreas comuns do hotel.

Diversos serviços e facilidades são oferecidos ao hóspede como restaurante, snack bar no terraço, piano bar, bar de praia, um centro de bem-estar totalmente equipado e área VIP com camas balinesas, um kids club e três salas de reuniões com capacidade máxima para 200 pessoas. O IBEROSTAR Marbella Coral Beach foi criado para proporcionar descanso e relaxamento para seus clientes.

Legendas:
Antonio Banderas e Melanie Griffith
Antonio Banderas; Ángeles Muñoz, Presidente da Câmara de Marbella; Sabina Fluxá, Vice-Presidente Executiva do Grupo IBEROSTAR; e Óscar González, Gerente de Marketing do IBEROSTAR na Europa.

Sobre o IBEROSTAR no Brasil

O IBEROSTAR Grand Amazon é o primeiro empreendimento do Grupo IBEROSTAR no Brasil. Com suas operações iniciadas em 2005, o navio é da categoria Grand Collection, a mais alta entre os hotéis do Grupo. O IBEROSTAR Bahia, de categoria cinco estrelas, teve sua inauguração em 2008, enquanto o IBEROSTAR Praia do Forte foi inaugurado no ano seguinte. Trabalhando no sistema all inclusive, as propriedades IBEROSTAR no Brasil têm inclusas no valor da diária todas as despesas com alimentação, bebidas (alcoólicas e não alcoólicas, nacionais e importadas), taxas e gorjetas.


Sobre a Iberostar Hotels & Resorts

IBEROSTAR Hotels & Resorts é a cadeia de hotéis e resorts com sede em Palma de Mallorca (Ilhas Baleares, Espanha), fundada pela família Fluxá, em 1986. Parte integrante do GRUPO IBEROSTAR, um dos principais consórcios turísticos espanhóis, com mais de 50 anos de história, a IBEROSTAR Hotels & Resorts tem atualmente 101 hotéis e 36.000 quartos em 16 países do mundo.

Para mais informações: http://prensa.iberostar.com/pt/index.html








Feriadão de Corpus Christi proporciona quatro dias de descanso e lazer no Meliá Angra


O feriadão de Corpus Christi está chegando e, com ele, a oportunidade de fugir do stress e renovar as baterias para o segundo semestre. Aliás, é o último feriado prolongado até novembro e, portanto, deve ser bem aproveitado. Pensando nos felizardos que querem emendar a data, o Meliá Angra oferece diárias especialmente preparadas para a temporada de 23 a 26 de junho.

Durante o feriado, a equipe de lazer e entretenimento preparou diversas atividades com direito a quadrilha, casamento caipira, barraca de doces, do beijo, pipoca, milho verde, vinho quente, quentão, prisão, artesanato de balão (porta velas), oficinas de reciclagem e artes, jogos divertidos, jogos noturnos, jogos na piscina e olimpíadas kids. A comida típica não poderia ficar de fora. Buffet com um toque nordestino, regado a paçoca, pé de moleque e cachorro-quente, que também não poderia faltar.

Nos dias 24 e 25/06 à noite, está programado o esquenta com o melhor do Forró universitário, promovido pela “Banda Sereno”, que reúne um repertório para festas juninas e músicas de quadrilhas, além de canções próprias.

Onde: Meliá Angra Marina & Convention Resort – Praia do Canal Pimenta – Pontal, na BR 101, km 488, Angra dos Reis – RJ.

Quando: De 23 a 26 de junho

Quanto: Para o período, o Meliá Angra oferece uma diária a partir de R$ 360 por pessoa em apartamento duplo/categoria superior ou no apartamento garden room, com sistema All Inclusive: café da manhã, snacks variados, almoço, jantar e bebidas diversas (alcoólicas e não alcoólicas exclusivas do pacote). Promoção especial: uma criança de até 08 anos acomodada no mesmo apartamento dos pais é cortesia. O mínimo de três diárias é demandado para confirmação da reserva.

O pagamento poderá ser efetuado em 4 x sem juros, nos cartões de créditos (Visa, Mastercard. Diners ou Amex).

Informações e reservas: (24) 3421 1100 – reservas.melia.angra@solmelia.com.br

www.melia-angra-marina.com



Sobre o Meliá Angra

Em frente à Ilha do Pimenta o Meliá Angra conta com uma área de 98.000 m², sendo que 40% desta área são reservadas para garantir a conservação da Mata Atlântica remanescente. O Meliá Angra oferece uma infraestrutura completa com espaços exclusivos para proporcionar ao hóspede todo bem estar, como: fitness center, spa com ofurô, sauna, quadras de tênis, quadra poliesportiva, salão de jogos, piscina, bar molhado, marina própria integrada ao hotel com 20 vagas molhadas junto ao píer e 300 vagas secas em seis hangares próprios, suporte à prática de esportes náuticos além de facilidades para deficientes físicos, completando a estrutura de lazer do resort.









CONCURSOS, PROMOÇÕES, EDITAIS

Itaú Cultural convida jovens artistas a participar da segunda edição do projeto Experiência

Instituto abre inscrições para receber portfólios de estudantes universitários de Artes Visuais interessados em participar de processo de formação ministrado por críticos, curadores e artistas; até 15 portfólios serão escolhidos. O resultado dessa ação será exibido em uma publicação virtual

As inscrições para participar do projeto Experiência, promovido pelo Núcleo de Educação Cultural do Itaú Cultural, serão encerradas no dia 20 de junho (abertas desde 11 de maio). O evento é dirigido a jovens artistas universitários, estudantes do curso de Artes Visuais de qualquer instituição do país, cursando do 5º ao 8º semestre durante o segundo semestre letivo de 2011. O objetivo é estimular a produção e pesquisa de linguagem nas artes visuais e propiciar um maior entendimento sobre os processos criativos, de produção e do mercado da arte contemporânea, além de criar a oportunidade de interação com artistas, críticos e curadores.

A seleção de no máximo 15 portfólios inscritos será feita por Paula Braga, historiadora, curadora e coordenadora desse projeto, que está em sua segunda edição – a primeira aconteceu em 2010, durante a Ocupação Hélio Oiticica – e pela artista multimídia, Regina Johas. Desta vez, no entanto, não está atrelado a nenhuma mostra. O também artista multimídia Ricardo Basbaum fará, ao lado de Regina, sessões de acompanhamento individual e análise de portfólio dos artistas selecionados durante o período de formação, com duração de quatro meses.

Nesse período, os selecionados participam da ação de formação – de 30 de julho a 12 de novembro (sempre aos sábados) – e são colocados em contato com curadores, críticos, galeristas e artistas convidados. Ao final do processo, é publicada uma revista virtual do projeto Experiência, com edição da jornalista e curadora Thais Rivitti, do Espaço 397, com o resultado dos trabalhos realizados.

Para se inscrever, os interessados devem enviar ao Itaú Cultural um portfólio (veja indicações abaixo), com no mínimo três e no máximo 10 imagens de obras e/ou vídeo no formato DVD, currículo, comprovante de matrícula da Universidade em que está cursando Artes Visuais/ semestre, e carta de interesse. Os nomes dos selecionados serão divulgados no dia 4 de julho pelo site www.itaucultural.org.br








Repórteres da Folha, iG, O Globo e Diário de S. P. são agredidos na Marcha da Maconha

Os repórteres Felix Lima (Folha.com), Ricardo Galhardo (iG), Márcia Abos (O Globo), Fabio Pagotto e Vinícius Pereira (Diário de S. Paulo) foram agredidos por policiais militares durante a cobertura da Marcha da Maconha, no último sábado (21/5), em São Paulo. A PM jogou spray de pimenta no rosto do jornalista da Folha e danificou seu equipamento fotográfico, enquanto registrava a cena de outra agressão. O repórter estava com o crachá de imprensa, mas mesmo assim não foi poupado.

Pagotto teve o pé machucado, ao ser atropelado por uma moto da corporação. Como desculpa, a polícia disse que o veículo estava sem freio.“Já tinha tomado spray na cara, soco e depois fui atropelado. Foi proposital, eu tenho fotos, testemunhas”, afirmou o repórter fotográfico, que ainda sente dores. “Estou aqui com a perna esticada. Antes tinha desinchado, mas ainda está doendo, vou ter que ir ao médico para ver o que aconteceu", completou.

Seu colega de jornal, o fotógrafo Vinícius Pereira, também foi agredido. "Levei de tudo, desde spray de pimenta à porrada com cacetete", contou.

Ricardo Galhardo, do iG, foi atingido por estilhaços de uma bomba de efeito moral.“Foi um descaso com a imprensa. Mandei um e-mail perguntando o motivo dessa violência e se eles andavam com moto sem freio, mas eles não responderam”, afirmou. O repórter ainda disse que outras perguntas, como o motivo da detenção de um dos manifestantes, também não foram respondidas. O jornalista estranhou o fato de os manifestantes terem sido perseguidos, já que a marcha havia sido negociada com a PM, apenas com algumas restrições.

Márcia Abos, de O Globo, leva da cobertura uma marca roxa no braço, depois que foi atingida pelo escudo de um policial. "Eles foram muito truculentos. Partiam para quem estava na frente. Em todo o momento eu estava com o crachá do Globo e muitos outros jornalistas também estavam identificados", afirmou.

Todos os repórteres registravam a ação da PM, que perseguiu os manifestantes, cerca de 700 pessoas, por 3 km, com balas de borracha e bombas de efeito moral.

A Secretaria Municipal de Segurança Urbana informou que o caso está sendo apurado.

http://youtu.be/fCfxshW2OME












Dia do Vinho coincide com a chegada da melhor época do ano para degustação da bebida e reunião de amigos

Função social atribuída ao produto tem origem no início do consumo de uva pelo homem; Nieto Senetiner conta com linha que agrada a todos os paladares

A proximidade com o inverno não marca só a chegada do momento do ano ideal para saborear um bom vinho, como reforça a habitual associação que se faz entre o consumo da bebida e a prática de reunir pessoas para celebrar. O período tambem é o mais importante para toda a cadeia produtiva da bebida.

Coincidência ou não, é nessa mesma época – exatamente no segundo domingo de junho, que é comemorado o Dia do Vinho (neste ano, em 12/06). E a Bodegas Nieto Senetiner oferece uma linha completa de vinhos que atende desde o apreciador iniciante ao paladar mais exigente (veja no fim do texto).

História

“O vinho é uma bebida social”, teoriza o sommelier da Nieto Senetiner, Maurício Marcondes. Ele cita as etapas de produção do vinho na antiguidade, que eram acompanhadas por verdadeiros festivais – isso quando a bebida nem estava pronta ainda.

A origem para essas referências históricas e culturais é milenar, ainda de acordo com Maurício - por volta de 7.000 A.C, para ser mais específico, quando surgem os primeiros relatos de cultivo da uva pelo homem (o armazenamento data de 6.000 A.C.).

Como as leveduras para fermentação do vinho sempre estiveram presentes nas casca da uva, é correto afirmar que, desde que existe essa fruta, há tambem o vinho, explica o especialista, que complementa: “O processo de destilação, no entanto, só veio a aparecer vários séculos depois”.

Pela aura mística que existia em torno do vinho, acreditava-se que a bebida era um presente divino, sendo adotado como um dos principais símbolos do catolicismo - representa o sangue de Jesus, é utilizado até hoje em missas e aparece até na célebre pintura Santa Ceia, recorda Maurício.

Degustação

Para tirar o máximo proveito na experiência de saborear um vinho, o sommelier explica a razão de manter a garrafa com a bebida na horizontal, uma orientação básica e fundamental:

“Nessa posição, o líquido entra em contato com a rolha, que por ser feita de cortiça, incha para evitar a entrada de oxigênio na garrafa, evitando a “morte” do produto” – ou seja, impedindo que fique impróprio para consumo. “É a rolha que dá o sinal para o estado de conservação do vinho”, complementa.








MAIS SAÚDE, MENOS CIGARRO

Tabaco e câncer de pulmão: uma relação perigosa

Não é novidade, para a maioria das pessoas, a informação de que o cigarro faz mal. A nicotina afeta desde o esmalte dos dentes até o olfato, que vai perdendo a sensibilidade com o tempo. Mas um órgão é especialmente prejudicado pelo fumo: os pulmões, que perdem parte da capacidade de filtrar o ar que inspiramos e pode até ser acometido por um câncer, dependendo da intensidade do consumo de cigarro.

Para tratar dos perigos do fumo para a saúde, em especial, para o desenvolvimento de câncer de pulmão, confira a entrevista realizada com o dr. Henrique de Lins Horta, oncologista da Oncomed Belo Horizonte.



O que favorece o surgimento de câncer de pulmão entre os fumantes?

Os fatores determinantes para o surgimento do câncer de pulmão entre os fumantes é o tempo durante o qual se fumou e a quantidade de cigarros fumada por dia. Fumar causa câncer de pulmão tanto nos homens quanto nas mulheres. Até mesmo os fumantes passivos têm um maior risco de desenvolver a doença.



Por que o cigarro desencadeia o surgimento de um câncer?

A fumaça do cigarro é uma mistura complexa contendo aproximadamente 4000 substâncias. Destas, pelo menos 60 já foram comprovadas como possíveis causadoras de câncer. Apesar de a nicotina não ser considerada como cancerígena, ela é a responsável pelo vício, dependência do cigarro e pela sensação de abstinência quando se tenta parar. Em cada tragada, além da nicotina, a pessoa é exposta a todas essas substâncias tóxicas, aumentando o risco de câncer.



O cigarro pode contribuir para o surgimento de outras doenças?

O uso do cigarro está relacionado com o surgimento de outros cânceres, como o câncer da cavidade oral, na região do nariz e da faringe, da laringe, hipofaringe, canal que liga a faringe ao esôfago, no esôfago, e em outros órgãos como estômago, pâncreas, fígado, bexiga, pelve renal, colo de útero e leucemia mieloide, que afeta células da medula óssea.



Quando se descobriu a relação entre o consumo de cigarro e o câncer de pulmão?

Datam de 1950 os primeiros trabalhos de importância relacionando o hábito de fumar com o desenvolvimento do câncer de pulmão. Seus autores foram os médicos Wynder e Graham, nos Estados Unidos, e Doll e Hill, na Inglaterra. Desde então, vários outros estudos internacionais, envolvendo milhões de pessoas, chegaram à mesma conclusão. Hoje se sabe que mais de 80% dos casos de câncer de pulmão estão diretamente relacionados ao fumo.



O risco de se ter um câncer de pulmão diminui ao parar de fumar?

As chances de desenvolver um câncer continuam altas mesmo após vários anos da interrupção do hábito de fumar, quando são comparadas às de quem nunca fumou. Mas estudos têm comprovado que parar de fumar, em qualquer idade, contribui para reduzir o aumento progressivo do risco de desenvolvimento do câncer de pulmão.













POLÍTICA CULTURAL


Ecad deve ser investigado por duas CPIs

A Globo teria interesse em desmascarar fraudes no Escritório Central de Arrecadação e Distribuição dos direitos autorais dos músicos


A Assembleia Legislativa do Rio vai instalar nesta terça-feira, uma CPI para investigar o funcionamento do Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad). A proposta partiu do deputado estadual André Lazaroni (PMDB-RJ). Em Brasília, o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) propôs outra CPI, no Senado, para investigar o Ecad. André Lazaroni disse que a CPI na Assembleia é uma resposta à sucessão de denúncias que vem recaindo sobre o Ecad, responsável por distribuir direitos de obras musicais a seus compositores.
No último mês, o Ecad foi acusado de pagar R$ 127,8 mil a Milton Coitinho dos Santos, que assinava a autoria de composições. A reportagem localizou Coitinho em Bagé (RS). Ele é motorista de ônibus, afirma não tocar "nem gaita" e nunca ter recebido a soma da entidade. Há, ainda, outras denúncias de fraude, como a de 2004, em que R$ 1.140.198 de crédito retido (dinheiro que deveria ser distribuído igualmente entre todos os compositores) foi transformado em receita do escritório.
A superintendente do Ecad, Glória Braga, não quis se manifestar sobre as denúncias. Por meio da assessoria, a entidade declarou que as denúncias apontam para os interesses do grupo Globo no Ecad. O grupo é o principal autor das denúncias, por meio de reportagens de "O Globo". E corre no Superior Tribunal Justiça uma ação movida pela TV Globo contra o Ecad. A emissora tenta manter o valor mensal pago à entidade (R$3,8 milhões) contra o resjuste para R$ 10,4 milhões exigido pelo Ecad. Em um ano, a TV Globo teria de pagar o equivalente a 27% do total recebido pelo Ecad em 2010 (R$ 433 milhões).
Procurada pela reportagem, a TV Globo informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que não se posicionará antes de tomar conhecimento do conteúdo da nota do Ecad prevista para hoje. Lazaroni diz só ter tomado conhecimento da disputa entre Globo e Ecad após a aprovação da CPI. "Soube na quinta-feira passada. E não tenho nada a ver com essa briga. Minha preocupação é em agir de acordo com o interesse dos compositores." Já o senador Rodrigues diz ter sido procurado pela diretoria do Ecad justamente em função da disputa judicial com a Globo. "Falei que eles deveriam tornar isso público. Se o artista brasileiro recebe menos por causa da Globo, é um assunto que interessa à CPI."



















CURSOS, SEMINÁRIOS, OFICINAS, DEBATES



Multi-instrumentista de 89 anos concede entrevista aberta ao público no programa Nomes do Nordeste

Em plena atividade aos 89 anos, ele é violonista, compositor e multi-instrumentista (toca violão de seis e sete cordas, violão tenor, bandolim, banjo, cavaquinho, viola de dez cordas, guitarra amplificada, guitarra portuguesa e contrabaixo).

Nascido em 6 de setembro de 1921, na cidade de Jardim, no Cariri cearense, Zé Menezes será a figura central do programa Nomes do Nordeste, quando descreverá sua trajetória artística e compartilhará sua história de vida com o público presente ao auditório Celso Furtado, do Centro Administrativo do Banco do Nordeste (av. Pedro Ramalho, 5700 – Passaré – informações: (85) 3464.3108), no próximo dia 26 (quinta-feira), às 17 horas, com entrada franca.

Zé Menezes será entrevistado pelo compositor e radialista Valdo Aderaldo, e pela plateia presente ao auditório, que poderá formular perguntas por escrito. A entrevista aberta ao público é um evento circunscrito à programação do VI Festival BNB da Música Instrumental.



Gosto musical desde menino

O gosto musical de Zé Menezes foi despertado quando, aos seis anos de idade, ouviu a banda de música de sua cidade natal. Começou a tocar requinta e depois cavaquinho ainda criança, surpreendendo a todos com sua habilidade. Passou, então, a ser conhecido como Zé do Cavaquinho. Aos nove anos de idade apresentou-se para o padre Cícero Romão Batista, interpretando um choro de sua autoria denominado "Meus oito anos". Por volta dos doze anos, mudou-se com um primo para Fortaleza, capital cearense, local em que trabalhou por um ano num serviço de auto-falantes. É considerado um dos grandes cavaquinistas da MPB.

Iniciou a carreira artística com apenas oito anos de idade, quando foi convidado pelo maestro Arlindo Cruz para se apresentar profissionalmente em um cinema na cidade cearense de Juazeiro do Norte. Atuou posteriormente na orquestra do maestro Arlindo Cruz em apresentações na cidade de Crato, CE. Aos 11 anos de idade, já era membro da Banda Municipal de Juazeiro. Em 1938, depois de passar um tempo em Fortaleza, retornou a Juazeiro do Norte, e passou a atuar em bailes e também em cinemas. Na mesma época, tornou a encontrar o primo Luís Rosi, que na ocasião estava liderando uma jazz band e seguiu novamente com ele para Fortaleza. Na capital cearense, passou a atuar como violonista na Ceará Rádio Clube, criando depois um regional que atuou nessa Rádio durante quatro anos.
Em 1943, foi ouvido pelo radialista César Ladeira, que na ocasião visitava o Ceará, e por ele foi levado para o Rio de Janeiro, onde foi contratado pela Rádio Mayrink Veiga e passou a dirigir dois programas semanais nos quais tocava violão, cavaquinho, viola, guitarra, bandolim, violão tenor e banjo, quando alcançaria bastante sucesso e reconhecimento. Por essa época, atuou com Djalma Ferreira, Oscar Belandi e Chuca Chuca, no Hotel Quitandinha, em Petrópolis (RJ). Em 1945, passou a fazer parte do grupo Milionários do Ritmo. No ano seguinte, atuou na Rádio Globo e também na boate Casablanca.
Em 1947, foi contratado pela Rádio Nacional e passou a atuar ao lado de Garoto no programa "Nada além de dois minutos". Ainda na Rádio Nacional, passou a atuar como solista e participar de orquestras e acompanhar os grandes artistas da época. Permaneceu nessa emissora por cerca de duas décadas. Em 1948, teve sua primeira composição gravada, o samba "Nova ilusão", parceria com Luiz Bittencourt, lançado pelo grupo Os Cariocas, na gravadora Continental. Esse samba, inclusive, acabou se tornando o prefixo das apresentações do grupo Os Cariocas. Em 1949, teve o samba-canção "Mais uma ilusão", com Luiz Bittencourt, gravado por Nuno Roland na Continental. Na década de 1950, alcançou sucesso como instrumentista, chegando a ter alto número de vendagem de discos.
Em 1950, o samba "Nova ilusão" foi regravado por Francisco Sergi e sua orquestra. Nesse ano, seu choro "Sereno", com Luiz Bittencourt, foi gravado por Chiquinho do Acordeom na Todamérica. Ainda no mesmo ano, gravou solo ao violão tenor, na Todamérica, os choros "Comigo é assim" e "Seresteiro", de sua autoria e Luiz Bittencourt. Em 1951, gravou na Sinter, com seu conjunto, o baião "Não interessa não" e o choro "Vitorioso", com Luiz Bittencourt. Gravou também, em solo de cavaquinho, o choro "Encabulado", de sua autoria e Luiz Bittencourt, e o baião "De papo pro á", de Joubert de Carvalho, e, em solo de violão elétrico, o samba "Copacabana", de João de Barro e Alberto Ribeiro, e a valsa "Um domingo no Jardim de Alah", de Lírio Panicali. Também no mesmo ano, o baião "Não interessa não" foi regravado com sucesso por Heleninha Costa e César de Alencar, e o samba "Tudo azul", com Luiz Bittencourt foi lançado pelo grupo vocal As Moreninhas. Em 1952, gravou a marcha "Meu cavalo Alumínio", de Claribalte Passos e Lírio Panicali, e o "Baião do Ceará", de sua autoria e Moreira.
Em 1953, teve o samba "Nova ilusão" regravado por Dick Farney e seu quinteto. Nesse ano, gravou o choro "Vai ou não vai?", de Lírio Panicali e Paulo César, e o bolero "Mentira de amor", de Paulo César. Em 1954, gravou o mambo "Um, dois, três", de sua autoria, os choros "Borocochô", de Paulo César e Lírio Panicali, e "Currupião", de Luiz Bittencourt e Jairo Argileu, e a toada-baião "Se você não tem amor", de Lírio Panicali e Jairo Argileu. Nesse ano, lançou pela Sinter o LP "A voz do violão".
Em 1955, o samba-canção "Mais uma ilusão" foi regravado pelo cantor Jimmy Lester, na Copacabana. Nesse ano, gravou com seu conjunto os sambas "Amor brejeiro", de Alain e P. Saka, e "Violão na gafieira", com Luiz Bittencourt. Gravou ainda na guitarra elétrica o bolero "Il torrente", de Leo Carmie e C. Liman, e ao cavaquinho a polca "Polca brasileira", de Altamiro Carrilho e Ari Duarte. Também nesse ano, gravou pelo selo pernambucano Mocambo o choro "Maluquinho", de sua autoria, e o baião "Meu xodozinho", de sua autoria e Neusa Rodrigues.
Em 1957, gravou com seu quarteto o bolero "Nunca, jamais", de Lalo Guerrero, os slows "Na voce, na chitarra e o poco e luna", de Rossi e Calise, e "Le rififi", de Gerard e La Rue, e o samba "Maracangalha", de Dorival Caymmi, além do "Bolero napolitano", de sua autoria e Luiz Bittencourt, e o choro "Faz que vai", de sua autoria. Ainda nesse ano, lançou o LP "Ritmos em alta fidelidade". Também no mesmo ano, gravou na Mocambo, com o grupo "José Menezes e Seus Melodistas", o choro "Temperado", de sua autoria e Inaldo Vilarim, o beguine "Ritmo latino", de Victor Young, o bolero "Anastácia", de Newman e Webster, e o samba "Gafieira é comigo", de sua autoria.
Em 1958, gravou a balada-rock "Come prima", de Taccani, Panzeri e Di Paola e a batucada "O-lá-lá bambolê", de Luiz Bittencourt e Marival. No ano seguinte, gravou de sua autoria e Luiz Bittencourt a batucada "Carrilhão na batucada", e de Antônio Carlos Jobim e Vinícius de Moraes, o samba "A felicidade". Poucos anos antes, sua biografia aponta um dado importantíssimo: Na Rádio Nacional, conheceu o maestro Radamés Gnattali, passando a integrar o Quarteto Continental, formado por ele, Radamés Gnattali, Luciano Perrone e Vidal. Posteriormente o grupo passou a ser um quinteto com a entrada de Chiquinho do Acordeom. Depois, Aída Gnattali, irmã de Radamés, passou a integrar o grupo criando-se assim, o Sexteto Radamés Gnattali com o qual viajou em 1959 para a Europa. O conjunto apresentou-se na BBC de Londres, Unesco, Sorbonne e em programas de televisão de emissoras na Itália, Portugal e Alemanha. Foi o primeiro a registrar o concerto de Radamés Gnattali para guitarra elétrica dedilhada, o "Concerto carioca", gravado com acompanhamento da Orquestra Sinfônica Continental.
Em 1960, gravou o samba "E daí...?", de Miguel Gustavo, e o fox-trot "Noites de Moscou", de Dunayevsky. Nesse ano, apresentou-se com a Orquestra da Rádio Nacional, executando a abertura da série de "Choros", de Villa-Lobos, contando com a presença do compositor e maestro na plateia. Em 1961, lançou o LP "Para ouvir, dançar e amar", pela RCA Victor. No mesmo ano, gravou com seu conjunto pela Philips as músicas "Nunca aos domingos" e "Taki", da trilha sonora do filme "Nunca aos domingos".
Em 1962, lançou o primeiro LP da série "Os Velhinhos Transviados", gravados com seu conjunto que tinha esse nome. Nesse LP, gravou entre outras, as composições "Nós os carecas", de Arlindo Marques Júnior e Roberto Roberti; "Pierrot apaixonado", de Heitor dos Prazeres e Noel Rosa; "Fica comigo esta noite", de Nelson Gonçalves e Adelino Moreira; "Chuá, chuá", de Ary Pavão e Pedro de Sá Pereira; "Bossa nova", de sua autoria; "Donga brincando", de Alfredo C. Bricio; "Samba toff", de Orlandivo e Roberto Jorge; "Trabalhar, eu não", de Almeidinha, e "Estão batendo", de Gadé e Walfrido Silva. Ainda em 1962, lançou o LP "Os Velhinhos Transviados - Sensacionais".
Lançou em 1963, os LPs "Os Velhinhos Transviados - Fabulosos" e "Os Velhinhos Transviados - Espetaculares". Em 1964, no LP "Os Velhinhos Transviados - Bárbaros!", gravou músicas como "Mas, que nada", de Jorge Benjor; "Louco", de Henrique de Almeida e Wilson Batista; "Rio", de Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli; "Sa-sa-ruê", de Marino Pinto e Pernambuco; "Zé de Conceição", de João Roberto Kelly, e "Tome polca (Bailarico das Noivas)", de Luiz Peixoto e José Maria de Abreu. Com o grupo Os Velhinhos Transviados gravou 13 LPs.
Na década de 1970, integrou a Orquestra da Rede Globo de Televisão como primeiro guitarrista. Nessa emissora, compôs o tema de abertura do programa "Os trapalhões". Em 1971, lançou o LP "Os Velhinhos Transviados na curtisom", no qual foram registradas, entre outras, as músicas "Você abusou", de Antônio Carlos e Jocafi; "Alfredinho no choro", de Alfredo F. Bricio; "Shirley Sexy", de Fred Falcão e Arnoldo Medeiros; "Eu te amo meu Brasil", de Dom; "Festa para um rei negro", de Zuzuca; "Alta sociedade", de Nonato Buzar e Marcos Vasconcelos; "Pinta brava", de Décio Pacheco da Silveira, e "Apesar de você", de Chico Buarque, que logo depois seria proibida pela censura do regime militar.
Em 1993, participou do projeto "Viva Garoto - Projeto Memória Brasileira", em homenagem ao instrumentista Garoto, tendo participado do disco que foi lançado pelo Núcleo Contemporâneo, na faixa "Nosso choro", de Garoto, interpretada juntamente com o violonista Dino 7 Cordas. Em 1995, lançou o CD "Chorinho in concert", pela gravadora CID, no qual interpretou "Lamento", de Pixinguinha e Vinícius de Moraes; "Carinhoso", de João de Barro e Pixinguinha; "Primeiro amor", de Patápio Silva; "Um a zero", de Benedito Lacerda e Pixinguinha; "Moto perpétuo", de Paganini; "Apanhei-te cavaquinho", de Ernesto Nazareth; "Vivo sonhando", de Garoto; "Gente Humilde", de Garoto, Chico Buarque e Vincius de Moraes; e "Encabulado", "Seresteiro", "Comigo é assim" e "Tudo azul", parcerias com Luiz Bittencourt; além de "Aconchegante", "Choro de uma corda só", "Menezeando", "Intro para Garoto", "Tropeçando", "Tô querendo", "Contrapontando" e "Meus anos", todas de sua autoria.
Em 1998, gravou o CD "Relendo Garoto", só com músicas do violonista paulista, com quem tocou com muito sucesso na década de 1940, incluindo obras como "Quanto dói uma saudade", "Meditando", "Vivo sonhando", "Tristeza de um violão" e "Meditação". Pouco depois, atuou como solista convidado de grandes orquestras, como a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre - OSPA, na abertura do Mercosul. Como compositor, teve músicas gravadas por cantores como Os cariocas, Miúcha, Emílio Santiago e Tom Jobim e ainda Billy Eckstine que registrou "Nova ilusão". Seu principal parceiro foi Luís Bittencourt e seu principal sucesso o samba "Nova ilusão". Em 2000, gravou um CD com obras inéditas destinado ao mercado norte-americano. Em 2003, fez os arranjos de corda e tocou guitarra e viola no CD "Forró na lua", lançado por Jadiel Guerra pelo selo Atração.

No mesmo ano, teve destacada atuação no Festival de Forró de Itaúnas, Espírito Santo, sendo aclamado pelo público jovem presente ao evento. Ao final de 2004, recebeu homenagem no Teatro Maison de France, no Rio de Janeiro, quando se exibiu, acompanhado por orquestra, para um auditório lotado, sendo intensamente aplaudido. Em 2007, lançou no Teatro Rival BR o CD "Gafieira carioca", no qual interpretou entre outras composições o samba-canção "Nova ilusão", com Ismael Neto. Em plena atividade aos 89 anos, lançou em 2010, um box com 3 CDs e um DVD e realizou shows em cidades como Fortaleza e Brasília. No mesmo ano, apresentou-se na série BRatuques do percussionista Marco Lobo no Sesc Ginástico no centro do Rio de Janeiro, tocando com Moreno Veloso. No mesmo ano, recebeu o Diploma Ernesto Nazareth no Sarau Chorando com Joel no Instituto Cultural Cravo Albin quando se exibiu com cinco instrumentos de corda.




Nenhum comentário: